Home > Banco de Questões > História > Simulados

Pré-História III

Lista de 15 exercícios de História com gabarito sobre o tema Pré-História com questões de Vestibulares.



1. (FATEC) A forma como as sociedades organizam as suas atividades produtivas se transforma ao longo do tempo e vem marcando mudanças históricas importantes.

Na transição do período Paleolítico para o período Neolítico, observam-se importantes mudanças na organização produtiva como, por exemplo

  1. o término do sistema de plantation.
  2. a formação das corporações de ofício.
  3. a construção de núcleos urbanos feudais.
  4. o início das grandes organizações sindicais.
  5. o surgimento da agricultura de subsistência.

2. (UNESP) Examine duas pinturas produzidas na Caverna de Altamira, Espanha, durante o Período Paleolítico Superior.

Tais pinturas rupestres podem ser consideradas como

  1. manifestação do primitivismo de povos incapazes de representações realistas.
  2. expressão artística infantilizada e insuficiente para fornecer qualquer indício sobre a vida na Pré-História.
  3. comprovação do pragmatismo de povos primitivos, despreocupados de sua alimentação.
  4. representação, em linguagem visual, dos vínculos materiais de um povo com o seu ambiente.
  5. revelação da predominância do pensamento abstrato sobre o concreto nos povos pré-históricos.

3. (UEMA) Arte rupestre é o mais antigo tipo de arte da História. Também é conhecida como gravura ou pintura rupestre. Esse tipo de arte teve início no período Paleolítico Superior e é encontrada em todos os continentes. O estudo da arte rupestre favoreceu o conhecimento de pesquisadores em relação aos hábitos dos povos da Antiguidade e a sua cultura. As matérias-primas utilizadas para a expressão artística dos povos da antiguidade eram pedras, ossos e sangue de animais. O sangue, assim como o extrato de folhas de árvores, era utilizado para tingir, constituindo o que devem ser as mais primitivas expressões artísticas, conforme a imagem abaixo.

Durante muito tempo, os povos que assim se expressavam foram conhecidos como Pré-históricos. Essa denominação, hoje em desuso entre a maioria dos historiadores, mas ainda presente nos livros didáticos, está diretamente relacionada ao fato de esses povos

  1. desconhecerem a escrita.
  2. manterem relações comerciais.
  3. viverem sob a forma de Estado.
  4. dominarem as técnicas agrícolas.
  5. ocuparem as margens dos grandes rios.

4. (UEA) Leia o texto e observe a imagem para responder à questão.

Com o tempo, os agricultores amazônicos tornaram-se grandes ceramistas e desenvolveram culturas complexas e sofisticadas. Por seus objetos, podemos observar que eram povos dotados de uma imaginação poderosa, grandes artistas.

Uma de suas principais tradições cerâmicas, segundo os arqueólogos, desenvolveu-se sobretudo ao longo dos rios Tapajós e Konduri. Seu centro parece ter se localizado onde hoje está a cidade de Santarém. Quase nada sabemos sobre o povo de Santarém. Talvez tenham vivido há uns 2 mil anos, talvez pertençam à época mais recente e sejam antepassados dos índios tapajós.

O texto demonstra que o trabalho da arqueologia

    o
  1. formula hipóteses e apoia-se em indícios materiais, embora alcance somente conhecimentos incompletos sobre o passado de povos sem escrita.
  2. prioriza as informações sobre as crenças religiosas e os valores morais para compreender os elos entre as famílias pré-históricas.
  3. consegue determinar com certeza e precisão os hábitos e os costumes dos povos que deixaram apenas vestígios materiais.
  4. depende principalmente de registros pictográficos para caracterizar o cotidiano das famílias que viveram na pré-história.
  5. valoriza a escrita dos povos pré-históricos e descarta outros vestígios materiais para compreender suas relações políticas e sociais.

5. (UEA) Leia o texto e observe a imagem para responder à questão.

Com o tempo, os agricultores amazônicos tornaram-se grandes ceramistas e desenvolveram culturas complexas e sofisticadas. Por seus objetos, podemos observar que eram povos dotados de uma imaginação poderosa, grandes artistas.

Uma de suas principais tradições cerâmicas, segundo os arqueólogos, desenvolveu-se sobretudo ao longo dos rios Tapajós e Konduri. Seu centro parece ter se localizado onde hoje está a cidade de Santarém. Quase nada sabemos sobre o povo de Santarém. Talvez tenham vivido há uns 2 mil anos, talvez pertençam à época mais recente e sejam antepassados dos índios tapajós.

