Home > Banco de Questões > História > Idade Contempôranea

Revolução Chinesa

Lista de 10 exercícios de História com gabarito sobre o tema Revolução Chinesa com questões de Vestibulares.

Confira as videoaulas, teoria e questões sobre: História Geral.





01. (Fuvest) Na segunda metade do século XIX, em face do avanço do Ocidente na Ásia, a China:

  1. Tornou-se, como a Índia, uma colônia, com a única diferença de ser dominada por várias potências e não apenas pela Inglaterra.
  2. Reagiu, como o Japão, realizando, ao mesmo tempo, um processo de restauração imperial e de modernização econômica.
  3. Manteve, formalmente, seu estatuto de Império Celestial, mas ao preço de enormes perdas e concessões às potências ocidentais.
  4. Conseguiu fechar-se ao Ocidente graças à Rebelião Taiping, depois de derrotada pela Inglaterra na Guerra do Ópio.
  5. Resistiu vitoriosamente a todas as agressões do Ocidente até Pequim ser saqueada durante a Guerra dos Boxers

02. (UFRN) A China atravessava grandes dificuldades econômicas em 1966, quando Mao Tsé-tung deu início à Revolução Cultural, que se declarava contrária a “quatro velharias”: velhas ideias, velha cultura, velhos costumes e velhos hábitos”. Apesar de propagar transformações nessas áreas, a revolução Cultural foi também um movimento político, pois:

  1. fortaleceu o poder de Mao Tsé-tung, em razão da repressão aos líderes acusados de direitistas e do expurgo dos que faziam oposição ao grupo maoísta.
  2. possibilitou a consolidação da Guarda Vermelha no poder, a qual reimplantou o burocratismo, o autoritarismo e o nepotismo típico do modelo soviético.
  3. ampliou a influência do modelo soviético sobre o comunismo chinês, com o investimento de muitos capitais e contando com a cooperação de técnicos soviéticos no planejamento da economia.
  4. traçou uma nova diretriz para o país, com a qual Mao Tsé-tung buscava o desenvolvimento de relações internacionais que atraíssem capitais e empresas estrangeiras.

03. (UFRGS) Assinale com V (verdadeiro) ou F (falso) as afirmações abaixo, referentes República Popular da China.

( ) No final da década de 1950, o Partido Comunista Chinês contestou a hegemonia soviética sobre o bloco comunista, mas nunca rompeu diretamente com Moscou. ( ) A Grande Revolução Cultural perseguiu diversos intelectuais e tinha, como objetivo, depurar o Partido Comunista Chinês das propostas revisionistas. ( ) O líder Deng Xiaoping promoveu mudanças a partir de um plano de reformas que reestruturou a economia chinesa. ( ) A China, após as reformas econômicas, entrou em uma fase de crescimento acelerado, tornando-se a segunda potência econômica mundial. A sequência correta de preenchimento dos parênteses, de cima para baixo, é
  1. V – V – F – F.
  2. F – V – V – V.
  3. F – F – V – V.
  4. V – V – F – V.
  5. V – F – V – F.

04. (Unicamp-SP) No Ocidente, as relações de Mao Tsé-tung com o marxismo foram objeto de discussão. Alguns estudiosos questionaram se Mao era realmente um marxista, enquanto outros argumentaram que seu pensamento estava baseado no stalinismo e não acrescentava nada de novo no marxismo-leninismo. As ideias de Mao só foram reconhecidas internacionalmente pelo termo “maoísmo” depois da Revolução Cultural.

Adaptado de LAWRENCE, Alan. China under communism. Londres/Nova Iorque: Routledge, 2000, p.6.

O fato dos estudiosos ocidentais questionarem a filiação marxista dos ideais de Mao Tsé-tung estava relacionado:

  1. ao chamado conflito sino-soviético, que resultou na ruptura de relações entre China e URSS.
  2. à aliança de Mao e do Partido Comunista Chinês com Chang Kai-shek e o Kuomintang durante a II Guerra Mundial.
  3. à organização da Revolução Chinesa a partir de uma base camponesa e não operária.
  4. à Revolução Cultural e às críticas que surgiram à burocracia do Partido Comunista Chinês.

05. (UEM) “Em 1976, esgotava-se na China o fôlego da Revolução Cultural, iniciada em 1966. Nesse ano morria Mao Tsé-tung, seu principal idealizador. Em 1978, sob a liderança de Deng Xiaoping, o país começaria a flexibilizar o regime socialista. Buscava-se então uma difícil conciliação entre a abertura econômica em direção à economia de mercado e à preservação do regime político autoritário sob a hegemonia do Partido Comunista Chinês.”

(ARRUDA, J. J. de A. e PILETTI, N. Toda a História. São Paulo: Ática, 2003. p. 465.)

A respeito da História da China, assinale a alternativa correta.

  1. Mao Tsé-Tung chegou ao poder por meio da revolução armada de orientação socialista que ficou conhecida como revolução cultural.
  2. O denominado Grande Salto para a Frente, realizado pela Revolução Chinesa ocorreu quando Mao-Tsé Tung conduziu a China ao capitalismo.
  3. A abertura econômica iniciada a partir de 1978 com Deng Xiaoping promoveu um intenso desenvolvimento da China que a coloca, hoje, entre as maiores economias do planeta.
  4. A abertura econômica iniciada por Deng Xiaoping estendeu-se também à política e, hoje, a China vive uma democracia semelhante aos países do Ocidente europeu.
  5. Mesmo tendo uma população superior a 1,3 bilhão de habitantes, a China constituiu-se no maior exportador de alimentos do planeta.

