Home > Banco de Questões > História > Simulados

Idade Moderna IV

Lista de 15 exercícios de História com gabarito sobre o tema Idade Moderna com questões de Vestibulares.



01. (UDESC) "Liberdade, Igualdade, Fraternidade". Estas três palavras, somadas à bandeira azul, branca e vermelha, tornaram-se símbolos das ideias defendidas e das reivindicações no movimento chamado Revolução Francesa.

Com relação à Revolução Francesa, assinale a alternativa correta.

  1. Das revoluções de esquerda ocorridas no século XIX, a Revolução Francesa é das mais significativas, justamente por ser a primeira a contar exclusivamente com a participação de classes populares. Seu modelo foi reimplementado posteriormente apenas em 1917, durante a Revolução Russa.
  2. Apesar de sua relevância histórica, a Revolução Francesa não influenciou qualquer movimento revolucionário ou reivindicatório fora do território europeu.
  3. A relevância da Revolução Francesa pode ser compreendida por ter sido, entre outras coisas, o primeiro movimento político que instaurou popularmente o governo de uma mulher. Esta foi personificada como "Marianne" e foi representada por Delacroix no famoso quadro Liberdade guiando o povo.
  4. A Revolução Francesa teve reverberações não apenas na Europa, mas também na América. Uma das principais foi, certamente, a influência que exerceu sobre a Independência dos EUA.
  5. A Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, proclamada em 1789, ainda que ressaltasse a liberdade e a igualdade dos cidadãos perante a lei, era excludente em relação às mulheres. Tal fato auxilia compreender a composição da Declaração dos Direitos da Mulher e da Cidadã, escrita por Olympe de Gouges, em 1791.

02. (UEA) O Estado Absolutista surgiu na Europa Ocidental ao longo do século XVI. Entre suas realizações, destaca-se

  1. a obrigatoriedade dos homens livres e cidadãos do país prestarem serviço militar ao rei e à nação.
  2. a cobrança de impostos da nobreza e do clero com o objetivo de fortalecer o tesouro do Estado.
  3. a manutenção da descentralização política feudal com o reconhecimento do sistema de suserania e vassalagem.
  4. a tendência à criação de um mercado nacional com a eliminação de grande número de barreiras internas ao comércio.
  5. a garantia das autonomias administrativas das cidades mercantis governadas pelas associações de comerciantes e artesãos.

03. (UEFS) Célebre desde o fim do século XIV, o personagem de Robin começa a despertar a curiosidade dos historiadores britânicos. Por volta de 1420, o cronista Andrew Wyntoun cita um certo Robin Hood e seu companheiro João Pequeno, bandidos “dignos de elogios”, que teriam atuado nas florestas de Inglewood e de Barnsdale durante a década de 1280. Outro cronista, Walter Bower, situa a ação do herói no fim da década de 1260. Em sua História da Grã-Bretanha, de 1521, John Mair apresenta uma nova versão da trajetória do personagem, afirmando que ele teria vivido na década de 1190, durante o reinado de Ricardo Coração de Leão.

(A VERDADEIRA... 2016).

O contexto histórico onde nasceu a lenda de Hobin Hood registra

  1. as bases da construção das monarquias nacionais, tendo a Inglaterra estabelecido o acordo de poder entre o monarca e os barões representantes da nobreza.
  2. os conflitos internos vividos pela Igreja Católica na Europa, dos quais logo resultaram os movimentos da Reforma protestante e da Contrareforma católica.
  3. as lutas comerciais entre as cidades italianas e o reino de Portugal, pela posse e pelo controle das rotas marítimas do comércio das especiarias do século XVI.
  4. o confronto militar entre a Inglaterra e a Alemanha, por ocasião do processo de unificação alemã, que recebia aoposição dos ingleses.
  5. o estabelecimento da colonização inglesa na Índia, quando a Guerra do Ópio selou a dependência dos indianos em relação aos traficantes ingleses.

04. (UFN) O final do século XVIII foi uma época de crise para o Antigo Regime e, no dizer do historiador, Eric Hobsbawm, para os velhos regimes da Europa e seus sistemas econômicos. Isso ocasionou agitações políticas, chegando ao ponto de revolta em alguns casos. Considerando esse contexto, marque V (verdadeiro) ou F (falso).

( ) O fortalecimento das elites coloniais criollas na América de colonização espanhola levou à elaboração de medidas emancipacionistas nos anos seguintes.

