Home > Banco de Questões > História > Idade Contempôranea

Conflitos no Líbano, Irã e Iraque

Lista de 25 exercícios de História com gabarito sobre o tema Conflitos no Líbano, Irã e Iraque com questões de Vestibulares.

Confira as videoaulas, teoria e questões sobre: História Geral.





01. (UNIP) Nesta última década do século XX, verifica-se o recrudescimento da ideologia do nacionalismo em todo o mundo, gerando a ocorrência de movimentos separatistas, que, não raramente, desembocam em sangrentos conflitos, a exemplo do que ocorreu entre o Iraque de Saddam Hussein e a etnia:

  1. armênia
  2. libanesa
  3. sunita
  4. palestina
  5. curda.

02. (FGV-SP) Em julho de 2006, tropas israelenses iniciaram uma grande ofensiva no Líbano. Entre as justifcativas do governo israelense para essa ação, pode-se citar:

  1. o desmantelamento da estrutura militar e administrativa do Hamas, na cidade litorânea de Tiro.
  2. a destruição das células do Al Qaeda, ligadas ao terrorista Bin Laden, localizadas em território libanês.
  3. a retomada das fazendas de Chebaa, ainda sob controle libanês, porém reconhecidas pela ONU como pertencentes a Israel.
  4. a destruição do poder militar do grupo Hezbollah que, a partir do sul do Líbano, atacava cidades e postos militares de Israel.
  5. a captura de terroristas do grupo Fatah, escondidos entre os civis palestinos dos campos de refugiados de Sabra e Chatila.

03. (FAAP) Em Agosto de 1990, Saddam Hussein invoca razões históricas para invadir __________________ e anexá-lo(a) ao Iraque.

  1. A Arábia Saudita
  2. A Síria
  3. Israel
  4. O Kuwait
  5. A Jordânia

04. (UNIFESP)

COURRIER INTERNACIONAL, n. 66, 2006.

A charge, publicada em 07 de julho 2006, faz alusão à:

  1. ocupação, por militares dos Estados Unidos, do Iraque, acusado de manter armas nucleares.
  2. contraofensiva de Israel ao Líbano, em resposta a agressões promovidas pelo Hezbollah.
  3. presença militar do Ocidente no Oriente Médio, para garantir o acesso a recursos energéticos.
  4. rejeição às forças de paz da ONU, que não evitaram a eclosão de novos conflitos árabe-israelenses.
  5. ação militar de Israel em reação às lideranças do Hamas, que exercem o poder na Palestina.

05. (VEST – RIO) A Guerra do Líbano, o conflito Irã/Iraque, a questão Palestina, a Guerra do Golfo são alguns dos conflitos que marcam ou marcaram o Oriente Médio. Das alternativas abaixo, aquela que corretamente explica essa situação conflitosa é:

  1. o aumento, de forma rápida, do preço do barril de petróleo nos países membros da OPEP;
  2. a criação do Estado de Israel, sob a tutela britânica, numa região de ricas reservas de petróleo;
  3. os grandes lucros provenientes do petróleo que não beneficiam a maioria da população nos países árabes;
  4. a disputa de terras favoráveis ao cultivo, como as encontradas na planície da Mesopotâmia, numa área desértica.
  5. o emaranhado de culturas, religiões e interesses estrangeiros numa área localizada a meio caminho entre a Ásia, Europa e África.

06. (UFLA-MG) A recente guerra entre EUA e Inglaterra contra o Iraque fez lembrar a Guerra do Golfo Pérsico de 1991, após o Iraque ter invadido e anexado o Kuwait. As alternativas seguintes descrevem uma etapa da Guerra do Golfo de 1991, EXCETO:

  1. Envio de tropas dos EUA para a região do Golfo Pérsico.
  2. Renúncia do Xá Reza Pahlevi, a pedido dos EUA, para evitar maiores constrangimentos.
  3. Decretação do boicote econômico ao Iraque pela ONU.
  4. Ataques a Israel e Arábia Saudita promovidos pelo Iraque.
  5. Rendição do Iraque.

07. (PUC-RS) Com base nas afirmativas sobre a situação do Iraque hoje, transcorridos dez anos da Guerra do Golfo.

I. O país passou a sofrer sanções econômicas, e a população civil sofre com falta de recursos para a saúde e de investimentos em infraestrutura.

