Home > Banco de Questões > História > Brasil República

Revolta do Forte de Copacabana ou 18 do Forte

Lista de 10 exercícios de História do Brasil com gabarito sobre o tema Revolta do Forte de Copacabana ou 18 do Forte com questões de Vestibulares.

Confira as videoaulas, teoria e questões sobre: Brasil República.





01. (ACAFE) “No dia seguinte, centenas deles se entregaram, atendendo a um apelo do governo. Um grupo se dispôs, porém, a resistir. O forte voltou a ser bombardeado por mar e por aviões. Dezessete militares, com a adesão ocasional de um civil, decidiram sair pela praia de Copacabana, ao encontro das forças governamentais. Na troca de tiros, morreram dezesseis, ficando feridos os tenentes Siqueira Campos e Eduardo Gomes. Os Dezoito do Forte começavam a criar a legenda do tenentismo. ”

FAUSTO, Boris. História do Brasil. 5ª edição. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1997. Página 308.

O texto evidencia uma revolta do movimento tenentista brasileiro. Acerca desse movimento, assinale a alternativa correta.

  1. A Revolta do Forte de Copacabana foi uma tentativa de impedir a posse de Humberto Castelo Branco após a efetivação do regime militar no Brasil.
  2. Combateram principalmente o governo provisório de Getúlio Vargas e exigiam a criação de uma nova constituição.
  3. As principais revoltas tenentistas ocorreram após a implantação do Estado Novo por Getúlio Vargas, com o apoio de militares de alta patente.
  4. Ocorreu na chamada República Velha ou Oligárquica. Buscavam mudanças no cenário político, administrativo e eleitoral do Brasil.

02. (FGV) 7 de julho [1922] – Com um saldo de 17 mortos, todos entre os rebeldes, tropas leais ao presidente Epitácio Pessoa sufocaram hoje uma revolta de oficiais que há dois dias haviam tomado o Forte de Copacabana. Eles protestavam contra o fechamento do Clube Militar e a prisão de seu presidente (e também ex-presidente da República) Hermes da Fonseca.

(Jayme Brener, Jornal do século XX)

Sobre o tenentismo, é correto afirmar que:

  1. apesar das divergências ideológicas em relação às correntes revolucionárias – como o anarquismo, o movimento dos oficiais fez uma série de alianças com o movimento operário, como na greve geral de 1917.
  2. esse movimento não tinha uma clara proposta de reformulação política e defendia um poder centralizado e a purificação das instituições republicanas, além da diminuição do poder das oligarquias regionais.
  3. foi um movimento inspirado no nazifascismo, que defendia o fortalecimento das instituições liberais-democráticas, como as eleições gerais e diretas, ao mesmo tempo em que apoiavam o federalismo.
  4. teve como principal liderança em São Paulo o capitão Luis Carlos Prestes, mais tarde organizador da Ação Integralista Brasileira – AIB, defensor de uma ordem centralizada e de uma economia internacionalizada.
  5. a ação de julho de 1922 foi contida com facilidade pelas tropas leais ao governo federal e se constituiu na única ação importante relacionada com os militares rebeldes, que passaram a apoiar uma saída negociada para a crise.

03. (ESA) No dia 05 de julho de 1922, jovens oficiais resolveram abandonar o forte e marchar pela praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, para enfrentar as forças legalistas.

Esse episódio, conhecido como “os 18 do Forte”,

  1. provocou, imediatamente, a queda do último presidente da República do “Café-com Leite”
  2. provocou a renúncia do Presidente Artur Bernardes.
  3. levou o Governo Federal a transferir a Escola de Formação de Oficiais do Rio de Janeiro para Porto Alegre.
  4. deu início a um período ditatorial, interrompido apenas com a Revolução de 1930.
  5. originou o movimento denominado de Tenentismo

04. (UNIMONTES) Está correndo mundo a história da conspiração na marinha. Ao que se sabe, os conspiradores pretendiam depor o governo. O plano era, como se vê, de uma extrema simplicidade e os fins de uma perfeita política. O nosso sistema eleitoral faz a mesma coisa. (...) Os oficiais da marinha não conseguiram seus fins e vão ser punidos. Se há probidade na justiça deste país, eles deveriam pedir que a pena em que incorrerem seja extensiva a todos os cidadãos que fizeram eleições para substituir governos. A conspiração dos marinheiros não derramou sequer uma gota de sangue, ao passo que nas eleições são incontáveis as vítimas que pagam com a vida a honra de substituir homens por homens deixando as coisas piores do que dantes.

(Revista Careta, nº 731, ano XV, 24-6-1922, p. 16.)

O texto faz alusão à/ao

  1. Movimento dos marinheiros do Rio de Janeiro, envolvendo oficiais e marujos, que reivindicava o fim dos abusivos castigos corporais.
  2. Revolta da Armada, liderada por altos oficiais que reivindicavam imediatas eleições presidenciais.
  3. Revolta dos 18 do Forte de Copacabana, no contexto dos movimentos tenentistas e antioligárquicos.
  4. Revolta Paulista, encabeçada por diversos oficiais da marinha e do exército, tendo como principal objetivo a deposição do presidente republicano.

05. (ACAFE) Em 05 julho de 1922 eclodiu a Revolta do Forte de Copacabana, na cidade do Rio de Janeiro. “A revolta não se estendeu a outras unidades. No dia seguinte, centenas deles se entregaram, atendendo a um apelo do governo. Um grupo se dispôs, porém, a resistir. O forte voltou a ser bombardeado por mar e por aviões. Dezessete militares, com a adesão ocasional de um civil, decidiram sair pela praia de Copacabana, ao encontro das forças governamentais. Na troca de tiros, morreram dezesseis, ficando feridos os oficiais Siqueira Campos e Eduardo Gomes”.