( ) O aumento do contrabando nas áreas coloniais da América repercutiu negativamente nas metrópoles ibéricas.

( ) A declaração de independência das Treze Colônias inglesas na América obteve apoio financeiro da França.

( ) A restauração Stuart na Inglaterra depurou o parlamento dos seus elementos mais radicais, integrando este contexto.

A sequência correta é

  1. V – F – V – F.
  2. F – V – F – F.
  3. F – F – V – V.
  4. F – F – F – V.
  5. V – V – V – F.

05. (ACAFE) A formação dos Estados Modernos, o Absolutismo Monárquico e o Mercantilismo caracterizaram a centralização política em várias partes da Europa, em oposição ao poder político descentralizado do sistema feudal. Nesse sentido é correto afirmar, exceto:

  1. O processo de fortalecimento do poder real atingiu seu ápice com o absolutismo. O monarca passou a exercer o controle total sobre o comércio, as manufaturas e sobre a máquina administrativa.
  2. O casamento de Fernando, herdeiro do trono de Aragão, com Isabel, do trono de Castela, consolidou a formação do território que corresponde à Espanha.
  3. As Guerras da Reconquista, ao expulsarem os muçulmanos da Europa, contribuí- ram decisivamente para a formação da Monarquia francesa numa aliança com setores da nobreza.
  4. O mercantilismo foi caracterizado pelo controle estatal da economia e priorizava o domínio de colônias para fornecer matérias primas e criar mercados consumidores para a metrópole.

06. (UEFS) Nós somos trinta milhões de homens reunidos pelas luzes, a propriedade e o comércio. Trezentos ou quatrocentos mil militares nada são nessa massa. Além do fato de o general comandar exclusivamente pelas qualidades civis, a partir do momento em que não está mais na função, ele retorna à ordem civil. Os próprios soldados não passam de filhos dos cidadãos. O exército é a nação.

(Napoleão Bonaparte. Sobre a guerra, 2015.)

O discurso de Napoleão, pronunciado em 1807, revela características presentes na Revolução Francesa, como

  1. a influência do pensamento liberal, a valorização da noção de cidadania e a defesa da igualdade jurídica.
  2. o combate às diferenças sociais, a criação de instituições supranacionais e a instauração de governos democráticos.
  3. a centralização do poder com apoio dos militares, a expansão das fronteiras nacionais e a rejeição da economia de mercado.
  4. o orgulho patriótico, a defesa das tradições civis e religiosas e a reforma do sistema tributário.
  5. a expansão da revolução por meio da guerra, a rejeição da luta de classes e a limitação do poder da burguesia.

07. (ACAFE) Em 2017 completam-se os 500 anos da Reforma Protestante. Iniciada em 1517, promoveu transformações religiosas e políticas na Europa moderna. Sobre os eventos que têm relação com a Reforma Protestante é correto afirmar, exceto:

  1. A doutrina calvinista aceitava o mundo dependente da vontade de Deus, estando todos os homens sujeitos à predestinação.
  2. Na Dieta de Worms, convocada pelo monarca Carlos V, o luteranismo foi oficializado como religião do Sacro Império e difundiu-se rapidamente na Península Ibérica.
  3. A supressão do celibato e a condenação da simonia também caracterizaram princípios defendidos pelo protestantismo.
  4. O sistema clerical dominante foi criticado por Lutero através das 95 teses fixadas na porta da igreja do castelo de Wittenberg.

08. (UFRN) As migrações fazem parte da história da humanidade e são motivadas por razões diversas, sejam de ordem política, cultural ou natural. No início do século XXI, intensificaram-se os fluxos migratórios em várias partes do mundo.

Sobre esse cenário que envolve as migrações internacionais na atualidade, leia as afirmações a seguir:

I. A globalização tem facilitado as migrações, tanto pela redução dos custos de transportes quanto pela expansão do uso da internet e das telecomunicações, as quais possibilitam intercâmbios culturais e contatos com realidades distantes.

II. Um dos principais fluxos migratórios para a Europa é oriundo de países em guerra, como a Síria, o que tem levado alguns países do continente europeu a adotarem medidas de restrição à imigração.

III. Os países que historicamente se destacaram como área de destino dos migrantes, como EUA e França, têm flexibilizado o controle de suas fronteiras internacionais para favorecer a entrada de imigrantes.

IV. A Terceira Revolução Industrial tem estimulado a migração de mexicanos para os EUA visando suprir o mercado de trabalho com mão de obra especializada e de baixo custo.