II. O presidente Saddam Hussein continua no poder, embora tenha se sujeitado ao programa de controle de fabricação de armas imposto pelo presidente Clinton.

III. Os curdos xiitas e sunitas convivem hoje em harmonia com os vizinhos do Kuwait.

IV. O auxílio da ONU ao setor educacional tem proporcionado às crianças iraquianas o acesso às escolas, e o índice de analfabetismo vem caindo nos últimos anos.

A análise das afirmativas permite concluir que é correta a alternativa:

  1. I e II
  2. I e III
  3. I e IV
  4. II e III
  5. II e IV

08. (PUCPR) […] milhares de libaneses tomaram as ruas de Beirute para exigir a renúncia do governo imposto pela Síria, a própria retirada das tropas sírias estacionadas no país desde 1976 e justiça para os assassinos de Rafk Hariri, cuja morte num atentado tem todo o jeito de ter sido arquitetada em Damasco […] A resposta começou a ser formulada nas ruas de Beirute, agitando bandeiras, meio milhão de libaneses tomou as mesmas ruas centrais da cidade da manifestação anterior, mas desta vez para demonstrar apoio à Síria e detratar Israel e Estados Unidos.

VEJA, 16 mar. 2005.

No complexo contexto geopolítico do Oriente Médio – a reportagem anterior mostra um Líbano dividido entre apoiar ou não a presença militar dos sírios no país –, constituem análises corretas sobre o papel desempenhado pela Síria, EXCETO:

  1. Durante a invasão do Iraque, em 2003, a Síria foi acusada pelos países da coalizão que derrubou Saddam Hussein de ter abrigado em seu território muitos membros do governo do ex-ditador iraquiano.
  2. A Síria está envolvida numa disputa territorial com o estado de Israel que, na Guerra dos Seis Dias, lhe tomou as Colinas de Golã e nunca mais daí se retirou.
  3. A Síria foi uma das mais importantes aliadas soviéticas no Oriente Médio durante o período da chamada Guerra Fria.
  4. O governo sírio possui boas relações com a milícia islâmica do Hezbollah, que atua no sul do Líbano e sempre lutou contra o Estado de Israel.
  5. A Síria é o país árabe que possui as mais sólidas relações com os EUA, sendo um fel representante dos interesses norte-americanos na região.

09. (UEG-GO) As ações terroristas, a invasão do Iraque pelas tropas norte-americanas e a imagem de inúmeros soldados e civis mortos no Iraque formaram o pano de fundo da mais importante eleição em que se defrontaram republicanos e democratas na disputa pela presidência dos Estados Unidos. Nessa direção, a eleição assumiu a forma de um plebiscito acerca da política externa do governo Bush. Julgue os itens:

I. A guerra sem limites contra o terror se constituiu em emblema do partido republicano, relegando a um plano secundário a defesa dos direitos individuais da população norte-americana.

II. A guerra do Vietnã aparece como peça de propaganda das campanhas políticas, favorecendo o governo Bush graças à participação direta do presidente nesse conflito.

III. A guerra contra o Iraque consolidou a imagem resoluta do líder republicano, uma vez que a prisão de Saddam Hussein minimizou a onda de conflitos políticos no Oriente Médio.

Marque a alternativa CORRETA:

  1. Apenas a proposição I está correta.
  2. Apenas a proposição III está correta.
  3. As proposições II e III estão corretas.
  4. As proposições I e II estão corretas.
  5. Todas as proposições estão corretas.

10. (UDESC-SC) O Irã é oficialmente uma República Islâmica, conhecido até a primeira metade do século XX apenas como Pérsia. Em 1979 houve uma revolução que fez aquele país sair da condição de Monarquia Autocrática para República Islâmica. Sobre o Irã e a condição de República Islâmica, é INCORRETO afirmar que:

  1. o aiatolá Khomeini foi o grande promotor da Revolução Islâmica, que visivelmente começava a se opor à ocidentalização pela qual o Irã passava.
  2. a Revolução Iraniana que derrubou o Xá Mohammad Reza Pahlevi contou com apoio de amplos setores sociais num primeiro momento, para em seguida fazer chegar ao poder os aiatolás.
  3. o Irã Persa é árabe e, por extensão, islâmico, pois todos os islâmicos são árabes e vice-versa.
  4. entre 1980 e 1988, o Irã entrou em sangrento conflito com o Iraque, pouco tempo depois de ter passado pela Revolução.
  5. recentemente o Irã foi acusado pela comunidade internacional de possuir armas nucleares.