A difusão da cerâmica entre alguns dos primeiros grupos habitantes da Amazônia

    o
  1. revela o precário estágio de desenvolvimento tecnológico desses grupos, que provavelmente desconheciam o uso do fogo.
  2. confirma o caráter nômade desses grupos, pois os vestígios indicam com exatidão os períodos em que viveram em cada localidade.
  3. deriva do aprendizado de técnicas de artesanato, que provavelmente ocorreu nos contatos frequentes com povos estabelecidos nos Andes.
  4. relaciona-se ao domínio da agricultura, pois os potes provavelmente eram utilizados para transportar, guardar ou cozinhar mantimentos.
  5. associa-se ao esforço desses habitantes, que provavelmente não conheciam a escrita, para legar informações históricas a seus sucessores.

6. (UFGD) A chamada Revolução Neolítica é caracterizada por

  1. maior dependência das populações humanas em relação às atividades de subsistência ligadas à caça e à coleta; predomínio de religiões monoteístas no Velho Mundo; crescimento dos centros urbanos; desenvolvimento da metalurgia.
  2. menor dependência das populações humanas em relação à natureza; acúmulo de capital cultural; aumento do nomadismo entre os grupos agricultores em todo o mundo.
  3. maior complexidade econômica e social dos grupos humanos; depopulação; surgimento de religiões monoteístas; menor dependência em relação às atividades ligadas à caça e à coleta.
  4. aumento demográfico; domesticação de animais e plantas; acúmulo de capital cultural; popularização de artefatos de ferro; domínio de técnicas da navegação de cabotagem.
  5. desenvolvimento da agricultura; processo de sedentarização; crescimento populacional; surgimento gradativo de vilas e cidades.

7. (UPE) Entre os nômades, o trabalho não tem o mesmo valor que nas sociedades agrárias. Os índios Ianomâmi, da Amazônia desenvolvem suas atividades, em média, três horas por dia e não valorizam o trabalho nem o progresso tecnológico. Os Guaiaqui, caçadores nômades da floresta paraguaia, passam, pelo menos, metade do dia em completa ociosidade. Quanto ao desenvolvimento social, do pensar e do fazer dos primeiros humanos, é CORRETO afirmar que a

  1. produção de novas ferramentas de pedra polida foi a transformação mais importante ocorrida nesse período.
  2. fabricação de ferramentas e a utilização do fogo evidenciam que a sobrevivência humana não está diretamente relacionada à adaptação cultural do homem.
  3. abundância de recursos animais e vegetais promoveu a sedentarização do homem.
  4. capacidade de conseguir mais alimentos deu ao homem menor controle sobre o meio ambiente.
  5. troca da caça e da coleta pela agricultura ocorreu de maneira súbita.

8. (EMESCAM) “Neandertais já usavam ervas medicinais”. Pesquisadores do Reino Unido, liderados pela arqueóloga Karen Hardy, da Universidade de York, analisaram o tártaro acumulado nos dentes fossilizados de um indivíduo dessa espécie e encontraram traços de camomila, mil-folhas e outras plantas que não puderam ser identificadas... A camomila é utilizada hoje na forma de infusão (chá) para acalmar os nervos. “A Tribuna - Ciência e Tecnologia - 21 de julho de 2012”.

Acerca do Homo neanderthalensis pode-se afirmar que

  1. possuía volume craniano muito menor do que os seres humanos modernos, com a maior parte do volume do crânio concentrada na região occipital.
  2. sofreu irradiação para a Europa e oeste da Ásia a partir de linhagens asiáticas do hominídeo Homo rudolfensis, do grupo erectus.
  3. as características físicas do Homo neanderthalensis, como o corpo e os membros longos e afilados, indicavam uma adaptação ao clima frio da Europa, na época em que lá viveram.
  4. antecedeu o Homo ergaster cujas linhagens, na África, por volta de 200 mil anos atrás, possivelmente originou a espécie humana moderna, o Homo sapiens.
  5. habitava a Europa e Oriente Médio e se extinguiu, aproximadamente, entre 30 mil e 27 mil anos atrás devido à chegada de populações de Homo sapiens.