06. (FCC) Em outubro de 1949, Mao Tsé-tung, derrotando os nacionalistas, proclamou a República Popular da China. No interior do chamado campo socialista esse fato foi de suma importância, uma vez que:

  1. A Revolução possibilitou a criação, em 1950, do bloco de Estados desvinculados dos blocos geopolíticos da Guerra Fria: os Países Não Alinhados.
  2. O mundo vivenciava plenamente a Guerra Fria e, naquele contexto, a adesão da China representou uma grande vitória para o socialismo.
  3. A Revolução Socialista Chinesa, no auge da Guerra Fria, quase precipitou o mundo em uma nova guerra nuclear entre os blocos capitalista e socialista.
  4. A conversão da China ao sistema socialista, no contexto da Guerra Fria, retraiu os Movimentos Nacionais pela Libertação dos países no Oriente Médio.

07. (FGV-SP) A Grande Marcha empreendida nos anos 30 por Mao Tsé-tung e seus seguidores foi:

  1. uma fuga dos contingentes comunistas que estavam sendo perseguidos pelas tropas do Kuomitang.
  2. uma fuga dos seguidores de Mao perseguidos pelas tropas japonesas que invadiram a Manchúria.
  3. uma tentativa das tropas comunistas de cortar as linhas de abastecimento das tropas nacionalistas.
  4. uma tentativa das tropas de Mao de cercar as tropas japonesas que haviam invadido a Manchúria e o norte da China.
  5. a marcha empreendida pelos comunistas sobre Nankim para derrotar as tropas do Kuomitang.

08. (FGV) Com a rendição do Japão aos aliados, em 1945, reiniciou-se a Guerra Civil na China. O governo dirigido por Chiang Kai-Shek, chefe da facção de direita conhecida como nacionalista, recebeu ajuda norte-americana mas não conseguiu deter a ofensiva político-militar dos comunistas chineses, liderados por Mao Tse-Tung. Os comunistas entraram em Pequim em janeiro de 1949 e, no dia 1º de outubro, proclamaram a República Popular da China. (Myrian Becho Mota e Patrícia Ramos Braick, História: das cavernas ao terceiro milênio)

Entre as especificidades guardadas pela revolução chinesa, vitoriosa em 1949, é possível apontar:

  1. A ausência de um partido comunista forte e atuante, a neutralidade das potências mundiais e o apoio do exército japonês aos revolucionários.
  2. A ausência de um partido comunista organizado nacionalmente, o apoio decisivo de Cuba e a defesa do socialismo por meio da via parlamentar.
  3. A construção de uma ordem socialista associada a preceitos capitalistas, a presença de brigadas internacionais e o apoio militar da Índia.
  4. A presença de uma guerra de longa duração, a progressão lenta do poder local ao poder central e a decisiva participação dos camponeses.
  5. A manutenção da propriedade privada, a restauração da monarquia na China e a presença de tropas revolucionárias da Iugoslávia e da Albânia.

09. (Fuvest)

A fotografia acima, tirada em Beijing, China, em 1989, pode ser identificada, corretamente, como

A fotografia acima, tirada em Beijing, China, em 1989, pode ser identificada, corretamente, como

  1. reveladora do sucateamento do exército chinês, sinal mais visível da crise económica que então se abateu sobre aquela potência comunista.
  2. emblema do conflito cultural entre Ocidente e Oriente, que resultou na recuperação de valores religiosos ancestrais na China.
  3. demonstração da incapacidade do Partido Comunista Chinês de impor sua política pela força, já que o levante daquele ano derrubou o regime.
  4. montagem jornalística, logo desmascarada pela revelação de que o homem que nela aparece é chinês, enquanto os tanques são soviéticos.
  5. símbolo do confronto entre liberdade de expressão e autoritarismo político, ainda hoje marcante naquele país.

10. (UERJ) CAMPOS DE “REEDUCAÇÃO PELO TRABALHO” NA CHINA: A MUDANÇA DE UM SISTEMA DE OPRESSÃO POR OUTRO

A extinção do sistema chinês de campos de “reeducação pelo trabalho” (RTL) arrisca não ser mais do que uma mudança cosmética. “Abolir o sistema de RTL é um passo na direção certa. Mas há agora indicadores de que isto é apenas para desviar as atenções públicas dos abusos cometidos naqueles campos, onde a tortura é uma prática sistemática. É claro que as políticas subjacentes de castigar pessoas pelas suas atividades políticas ou pelas suas crenças religiosas não mudaram. Os abusos e a tortura continuam na China, apenas assumiram uma expressão diferente”, sustenta a perita Corinna Barbara Francis, da Anistia Internacional.

Adaptado de amnistia-internacional.pt, 17/12/2013.

Nas últimas quatro décadas, o sistema político chinês vem evoluindo de forma muito lenta, se comparado às grandes mudanças econômicas observadas no país.

A prática mencionada no texto foi intensamente utilizada no momento da história chinesa denominado:

  1. Longa Marcha
  2. Guerra do Ópio
  3. Revolução Cultural
  4. Levante dos Boxers

Oi, aqui é o criado do Projeto Agatha. Você pode responder a uma pesquisa rápida? Ela vai ajudar no meu Projeto de Iniciação Científica da faculdade (IFNMG). É só clicar nessa barrinha.

Você acredita que o gabarito esteja incorreto? Avise para a gente | Email ou WhatsApp



.