11. (UFMT) Assinale a afirmativa que NÃO caracteriza o recente conflito entre os Estados Unidos e o Iraque.

  1. O governo americano invadiu o Iraque argumentando que este possuía armamentos de destruição em massa, tais como armas químicas, biológicas e atômicas.
  2. Os Estados Unidos receberam apoio total do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) para deflagrar o conflito armado no Iraque.
  3. A política de segurança nacional americana argumentou a favor da guerra preventiva, aquela na qual se mata o adversário para evitar que mais cedo ou mais tarde ele ataque a supremacia dos países mais poderosos por meio de atentados terroristas.
  4. A economia norte-americana beneficia-se de forma positiva no período pós-guerra, uma vez que empresas americanas firmam contratos de construção de estradas, ferrovias e complexos de comunicação.
  5. Cogitou-se que os Estados Unidos buscaram, por meio do conflito armado, maior controle sobre os vastos campos petrolíferos do Iraque.

12. (UFMS) Em fevereiro de 2006, uma explosão destruiu a Mesquita Dourada, em Samarra, templo reverenciado pela população xiita. Embora não tenha causado mortes no momento, o atentado serviu para acirrar conflitos entre as comunidades locais. Nas semanas seguintes, bombas e chacinas mataram centenas de pessoas, tanto entre a maioria xiita quanto entre sunitas, as duas vertentes do islamismo presentes nesse país que, ocupado desde março de 2003 pelas forças da coalizão formada pelos Estados Unidos e Reino Unido, vive situação próxima à de uma guerra civil. Assinale a alternativa que corresponde ao país do qual trata o texto.

  1. Afeganistão.
  2. Palestina.
  3. Líbano.
  4. Irã.
  5. Iraque.

13. (UECE) A invasão do Kwait por tropas do Iraque, iniciada em 02 de agosto de 1990, deu início à Guerra do Golfo. Sobre esse conflito militar são feitas as seguintes afirmações:

I. Sem a sanção da ONU, o conflito teve uma longa duração. Não foram utilizados armamentos ou técnicas avançadas de guerra. Os Estados Unidos não se preocuparam em empregar armas sofisticadas e avançadas tecnologicamente.

II. Ficou conhecida como “a guerra pós-moderna” devido a utilização de sofisticados equipamentos eletrônicos, bombas guiadas a laser e mísseis teleguiados. Se constituiu em uma intervenção militar eficaz e rápida.

III. Foi travada por uma coalização internacional liderada pelos Estados Unidos, Grã-Bretanha e países do Oriente Médio, como Arábia Saudita e o Egito, contra o Iraque. Obteve a sanção da ONU.

Assinale o correto.

  1. Apenas as afirmações I e II são verdadeiras.
  2. Apenas as afirmações I e III são falsas.
  3. Apenas as afirmações II e III são verdadeiras.
  4. Apenas as afirmações I e III são verdadeiras.

14.(UFLA-MG) Em um rap contra o terrorismo, um “George Bush” virtual assume que o que faz, na luta contra o terror, é correto e que ele próprio irá esmagar os insurgentes.

Num trecho da música, “Bush” afirma: “Veja só o Iraque. Já disse que os libertei? Vocês todos podem me agradecer por isso.”

Marque a alternativa CORRETA sobre a alusão que a letra da música faz ao momento político vivenciado pelo Iraque.

  1. Ao fim do regime do Taleban, que, a partir da intolerância religiosa, governava todos os países do Oriente Médio.
  2. Ao conflito da Caxemira, devido às disputas pelo controle do petróleo nessa região iraquiana.
  3. À derrubada de Sadan Hussein após a invasão das forças americanas, sem a permissão da ONU.
  4. À invasão da Península do Sinai pelo Iraque, que passou a controlar as armas químicas e biológicas produzidas a partir de então.

15. (UFU) Leia, a seguir, alguns dos trechos do discurso de George W. Bush sobre o início da Guerra no Iraque, na madrugada do dia 20 de março de 2003.

Meus companheiros cidadãos, neste momento as forças norte-americanas e de coalizão estão no estágio inicial da operação militar para desarmar o Iraque, libertar sua população e defender o mundo de um grave perigo.

[...]

