Home > Banco de Questões > História > Brasil República

República da Espada I (1889 a 1894)

Lista de 15 exercícios de História do Brasil com gabarito sobre o tema República da Espada (1889 a 1894) com questões de Vestibulares.

Confira as videoaulas, teoria e questões sobre: Brasil República.





1. (PUCCamp-SP) O projeto republicano baseado nas ideias dos filósofos a que o texto se refere teve ampla aceitação dentro do exército brasileiro. Na esfera política, o ideário positivista sustentava

  1. a ideia de um governo forte, excessivamente centralizado, uma verdadeira “ditadura republicana”.
  2. o princípio de que o poder público deve se transformar em um “mero acessório” ao poder privado.
  3. a defesa de um sistema de livre competição e liberdades individuais e a separação dos três poderes.
  4. a defesa do princípio da liberdade pública de decidir coletivamente os destinos políticos da nação.
  5. a ideia de um regime fundado na vontade geral e com a participação popular na “administração pública”.

2. (FEI-SP) Sobre a proclamação da República (1889), é correto afirmar:

  1. foi um movimento de caráter estritamente militar, já que os civis não foram “convidados” a participar e apenas conseguiram atingir a presidência após dois governos constitucionais militares: Deodoro e Floriano.
  2. Os militares tiveram um papel importante tanto na insatisfação em relação ao Império quanto na proclamação da República, mas a participação de elites regionais civis foi de fundamental importância para a consolidação do novo regime.
  3. A participação dos militares no movimento ilustra a vitória do grupo de Silva Jardim (os revolucionários) sobre o grupo de Quintino Bocaiúva (os evolucionários) na instituição do novo regime.
  4. A instituição do novo regime republicano foi fruto de um golpe militar, uma “quartelada” sem a participação das elites civis, mas com apoio da grande massa de ex-escravos recém libertada.
  5. Foi grande a resistência monarquista à proclamação da República, inclusive entre os próprios militares, que não se apresentaram unidos no apoio ao novo regime.

3. (UFV) A ideologia republicana ganhou força a partir de 1870, porque o desenvolvimento das relações de produção capitalista em andamento no Brasil exigia mudanças que o Império não podia realizar. Todavia, o Movimento Republicano não foi homogêneo; ele congregou diferentes segmentos sociais que,defendendo interesses específcos, opunham-se à continuidade do Império e ao atraso por ele representado. Dentre estes segmentos sociais NÃO se encontrava:

  1. o operariado; representado por líderes sindicais e políticos, que viam na consolidação da República a possibilidade de fortalecimento da sua organização.
  2. parte da oficialidade do Exército, ligada há ideologia positivista e que propunha a consolidação de uma república autoritária.
  3. a burguesia industrial, ligada á produção ainda incipiente de bens de consumo e interessada em garantir mais industrialização.
  4. a burguesia cafeeira do oeste paulista, interessada em promover a descentralização política como forma de garantir a ampliação do seu poder.
  5. a classe média dos centros urbanos, representada por ideólogos liberais, defensores de um sistema federativo nos moldes da Constituição Norte-Americana.

4. (Faap) A Constituição de 1891 estabeleceu, exceto

  1. federalismo.
  2. presidencialismo.
  3. ampliação da representatividade.
  4. eleições diretas.
  5. parlamentarismo.

5. (PUC-RS) Durante o Governo Republicano Provisório (1889- 1891), o Ministro da Fazenda, Rui Barbosa, põe em prática uma política econômica caracterizada pela emissão de papel-moeda e pelo aumento das tarifas alfandegárias para os produtos estrangeiros, visando promover o crescimento industrial. Essa política ficou conhecida como

  1. Plano de Metas.
  2. Convênio de Taubaté.
  3. Funding-loan.
  4. Salvacionismo.
  5. Encilhamento

6. (Pucpr) "(...) Concidadãos - o Governo Provisório, simples agente temporário da Soberania Nacional, é o governo da paz, da liberdade, da fraternidade e da ordem. No uso das atribuições e faculdades extraordinárias de que se acha investido (...) promete e garante a todos os habitantes do Brasil, nacionais e estrangeiros, a segurança da vida e da propriedade, o respeito aos interesses individuais e políticos, salvas as limitações exigidas pelo bem da prática e legítima defesa do governo proclamado pelo Povo, pelo Exército e pela Armada Nacional".

O texto acima inaugurou no Brasil:

  1. a República - 1889
  2. o Governo Militar - 1964
  3. a Independência - 1822
  4. o Segundo Reinado - 1831
  5. o Reino do Brasil – 1815

7. (UFRN) O movimento militar chefiado pelo marechal Deodoro da Fonseca, em 1889, proclamou a República no Brasil, implantando um modelo de governo que se declarava democrático. Décio Saes, ao estudar posteriormente esse movimento, afirma que a democracia nascente definia-se desde logo como uma democracia elitista e limitada, que correspondia a um refinamento da dominação de classe dos proprietários de terras no plano das instituições políticas, configurando um novo modelo de exclusão política.

