Home > Banco de Questões > História > Brasil Império >

Independência Do Brasil I

Lista de 10 exercícios de História do Brasil com gabarito sobre o tema Independência Do Brasil com questões do Enem e Vestibulares.

Confira as videoaulas, teoria e questões sobre: Brasil Império .





1. (Enem) No tempo da independência do Brasil, circulavam nas classes populares do Recife trovas que faziam alusão à revolta escrava do Haiti:

Marinheiros e caiados

Todos devem se acabar,

Porque só pardos e pretos

O país hão de habitar.

AMARAL, F. P. do. Apud CARVALHO, A. Estudos Pernambucanos. Recife: Cultura Acadêmica, 1907.

O período da independência do Brasil registra conflitos raciais, como se depreende:

  1. dos rumores acerca da revolta escrava do Haiti, que circulavam com a população escrava e entre os mestiços pobres, alimentando seu desejo de mudança.
  2. da rejeição aos portugueses, brancos, que significava a rejeição à metrópole, como ocorreu na Noite das Garrafadas.
  3. do apoio que escravos e negros forros deram à monarquia, com a perspectiva de receber sua proteção contra as injustiças do sistema escravista.
  4. do repúdio que os escravos trabalhadores dos portos demonstravam contra os marinheiros, porque estes representavam a elite branca opressora.
  5. da expulsão de vários líderes negros independentistas, que defendiam a implantação de uma república negra, a exemplo do Haiti.

2. (Mackenzie) A independência brasileira é fruto mais de uma classe do que da nação tomada em seu conjunto.

Caio Prado Jr.

Identifique a alternativa que justifica e complementa o texto.

  1. A independência foi liderada pelas camadas populares e acompanhada de profundas mudanças sociais.
  2. O movimento da independência foi uma ação da elite, preservando seus interesses e privilégios.
  3. Os vários segmentos sociais uniram-se em função da longa Guerra de Independência.
  4. Os setores médios urbanos comandaram a luta, fazendo prevalecer o modelo político dos radicais liberais.
  5. A aristocracia rural não temia a participação da massa escrava no processo, extinguindo a escravidão logo após a independência.

3. (Unifesp) Realizada a emancipação política em 1822, o Estado no Brasil:

  1. surgiu pronto e acabado, em razão da continuidade dinástica, ao contrário do que ocorreu com os demais países da América do Sul.
  2. sofreu uma prolongada e difícil etapa de consolidação, tal como ocorreu com os demais países da América do Sul.
  3. vivenciou, tal como ocorreu com o México, um longo período monárquico e uma curta ocupação estrangeira.
  4. desconheceu, ao contrário do que ocorreu com os Estados Unidos, guerras externas e conflitos internos.
  5. adquiriu um espírito interior republicano muito semelhante ao argentino, apesar da forma exterior monárquica.

4. (UPF) Independência do Brasil:

A Independência do Brasil, em 1822, foi fruto de uma série de fatores cujo ponto de partida se pode localizar na vinda da família real para o Brasil, em 1808. Com a Corte no Brasil e a sede da monarquia para cá transmutada, deflagrou-se uma verdadeira inversão de papéis, tornando-se Portugal uma “colônia de uma colônia sua”. A tentativa de Portugal de reverter essa situação e tornar-se novamente metrópole do Brasil foi revelada de forma mais contundente através da:

  1. Inconfidência Mineira, de 1789.
  2. Revolução do Porto, de 1820
  3. Revolução Pernambucana, de 1817.
  4. Revolução Francesa, de 1789.
  5. Revolução Praieira, de 1848.

5. (ENEM) A transferência da corte trouxe para a América portuguesa a família real e o governo da Metrópole. Trouxe também, e sobretudo, boa parte do aparato administrativo português. Personalidades diversas e funcionários régios continuaram embarcando para o Brasil atrás da corte, dos seus empregos e dos seus parentes após o ano de 1808.

NOVAIS, F. A.; ALENCASTRO, L. F. (Org.). História da vida privada no Brasil. São Paulo: Cia. das Letras, 1997.

Os fatos apresentados se relacionam ao processo de independência da América portuguesa por terem:

  1. incentivado o clamor popular por liberdade
  2. enfraquecido o pacto de dominação metropolitana.
  3. motivado as revoltas escravas contra a elite colonial.
  4. obtido o apoio do grupo constitucionalista português.
  5. provocado os movimentos separatistas das províncias.

6. (FGV) Com relação à África portuguesa, a emancipação política do Brasil em 1822:

  1. provocou fortes reações nas elites angolanas, a ponto de alguns setores manifestarem interesse em fazer parte do Império Brasileiro.
  2. acarretou a suspensão definitiva do tráfico negreiro como uma forma de retaliação do governo português contra sua ex-colônia.
  3. levou ao aparecimentos de movimentos pela independência em Angola e Moçambique, que só se tornariam vitoriosos ao final do século XIX.
  4. levou a Coroa portuguesa a implementar regimes de segregação racial em suas possessões africanas, inspirados na experiência inglesa na África do Sul.
  5. provocou o desinteresse português na manutenção dos seus domínios no ultramar e o abandono dessas possessões a outras potências europeias.