Nós entramos no Iraque com respeito a seus cidadãos, sua grande civilização e às crenças religiosas que praticam. Não temos ambições no Iraque, a não ser remover uma ameaça e restaurar o controle do poder a seu próprio povo.

[...]

Que Deus abençoe nosso país e todos que o defendem.

Folha Online, 20/03/2003 - 01h18 www1.folha. uol.com.br.Trad. de Luciana Coelho e Cristina Amorim.

A respeito da Guerra no Iraque e, considerando os trechos acima, pode-se afirmar que

I. é um conflito que teve “como estopim” os ataques aéreos ao território americano no dia 11 de setembro de 2001. Desde então, o presidente norte americano George W. Bush investiu na liderança da luta contra o que se resume no termo “terrorismo”, quer seja no plano interno quer seja no plano externo.

II. a invasão do Iraque, pelos Estados Unidos e seus aliados, não pode ser explicada apenas pela necessidade de “desarmar o Iraque, libertar sua população e defender o mundo de um grave perigo”, como afirma o trecho acima. Deve-se considerar, também, os interesses norte-americanos no acesso e controle dos recursos petrolíferos iraquianos.

III. o poderio norte-americano é calcado unicamente em ideais humanitários e na forte capacidade militar que os EUA têm para resolver conflitos em outros países, com uma experiência acumulada desde a Guerra Fria, quando iniciaram suas intervenções internacionais.

IV. mesmo agindo sob mandato da ONU, a decisão dos Estados Unidos de invadirem o Iraque foi condenada pelos países europeus, como a Inglaterra, Itália, França e Alemanha, tradicionais aliados de Saddam Hussein, que temiam o alastramento do conflito para todo o Oriente Médio.

Marque a alternativa que apresenta apenas afirmativas corretas.

  1. III e IV
  2. I e II
  3. I e III
  4. II e IV

16. (UNIMONTES-MG) Esgotadas as tentativas de solução pacífica para que o Iraque desocupasse o Kuwait, a ONU autorizou o uso da força por parte dos Estados Unidos e seus aliados em 1991.

Sobre esse conflito e a atual intervenção dos EUA no Iraque, pode-se afirmar que

I. o objetivo da ONU, aprovando a guerra, não era ocupar o país, mas expulsar as forças de Saddam Hussein do Kuwait e aplicar sanções econômicas ao Iraque.

II. a guerra se caracterizou pela morte de milhares de soldados e civis, de ambos os lados beligerantes, devido ao emprego de armas químicas e biológicas por parte de Saddam Hussein.

III. a semelhança entre a Guerra do Golfo, em 1991, e a que teve início em 2003, movida pelos EUA, foi o apoio da ONU aos Estados Unidos e aliados para realizarem a ação bélica.

IV. o Iraque invadiu o Kuwait sob o argumento da necessidade de retificar a fronteira com esse país, traçada pelas antigas potências imperialistas, e melhorar seu acesso ao mar.

Estão CORRETAS as afirmativas

  1. I e IV, apenas.
  2. II e III, apenas.
  3. II, III e IV, apenas.
  4. I e II, apenas.

17. (ESPCEX) “Em 1980, o Iraque, aproveitando-se da instabilidade do Irã, invadiu-o (...). O Conflito resultou em elevado número de mortos e em consequências desastrosas para ambos os países”.

A invasão iraquiana objetivava

  1. dominar a região do Chatt-el-Arab, na confluência dos rios Tigre e Eufrates.
  2. derrubar o Xá Reza Pahlevi, que dominava o Irã havia mais de 50 anos.
  3. impor o islamismo ao Irã, tradicional reduto cristão na Ásia.
  4. reconquistar a Península do Sinai, perdida nos conflitos entre ambos, no ano de 1967.
  5. liberar o canal de Suez, para facilitar o escoamento da produção petrolífera do Iraque.

18. (UDESC-SC) Analise as proposições relacionadas aos conflitos envolvendo a região do Oriente Médio.

I. Sendo pró-ocidente, Israel, mesmo situado naquela região, mantém uma tradicional política de neutralidade com o mundo árabe.

II. Iraque (árabe) e Irã (persa) viveram um sangrento conflito entre 1980 e 1988.

III. A Revolução Xiita no Irã, no final da década de 1970, ainda hoje tem forte repercussão entre as nações islâmicas.

IV. Durante a Guerra do Golfo em 1991, não foram medidos esforços, dos dois lados, para que as jazidas de petróleo e o meio ambiente fossem preservados.