Estão corretas as afirmações

  1. III e IV.
  2. I e III.
  3. II e III.
  4. I e II.

09. (UESB) Assim, o resumo da história dos monopólios é o seguinte: 1) Décadas de 1860 e 1870, o grau superior, culminante, de desenvolvimento da livre concorrência. Os monopólios não constituem mais do que germes quase imperceptíveis. 2) Depois da crise de 1873, longo período de desenvolvimento dos cartéis, os quais constituem ainda apenas uma exceção, não são ainda sólidos, representando ainda um fenômeno passageiro. 3) Ascensão nos fins do século XIX e crise de 1900 a 1903: os cartéis passam a ser uma das bases de toda a vida econômica. O capitalismo transformou-se em imperialismo.

(ASSIM, o resumo... 2016).

A análise do texto e os conhecimentos sobre o desenvolvimento do sistema capitalista permitem corretamente afirmar:

  1. O liberalismo econômico, advindo com o Iluminismo, alcançou seu apogeu entre as décadas de 60 e 70 do século XIX, com o desenvolvimento da livre concorrência e o fortalecimento do pacto colonial nas Américas.
  2. As crises de superprodução industrial e a necessidade de aplicação do capital excedente europeu contribuíram para o processo de colonização afro-asiática e para o crescimento da tensão mundial, através da corrida imperialista.
  3. As crises de superprodução, como a de 1873, se constituem eventos extemporâneos, cujas repercussões são insignificantes, devido ao forte controle que o Estado mantinha, nesse período, sobre a economia.
  4. As crises do século XIX contribuíram para as ondas revolucionárias de 1820 e 1830, que fortaleceram o movimento operário, defensor da superação do capitalismo e da adoção do sistema socialista.
  5. Os cartéis, ao eliminarem a livre concorrência, foram considerados ilegais a partir da Crise de 1929, quando o Estado passou a defender a liberdade de mercado e a concepção do Estado mínimo.

10. (UFGD) Este texto faz referência à construção da mentalidade burguesa na França do início do século XX.

Os testemunhos relativos às modas e aos costumes em matéria de vestuário e enfeites, de moradia e mobiliário, aos usos da vida social e às normas de civilidade completam e matizam a imagem da burguesia. Com grande luxo de pormenores, encontra-se nos conselhos dados às donas de casa a descrição dos hábitos que caracterizam os diversos estratos da burguesia, consideradas as obrigações e possibilidades ligadas às funções do chefe de família, aos recursos do casal, ao lugar de residência e ao número de filhos. Imagem teórica, por certo, que não raro traduz mais um ideal que uma realidade, mas que pesa principalmente sobre a opinião e o comportamento de quantos aspiram a inserir-se no meio burguês.

DAUMARD, Adeline. Os burgueses e a burguesia na França. São Paulo: Martins Fontes, 1992, p. 27.

Nele, é possível identificar

  1. padrões de comportamento impostos por ditaduras militares em países socialistas no século XX.
  2. avanço dos valores burgueses baseados na distribuição de renda e na diminuição das desigualdades sociais.
  3. desapego do luxo e do acúmulo de riqueza pelos burgueses que seguem a ética protestante do capitalismo.
  4. diversos segmentos da burguesia católica que se diferem pela moda, pelos costumes, pela estrutura familiar e pelas condições financeiras.
  5. padrões de civilidade baseados nas condições econômicas, no conceito de família, nas formas de se vestir e se comportar como requisitos para a inserção no meio social burguês.

11. (UEM) Assinale a alternativa correta sobre a chamada Época Moderna, ou seja, o período entre os séculos XV e XVIII na Europa Ocidental.

  1. Dentre as grandes mudanças culturais que caracterizaram aquele período estiveram a Reforma Protestante, a Revolução Francesa, a expansão imperialista e as independências dos países africanos.
  2. O fim do Império Romano marcou o começo da Era Moderna no continente europeu; já a Revolução Francesa marcou seu término.
  3. Em alguns países, como Portugal e Espanha, a industrialização foi precoce, ao contrário da França e da Inglaterra, onde ela ocorreu bem mais tarde, quase no século XIX.
  4. A expansão da economia capitalista foi favorecida pelo comércio de escravos entre a África Atlântica, as ilhas do Caribe e as Américas continentais.
  5. A formação dos chamados Estados Nacionais Modernos foi caracterizada pelo desenvolvimento de vários mecanismos de participação, como os conselhos e os sindicatos.