9. (IFPE) Convencionou-se chamar de Pré-História o período que compreende do surgimento dos primeiros hominídeos à invenção da escrita. Durante esse longo espaço de tempo, o homem passou por transformações, tanto físicas quanto culturais, que foram determinantes no processo evolutivo da humanidade, desde sua origem até a sua organização em complexas sociedades. Sobre a Pré-História, analise as proposições que seguem.

I. De acordo com a Teoria da Evolução das Espécies, de Charles Darwin, as linhagens dos humanos e dos demais primatas (chimpanzés, gorilas, etc) compartilharam um ancestral comum que, em algum momento do processo de evolução, gerou ramos evolutivos diferentes.

II. No período conhecido como Paleolítico (Período da Pedra Lascada), os homens desenvolveram técnicas de fabricação de ferramentas, utilizando materiais como madeira, pedras e metais.

III. O Paleolítico é o período da Pré-História em que os homens não tinham conhecimentos sobre a natureza, sendo, por isso, caçadores e coletores, pois retiravam diretamente do meio os recursos necessários à sua sobrevivência.

IV. No Neolítico, ocorreu a chamada Revolução Agrícola, que se caracterizou pelo conhecimento humano de técnicas de agricultura e domesticação de animais, tornando-se o homem mais autônomo em relação à natureza.

V. Os estudos da evolução do homem e da cultura material da Pré-História só são possíveis devido aos achados arqueológicos que, depois de datados e contextualizados, permitem aos estudiosos refletirem sobre diversos aspectos da vida humana nesse período.

Estão corretas, apenas:

  1. I, III e V
  2. I, II e III
  3. I, III, IV e V
  4. II, III, IV e V
  5. I e IV

10. (UNEB) Milhares de operários se movem como enxames de abelhas por todo o canteiro de obras da pirâmide, que acabará sendo a tumba de Quéops (ou Khufu, em egípcio antigo), arrastando as pedras gigantes para suas posições, verificando e reverificando seu alinhamento. A estrutura está quase concluída. Logo as camadas superiores de blocos de pedra estarão no lugar, e a pirâmide estará totalmente revestida de pedra calcária. A ideia dominante sustenta que eles construíram uma rampa interna para transportar os blocos de calcário sucessivamente para posições mais altas na estrutura. A evidência indica que ele empregou trabalhadores de elite que não só assentaram as pedras de calcário polidas da pirâmide, transportadas de Tura, mas também navegaram em missões comerciais para terras distantes, como Wadi el-Jarf, no Mar Vermelho, às minas de cobre, na Península do Sinai de onde extraíram o metal para produzir ferramentas. A infraestrutrura, conjugada com um sistema de governo em que o faraó detinha o poder absoluto e era considerado um Deus, foi o segredo do sucesso egípcio para construir a Grande Pirâmide e gerar imensas riquezas por séculos vindouros. Operários precisavam de ferramentas de cobre, fabricadas a partir da mistura desse metal com estanho para construir as pirâmides. Mas obter esse metal era extremamente trabalhoso. A maioria dos faraós conseguiu organizar uma única expedição de extração de cobre. Quéops, no entanto, reuniu os recursos para realizar, pelo menos, duas. As pirâmides eram consideradas a segunda casa dos faraós. Em seu interior eram colocados todos os pertences, como ouro, prata e objetos de valor, pois eles acreditavam que, após a morte, reviveriam, o que explica o fato de serem embalsamados.

(ZORICH, 2015, p. 26-33).

No processo de embalsamamento, primeiramente, os embalsamadores removiam o cérebro através das narinas, depois faziam uma incisão na lateral do corpo e retiravam o fígado, os pulmões, o estômago e os intestinos, que eram preservados em natrão e resina, e, posteriormente, colocados em canopos, espécie de vasos, que tinham cabeças de deuses guardiões.

Considerando-se essas informações, é correto afirmar que, durante o processo de embalsamamento, era introduzido, no interior dos corpos,

  1. muita água para proporcionar o desenvolvimento de bactérias aeróbicas que, por apresentarem intenso metabolismo, asseguravam a preservação dos tecidos moles.
  2. muito sal, promovendo a desidratação e inviabilizando a proliferação de micro-organismos decompositores.
  3. álcool para que os tecidos pudessem ser hidratados, preservando intactas suas características morfológicas e fisiológicas.
  4. detergentes para emulsificar as paredes celulares, impedindo as trocas entre as células e o meio.
  5. soluções altamente hipotônicas promovendo a desidratação dos tecidos e inviabilizando a proliferação de organismos parasita e comensais.


.