Assinale a alternativa CORRETA:

  1. Somente as afirmativas III e IV são verdadeiras.
  2. Somente as afirmativas II e III são verdadeiras.
  3. Somente as afirmativas I e III são verdadeiras.
  4. Somente as afirmativas II e IV são verdadeiras.
  5. Todas as afirmativas são verdadeiras.

19. (Ibmec) Coube a George W. Bush iniciar, em 2003, a Segunda Guerra do Golfo. Sobre esse tema são feitas as seguintes afirmativas:

I. Com o fim da Guerra Fria, o “maior inimigo” não é mais um país comunista, mas sim um que estimula o terrorismo;

II. A existência, no Iraque, de armas de destruição em massa (ADMs) foi um dos pretextos norte-americanos para justificar a invasão;

III. Diferentemente do que ocorrera na Primeira Guerra do Golfo, houve por parte da ONU apoio total ao intervencionismo dos Estados Unidos.

Assinale:

  1. se apenas a afirmativa I for correta;
  2. se apenas a afirmativa II for correta;
  3. se apenas a afirmativa III for correta;
  4. se as afirmativas I e II forem corretas;
  5. se as afirmativas II e III forem correta.

20. (UFMG) Observe este mapa:

Oriente Médio

Fonte: IBGE. Atlas Geográfico Escolar. Rio de Janeiro: IBGE, 2002. p. 55 (Adaptação).

A partir da interpretação desse mapa e considerando outros conhecimentos sobre o assunto, é INCORRETO afirmar que:

  1. a proximidade entre várias capitais nacionais – sobretudo Beirute, Tel Aviv, Amã e Damasco – as torna mais vulneráveis em situações de conflitos bélicos, frequentes na região.
  2. o Oriente Médio, por sua posição latitudinal e relativa à circulação atmosférica geral, tem clima mediterrâneo, com tendência à semiaridez ou à aridez, responsável pelo impacto nos recursos hídricos, um dos maiores problemas regionais.
  3. a região, situada no “fundo” do Mar Mediterrâneo, na junção de três continentes, foi rota de grandes exércitos conquistadores e esteve sob domínio sucessivo de inúmeros grandes impérios.
  4. as fronteiras nacionais, definidas há muitos anos, resultaram da existência de obstáculos de natureza física, que impediam o traçado de limites correspondentes ao quadro geopolítico.

21. (FDV) TEXTO

GOLFO PÉRSICO, ZONA DE TENSÕES PERMANENTES

O Golfo Pérsico é um braço de mar quase fechado desde o estuário do Chat el Arab, canal fluvial da junção dos rios Eufrates e Tigre, até o estreito de Ormuz, onde as águas do golfo se conectam ao Oceano Índico. Situado num dos pontos nevrálgicos do Oriente Médio, as águas do golfo Pérsico banham os territórios de oito países: Irã, Iraque, Kuwait, Arábia Saudita, Bahrein, Catar, Emirados Árabes Unidos e Omã.

CANEPA,B. Oriente Médio: uma região de conflitos e tensões. 3ª ed – São Paulo SP:Moderna, 2012 p. 32.

O golfo Pérsico, região do Oriente Médio, durante o século XX passou a ter grande importância estratégica pois nesta região estão, aproximadamente, 60% das reservas de petróleo e 40% das reservas mundiais de gás natural. Sobre os países desta região e os conflitos envolvendo o golfo Pérsico, é correto afirmar:

  1. O país mais populoso da região do golfo Pérsico é o Irã que, em 1980, entrou em conflito com a Arábia Saudita, o menos populoso, por motivos religiosos. O irã, de maioria islâmica questionou a supremacia cristã doa Arábia Saudita sobre o petróleo da região.
  2. As riquezas do solo e do subsolo do golfo Pérsico, é a principal causa da instabilidade geopolítica regional, já que a disputa secular pelo domínio das jazidas de ouro e diamantes, que produziram a riqueza dos países da região, formaram uma rede de fronteiras artificiais onde os conflitos pela posse do território são constates.
  3. Forças do exército do Iraque, sob o comando do presidente Sadan Houssen, inciaram neste primeiro semestre de 2017 uma ofensiva aos membros do grupo terrorista Estado Islâmico (EI) em Tal Afar, cidade no norte do país e considerada um dos últimos redutos sob controle do califado no território iraquiano.
  4. Formados por uma confederação de monarquias árabes, cada uma detendo sua soberania, chamadas emirados (equivalentes a principados), os Emirados Árabes Unidos estão situados no norte da Península Arábica e fazem fronteira com Kuwait e com o Iemen.
  5. A chamada Guerra do Golfo, que aconteceu entre agosto de 1990 e fevereiro de 1991, teve início quando o presidente iraquiano Saddam Hussein acusou o Kuwait de praticar uma política de superextração de petróleo causando uma queda nos preços e prejudicando a economia iraquiana. Saddam também ressuscitou problemas antigos e exigiu indenização.