12. (UENP) Leia o texto a seguir.

Uma estranha loucura apossa-se das classes operárias, das nações onde impera a civilização capitalista. Essa loucura é o amor ao trabalho, a paixão moribunda que absorve as forças vitais do indivíduo e de sua prole até o esgotamento.

(Adaptado de: LAFARGUE, P. O. Direito à Preguiça. São Paulo: UNESP, 1999.)

Considerando que o texto foi produzido no ano de 1880, assinale a alternativa correta.

  1. A loucura é um componente da crise da civilização capitalista, pois absorve as forças vitais e os indivíduos se tornam preguiçosos.
  2. A racionalização das etapas de produção na fábrica tenderá a liberar o operário de tarefas mecânicas e repetitivas, permitindo a ele racionalizar também seu tempo livre.
  3. Após a Revolução Industrial, a capacidade de produção de mercadorias em grande quantidade e em alta velocidade não fez com que os operários trabalhassem menos nem sequer possuíssem condições de comprá-las.
  4. O amor ao trabalho é a melhor maneira de enobrecer o espírito dos trabalhadores, uma vez que a prosperidade é a recompensa dada por Deus.
  5. Os trabalhadores devem fazer greve e ficar em casa, pois todos devem ter direito à preguiça.

13. (UDESC) Sobre o conceito de Revolução, analise as proposições.

I. O conceito de Revolução advém da Astronomia e, apenas no final do século XVIII, foi aplicado para definir uma mudança radical de poder.

II. De um ponto de vista marxista, apenas podem ser consideradas revoluções aquelas mudanças políticas que transformam as relações de produção, no âmbito da organização da propriedade e das forças produtivas, a exemplo da Revolução Francesa e da Revolução Russa.

III. No século XX, o conceito de revolução passa a ser também reivindicado por grupos politicamente conservadores, que o entendiam como uma necessária tomada do poder pela força.

Assinale a alternativa correta.

  1. Somente as afirmativas I e III são verdadeiras.
  2. Somente as afirmativas I e II são verdadeiras.
  3. Somente a afirmativa II é verdadeira.
  4. Somente a afirmativa III é verdadeira.
  5. Todas as afirmativas são verdadeiras.

14. (UECE) Atente ao seguinte excerto: “A impotência do homem diante do destino, absurdo deste último, é também o que afirmam frequentemente os personagens do teatro inglês no fim da Renascença. Ao fazê-lo, eles não exprimem necessariamente a opinião dos próprios autores. Mas eles dão testemunho – o que para nós importa aqui – de um sentimento amplamente difundido na cultura dirigente”.

(DELUMEAU, J. O pecado e o medo. Bauru: EDUSC, 2003, p.317.)

O famoso autor do teatro inglês, que compôs sua obra no fim da fase conhecida como Renascimento foi

  1. Nicolau Maquiavel.
  2. William Shakespeare.
  3. Lord Byron.
  4. Edgar Allan Poe.

15. (UEFS) Entre os anos 1810 e 1820, [...] o inimigo comum era a Espanha. Todos os esforços concentravam-se para acabar com o domínio da Espanha. A tônica dos discursos era a liberdade.

Liberdade, entretanto, não é um conceito entendido de forma única; tem significados diversos, apropriados também de formas particulares pelos diversos segmentos da sociedade.

(Maria Lígia Prado. A formação das nações latino-americanas, 1985.)

Entre os “significados diversos” do conceito de liberdade, presentes nas lutas de independência na América Hispânica, é correto afirmar que:

  1. para os indígenas, liberdade associava-se à restauração do Império Inca e, para os comerciantes ingleses, liberdade relacionava-se à persistência do monopólio comercial metropolitano.
  2. para as ordens religiosas, liberdade representava o direito de cobrar tributos das comunidades indígenas e, para as elites criollas, liberdade associava-se ao fim do trabalho escravo.
  3. para as populações escravizadas, liberdade representava a abolição do trabalho compulsório e, para os membros da Igreja Católica, liberdade associava-se ao direito pleno de escolha religiosa.
  4. para os membros das elites criollas, liberdade relacionava-se ao fim do controle metropolitano sobre o comércio colonial e, para os indígenas, liberdade representava o direito à terra.
  5. para os representantes administrativos da metrópole, liberdade associava-se ao direito de retornar à Espanha e, para os africanos escravizados, liberdade relacionava-se à volta para a África.


.