7. (Enem PPL) É hoje a nossa festa nacional. O Brasil inteiro, da capital do Império a mais remota e insignificante de suas aldeolas, congrega-se unânime para comemorar o dia que o tirou dentre as nações dependentes para colocá-Io entre as nações soberanas, e entregou-lhe os seus destinos, que até então haviam ficado a cargo de um povo estranho.

Gazeta de Notícias, 7 set. 1883.

As festividades em torno da Independência do Brasil marcam o nosso calendário desde os anos imediatamente posteriores ao 7 de setembro de 1822. Essa comemoração está diretamente relacionada com

  1. a construção e manutenção de símbolos para a formação de uma identidade nacional.
  2. o domínio da elite brasileira sobre os principais cargos políticos, que se efetivou logo após 1822.
  3. os interesses de senhores de terras que, após a Independência, exigiram a abolição da escravidão.
  4. o apoio popular às medidas tomadas pelo governo imperial para a expulsão de estrangeiros do país.
  5. a consciência da população sobre os seus direitos adquiridos posteriormente à transferência da Corte para o Rio de Janeiro.

08. (Unesp) Sobre o processo de independência da colônia portuguesa na América, no inicio do século xix, é correto afirmar que:

  1. Foi liderado pela elite do comércio local, por intermédio de acordos que favoreceram colonizados e a antiga metrópole.
  2. A ruptura com a metrópole europeia provocou reações, como guerras entre portugueses e brasileiros em algumas províncias.
  3. Os acordos comerciais com a Inglaterra garantiram o comércio portugueses de escravos para a agricultura brasileira.
  4. A vinda da Família Real limitou o comércio de exportação para portugueses e ingleses, assegurando o monopólio da metrópole.
  5. As antigas colônias espanholas, recém-emancipadas, auxiliaram os brasileiros nas guerras contra a metrópole portuguesa.

09. (Fuvest) Na edição de julho de 1818 do Correio Braziliense, o jornalista Hipólito José da Costa, residente em Londres, publicou a seguinte avaliação sobre os dilemas então enfrentados pelo Império português na América:

A presença de S.M. [Sua Majestade Imperial] no Brasil lhe dará ocasião para ter mais ou menos influência naqueles acontecimentos; a independência em que el-rei ali se acha das intrigas europeias o deixa em liberdade para decidir-se nas ocorrências, segundo melhor convier a seus interesses. Se volta para Lisboa, antes daquela crise se decidir, não poderá tomar parte nos arranjamentos que a nova ordem de coisas deve ocasionar na América.

Nesse excerto, o autor referia-se:

  1. aos desdobramentos da Revolução Pernambucana do ano anterior, que ameaçara o domínio português sobre o centro-sul do Brasil.
  2. às demandas da Revolução Constitucionalista do Porto, exigindo a volta imediata do monarca a Portugal.
  3. à posição de independência de D. João VI em relação às pressões da Santa Aliança para que interviesse nas guerras do rio da Prata.
  4. às implicações que os movimentos de independência na América espanhola traziam para a dominação portuguesa no Brasil.
  5. ao projeto de D. João VI para que seu filho D. Pedro se tornasse imperador do Brasil independente.

10. (UEMG) “Ouvi, ó Povos, o grito, Que vamos livres erguer; O Brasil sacode o jugo, Independência ou Morrer. Congresso opressor jurara Nossos povos abater: Em seu despeito amamos Independência ou Morrer. Depois de trezentos anos Livre o Brasil vai viver: Deve a Pedro a Liberdade, Independência ou morrer.”

(“Independência ou morrer”. Poesia anônima, publicada pela Tipografia do Diário no ano de 1822, Rio de Janeiro. Apud: CARVALHO, José Murilo de, BASTOS, Lúcia & BASILE, Marcelo (Orgs.). Guerra literária: panfletos da Independência (1820-1823). Belo Horizonte: Editora UFMG, 2014, 257-258. 4 v.)

No cenário político em que a poesia acima foi elaborada, as relações entre Brasil e Portugal agravaram-se devido à/ao

  1. tentativa das Cortes portuguesas de recolonizar o Brasil.
  2. objetivo das elites brasileiras de expulsar o Príncipe Regente.
  3. expectativa dos liberais portugueses em fortalecer o Absolutismo.
  4. esforço dos deputados escravistas para criar a Constituição cidadã.

Você acredita que o gabarito esteja incorreto? Avisa aí 😰| Email ou WhatsApp