(In: FAUSTO, Boris. História do Brasil. 5 edição. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1997. Página 308.)

O texto se refere:

  1. a Revolução Constitucionalista.
  2. a Coluna Prestes.
  3. ao movimento Tenentista.
  4. a Revolução Federalista.

06. (UNIMONTES) O movimento (...) que hoje rebentou nesta capital coincide com a data do segundo aniversário da sedição do exército, verificada na capital da República, e que teve por cenário principal o forte de Copacabana.

(Movimento Revoltoso. Folha da Noite. São Paulo, 5 de julho de 1924, p. 1)

O texto acima faz referência à

  1. Coluna Prestes, movimento liderado por Miguel Costa e Luiz Carlos Prestes que objetivavam a tomada do governo nacional pelos tenentes.
  2. revolta tenentista em São Paulo, liderada pelo general Isidoro Dias Lopes que pretendia, entre outros objetivos, a deposição do presidente Artur Bernardes.
  3. greve geral anarquista que, por várias semanas, parou São Paulo e colocou na ordem do dia questões como a jornada de trabalho e o direito de sindicalização.
  4. Semana de Arte Moderna, evento organizado por um diversificado grupo de artistas e intelectuais, com vistas à renovação dos padrões estéticos então vigentes.

07. (FGV-RJ) A imagem a seguir é uma foto que retrata a marcha dos “18 do Forte”, ocorrida em 5 de julho de 1922, quando o Forte de Copacabana, no Rio de Janeiro, foi tomado durante um levante militar.

Esse movimento está relacionado

  1. à indignação dos militares, em relação à política externa brasileira, considerada subserviente aos interesses norte-americanos.
  2. à reação contra a chamada Coluna Prestes, que percorria o interior do Brasil combatendo as forças do exército.
  3. à repressão ao Partido Comunista Brasileiro, que acabara de ser fundado por influência da Revolução Bolchevique.
  4. aos interesses das elites de São Paulo e Minas Gerais, que estimulavam o levante contra o centralismo do Rio de Janeiro.
  5. ao tenentismo, movimento nacionalista que propunha reformas na estrutura do poder político oligárquico do país.

08. (UFV) Na década de 20 no Brasil um conjunto de acontecimentos criaram condições para o desenvolvimento da crise da República Velha. Assinale a alternativa que identifica CORRETAMENTE um dos acontecimentos geradores dessa crise:

  1. o “Gabinete da Conciliação”.
  2. a revolta dos 18 do Forte de Copacabana.
  3. a Política dos Governadores de Campos Sales.
  4. o Queremismo.

09. (EsPCEx) “No dia 5 de julho de 1922, três dias depois de ter sido decretada a prisão de Hermes da Fonseca, 302 jovens militares do Forte de Copacabana, no Rio de Janeiro, se sublevaram. Para reprimi-los o governo enviou para lá cerca de 3 mil soldados, que cercaram a fortaleza.

Numericamente inferiorizados, a grande maioria dos amotinados se rendeu, mas poucos militares, mesmo sem condições de enfrentar as tropas legalistas, saíram pelas ruas de Copacabana de armas em punho. No meio do caminho alguns rebeldes debandaram […]. Nos tiroteiros que se seguiram, apenas dois rebeldes sobreviveram.”

  1. “Intentona Comunista”, movimento desencadeado a partir de alguns quartéis do Rio de Janeiro, Recife e Natal, e que seguindo o exemplo do que ocorria na Rússia, objetivava a implantação do comunismo no Brasil.
  2. revolta dos “302 do Forte”, tentativa de golpe de Estado que tinha como intuito colocar o Marechal Hermes da Fonseca na presidência do País.
  3. “Intentona Integralista”, tentativa de tomada de poder por forças de extrema direita, com o objetivo de introduzir um governo centralizado com fortalecimento do Poder Executivo.
  4. episódio que ficou conhecido como os “18 do Forte”, e que marca o início do movimento conhecido como Tenentismo.
  5. “Revolta da Armada”, iniciada no Rio de Janeiro e disseminada por todo o sul do Brasil, unindo forças com os integrantes da Revolta Federalista.

10. (UNIFOR) Observe a foto do flagrante da linha de frente dos “18 do Forte” em marcha contra o governo, na manhã de 5 de julho de 1922 na praia de Copacabana. O tenentismo começava a enfrentar a República Velha.

A foto faz referência a uma manifestação pertencente ao movimento tenentista que, na década de 1920, se destacou na cena política brasileira, abalando as bases de sustentação da República.

Esse movimento:

  1. era favorável à transformação da luta econômica em luta política, à centralização política e à adoção da “ditadura do proletariado”.
  2. visava promover a descentralização de poder, a completa extinção do Estado, abolir toda forma de governo e obter o controle do mercado.
  3. lutava pela restauração da monarquia onde as corporações dos militares gozavam de grande prestígio.
  4. pregava a “moralização” da vida pública, a adoção do voto secreto e a defesa dos interesses econômicos nacionais.
  5. pretendia suprimir as liberdades individuais, dissolver os partidos políticos, esmagar a oposição e proibir as associações de classes.

Você acredita que o gabarito esteja incorreto? Avisa aí 😰| Email ou WhatsApp



.