SAES, Décio. Classe média e sistema político no Brasil. São Paulo: T. A. Queiroz, 1984.

Pode-se afirmar que a democracia da República Velha foi um novo modelo de exclusão política na medida em que, nesse período,

  1. implantou-se o federalismo, em que cada estado membro ganhava autonomia para eleger o governador do estado e os deputados, que deveriam ser grandes proprietários rurais.
  2. adotou-se como sistema de governo o presidencialismo, em que o presidente da República deveria escolher seus ministros entre os grandes cafeicultores paulistas.
  3. garantiu-se o direito de voto aos brasileiros do sexo masculino, maiores de 21 anos, excetuando analfabetos, mendigos, soldados e religiosos sujeitos à obediência eclesiástica.
  4. proclamou-se a independência entre o Estado e a Igreja, pondo fim ao regime do padroado, vigente no Império, embora fosse vetado o acesso de protestantes aos cargos públicos.

8. (FGV) "Heróis são símbolos poderosos, encarnações de ideias e aspirações... São, por isso, instrumentos eficazes para atingir a cabeça e o coração dos cidadãos a serviço da legitimação de regimes políticos... Os candidatos a herói não tinham, eles também, profundidade histórica, não tinham a estatura exigida para o papel. Não pertenciam ao movimento da propaganda republicana, ativa desde 1870... A busca de um herói para a República acabou tendo êxito onde não o imaginavam muitos dos participantes da proclamação".

CARVALHO, J. M. de, "A formação das almas." O imaginário da República no Brasil, São Paulo: Cia das Letras, p.55-57.

A escolha e a construção do principal herói da República recaíram sobre:

  1. Deodoro da Fonseca, devido à sua imensa popularidade, por ser um republicano histórico e um ferrenho adversário dos poderes monárquicos.
  2. Benjamin Constant, líder popular identificado com a causa operária, defensor do positivismo e um representante civil com amplo trânsito entre os militares.
  3. Duque de Caxias, grande comandante da Guerra do Paraguai, identificado com uma política centralizadora e patrono do Exército brasileiro.
  4. Bento Gonçalves, presidente da república rio-grandense e principal líder da revolta farroupilha do século XIX, considerado o patrono militar do republicanismo no Brasil.
  5. Tiradentes, militar e republicano transformado em mártir, cuja morte passou a ser associada ao sacrifício de Jesus Cristo.

09. (UFRN) A República da Espada teve início quando os militares lideraram o país politicamente entre os anos de 1889 a 1894. Assim que a Monarquia foi derrubada, o governo provisório do Marechal Deodoro da Fonseca guiou as decisões tomadas no Brasil naquele período. Um dos fatores que contribuiu para a ascensão dos militares ao poder no Brasil, logo no início da República, foi

  1. o apoio incondicional das oligarquias rurais e dos grandes cafeicultores paulistas, que tinham, em sua maioria, representantes no exército brasileiro.
  2. a vitória do Brasil na Guerra do Paraguai, que de uma certa forma fortaleceu o exército, que passou a exigir maiores saldos e maior participação política.
  3. a subvenção inglesa na implantação da República Brasileira interessada na expansão da Doutrina Monroe, que defendia o fim dos regimes monárquicos na América.
  4. a tendência latino-americana de estabelecer governos ditatoriais e militares, atrelados às concepções imperialistas e bolivarianas e, naturalmente, desvinculados da influência norte-americana.

10. (Mackenzie) O primeiro período da história republicana do Brasil, de 1889-1894, ficou conhecido como República da Espada, por ser marcado pela presença de governos militares dos marechais Deodoro da Fonseca (1889-1891) e Floriano Peixoto (1891-1894). Com relação a esse período considere as afirmativas abaixo.

I. A proclamação da República foi consequência da aliança entre os cafeicultores paulistas com o exército, para derrubar o império, embora os dois setores tivessem projetos políticos republicanos diferentes. Para proteger o novo regime, e permitir a instalação das instituições republicanas, instalou-se um governo forte, controlado pelos militares.

II. Após a instauração do regime republicano e a consolidação de suas instituições, rompeu-se o consenso entre cafeicultores e militares sobre a permanência do Exército no poder. Tanto o republicanismo radical quanto o positivismo republicano não possuíam bases sociais significativas para sustentá-los no poder.

III. A ascensão de Prudente de Morais encerrou o período da República da Espada, consagrando a vitória da oligarquia cafeeira. Porém, esse grupo passou a dar ênfase na modernização e na industrialização, para contar com o apoio das classes médias urbanas e demais grupos sociais que ameaçavam seu projeto político.

Assinale

  1. se somente a afirmativa I estiver correta.
  2. se somente a afirmativa II estiver correta.
  3. se somente a afirmativa III estiver correta.
  4. se somente as afirmativas I e III estiverem corretas.
  5. se somente as afirmativas I e II estiverem corretas.