22. (Unicamp) Desde a queda do império comunista na Europa, nos anos 1989-1991, assiste-se a uma nova forma de messianismo político que consiste em impor o regime democrático e os direitos humanos pela força.

(Adaptado de Tzvetan Todorov, Os inimigos íntimos da democracia. São Paulo: Companhia das Letras, 2012, p. 55.)

O quadro descrito pelo texto pode ser analisado

  1. como herança das lutas anticoloniais exemplificada na organização em torno do Estado multiétnico, como ocorreu na África do Sul.
  2. como parte da nova ordem mundial sob a liderança dos EUA e seu poder bélico em regiões como a Síria e o Afeganistão.
  3. como o estabelecimento de um princípio que desestabiliza as lógicas internas de organização, como ocorreu no Iraque e na ex-Iugoslávia.
  4. como herança da Guerra Fria e como utilização da lógica militar que inviabiliza a adoção da democracia em regiões como a Ucrânia.

23. (UECE) Os árabes e os iranianos usam o acrônimo “Daash” ou “Daesh” que em inglês é ISIS “Islamic State in Iraq and Syria”, cuja tradução para o português é ‘Estado Islâmico no Iraque e na Síria’, para identificar um grupo que ocupou parte do leste da Síria e do oeste do Iraque. Esse grupo tem avançado violentamente contra curdos, xiitas e outros grupos étnicos, além de promover ataques terroristas e divulgar, na mídia, cenas de execuções de jornalistas ocidentais. Sobre as razões da origem do Estado Islâmico, é correto afirmar que

  1. tem como ponto de partida a invasão do Iraque pelos EUA e o consequente desmantelamento desse Estado.
  2. se originou nos campos de batalha do Afeganistão, com o financiamento do governo francês.
  3. foi criado pelo governo da Arábia Saudita, para manter os preços do petróleo favoráveis a este país.
  4. é um grupo criado como base de apoio do presidente sírio Bashar al-Assad.

24.(UFRGS) Desde 2011, a Síria tem sido palco de uma guerra civil entre o governo de Bashar al-Assad e vários grupos armados de oposição, com motivações ideológicas e políticas diversas.

Entre essas agrupações, uma das principais é o Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL), cuja meta é

  1. a formação de repúblicas democráticas e seculares na Síria e no Iraque.
  2. a instauração de um califado mundial com autoridade sobre todos os muçulmanos.
  3. a unificação do Iraque e da Síria sob um regime socialista e laico.
  4. o auxílio às forças ocidentais no combate ao fundamentalismo islâmico, no Oriente Médio.
  5. o apoio militar e político à ocupação norte-americana do Iraque e da Síria.

25. (Espm) Leia o texto:

Autoridades afegãs anunciaram a morte do mulá Mohammed Omar, líder do Talibã e aliado de Osama Bin Laden. A morte de Omar teria ocorrido em um hospital de Karachi, no Paquistão, em 2013. O Departamento de Estado Americano oferecia uma recompensa de US$ 10 milhões por informações que levassem à sua captura.

(www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/07)

O Talibã, grupo que era liderado pelo mulá Omar, é:

  1. um movimento fundamentalista islâmico xiita nascido no Irã;
  2. um movimento islâmico xiita e atua no Iraque;
  3. um movimento fundamentalista islâmico sunita que opera no Afeganistão e Paquistão;
  4. um movimento nacionalista curdo que enfrenta as forças do Estado Islâmico;
  5. um movimento fundamentalista islâmico que nasceu após a invasão norte-americana no Afeganistão, em 2001.

Você acredita que o gabarito esteja incorreto? Avise para a gente | Email ou WhatsApp



.