11. (UEL) O Positivismo desenvolveu-se no Brasil durante o II Império e foi defendido por políticos ilustres como Benjamin Constant, Júlio de Castilho, Teixeira Mendes, marcando fortemente os ideais republicanos que culminaram com a Proclamação da República, em 1889.

Com base nos conhecimentos sobre as influências positivistas no processo de transição do regime imperial para o republicano, considere as afirmativas a seguir.

I. Como expressão mais forte dessas mudanças, o pavilhão imperial adotou o lema positivista.

II. A ideia de uma democracia representativa levou à adoção do sistema do voto universal, o que permitia a acomodação das classes sociais.

III. A presença do ideário positivista destacou-se no setor militar, sobretudo entre os oficiais de alta patente.

IV. A formação de um governo de cunho autoritário caracterizou-se pela imposição da ordem através da força militar, na chamada República de Espadas.

Assinale a alternativa correta.

  1. Somente as afirmativas I e II são corretas.
  2. Somente as afirmativas I e IV são corretas.
  3. Somente as afirmativas III e IV são corretas.
  4. Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
  5. Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.

12. (UNIMONTES) Os presidentes da República do Brasil, entre 1889 e 1894, eram militares. Esse período ficou historicamente conhecido como República da Espada. Acerca desse período, analise as afirmativas a seguir, considerandoas corretas (C) ou incorretas (I).

( ) O Marechal Deodoro da Fonseca, em seu Governo Provisório, foi apoiado pelo Partido Republicano Paulista e pelo Exército, extinguiu o Conselho de Estado, o Senado Vitalício e fechou a Câmara dos Deputados até as eleições para a Assembleia Constituinte.

( ) O Presidente Floriano Peixoto adotou, em seu governo, medidas econômicas liberais, como a diminuição das taxas de importação, liberação de empréstimos às empresas de capital estrangeiro e autorização de emissão de papel-moeda aos bancos particulares.

( ) A Revolta Federalista, movimento de caráter popular que eclodiu na região Oeste de São Paulo e se disseminou para Minas Gerais e Paraná, reivindicava garantias de trabalho e igualdade de salários aos trabalhadores urbanos e rurais nas três unidades federativas.

( ) A Revolta da Armada, ocorrida em 1893, foi deflagrada, entre outros fatores, pela resistência de alguns grupos militares, principalmente da Marinha, à ascensão política de civis e a algumas mudanças políticas promovidas pelo governo de Floriano Peixoto.

Assinale a alternativa que apresenta a sequência CORRETA, de cima para baixo:

  1. I, C, I, C.
  2. I, I, C, I.
  3. C, C, C, I.
  4. C, I, I, C.

13. (ESA) A Política de emissão de dinheiro em grande quantidade, que causou uma desenfreada especulação na Bolsa de Valores, durante o governo do marechal Deodoro da Fonseca, ficou conhecida como:

  1. Encilhamento.
  2. Crise de 1929.
  3. Crise Contestada.
  4. Queda do Banco do Brasil.
  5. Queda do Marechal de Ferro

14. (IFPR) Quase dois anos após a implantação da República, o Brasil não estava pacificado, nem o regime consolidado. Entre 1892-95, os gaúchos vivenciaram a Revolta Federalista, um conflito armado envolvendo latifundiários e estancieiros, quando mais de doze mil combatentes foram mortos. De um lado estavam os pica paus (usavam quepe em forma de uma ave bicuda), defensores de Castilho e do presidencialismo fortalecido, enquanto do outro, estavam os federalistas, chamados de maragatos (alguns eram uruguaios, descendentes de espanhóis de Maragateia, estabelecidos em solo rio grandense) sob a liderança do comandante Gumercindo Saraiva. Devido à gravidade, o conflito adquiriu âmbito nacional, ameaçando, além do poder estadual, o próprio regime republicano, por isso Floriano Peixoto enviou tropas legalistas contra os inimigos que, fugindo ao cerco, se deslocaram para o norte do estado, alcançando depois Santa Catarina e Paraná, onde foram detidos, frustrando sua tentativa de chegar à capital da República. Assinale a alternativa que apresenta o nome da forte resistência aos federalistas e que deu a vitória aos legalistas.

  1. Cerco da Misericórdia.
  2. Cerco de Canudos.
  3. Cerco da Lapa.
  4. Cerco das Araucárias.

15. (IFRR) Logo no início de seu Governo Provisório, o marechal Deodoro da Fonseca, assinou vários decretos, estabelecendo algumas inovações importantes.

Entre elas, podemos citar:

  1. a separação entre Igreja e o Estado.
  2. a abolição da escravatura.
  3. o fim dos castigos corporais nas Forças Armadas.
  4. a instituição do voto feminino.
  5. a ruptura de relações diplomáticas com a GrãBretanha.

Você acredita que o gabarito esteja incorreto? Avisa aí 😰| Email ou WhatsApp