Home > Banco de Questões > História > Brasil Império >

Guerra/Revolta dos Farrapos ou Revolução Farroupilha

Lista de 15 exercícios de História com gabarito sobre o tema Guerra/Revolta dos Farrapos ou Revolução Farroupilha com questões de Vestibulares.

Confira as videoaulas, teoria e questões sobre: Brasil Império .





1. (UFRN) A Guerra dos Farrapos ou Revolução Farroupilha (1835-1845) eclodiu como uma reação ao(s):

  1. pesados impostos cobrados pela Coroa, que diminuíam a capacidade de concorrência dos produtos gaúchos, especialmente do charque.
  2. regime de propriedade das terras gaúchas, que favorecia a concentração da posse de latifúndios nas mãos dos nobres ligados à Corte.
  3. intensos movimentos do exército imperial no Rio Grande do Sul, que limitavam a atuação política dos estancieiros gaúchos.
  4. sistema de representação eleitoral, que excluía a possibilidade de participação política das camadas populares da sociedade gaúcha.

2. (UFRGS) Considere as seguintes afirmações, relativas à participação dos escravos na Guerra dos Farrapos (1835-1845).

I - Nesta Guerra ocorreu o polêmico episódio conhecido como “Surpresa de Porongos”, o qual resultou no massacre de muitos escravos.

II - Nos últimos anos da Guerra, os escravos representavam o principal contingente militar dos rebeldes, em função da dificuldade dos farroupilhas para recrutar soldados.

III - No final desta Guerra, foi assinada a Paz de Ponche Verde, que concedia liberdade aos escravos que lutaram ao lado dos farroupilhas.

Quais estão corretas?

  1. Apenas I.
  2. Apenas II.
  3. Apenas I e III.
  4. Apenas II e III.
  5. I, II e III.

3. (UVV) “A causa que defendemos não é nossa, ela é igualmente a causa de todo o Brasil. Uma República Federal baseada em sólidos princípios de justiça e recíprocas conveniências uniria todas as Províncias irmãs, tornando mais forte e respeitada a Nação Brasileira”.

Bento Gonçalves (1788 - 1847) - Líder da Revolução Farroupilha.

Considerando a Revolução Farroupilha, também conhecida como Guerra dos Farrapos, avalie as afirmações seguintes:

I. A Guerra dos Farrapos teve início após a elite política gaúcha ter contato com as ideias liberais buscando autonomia provincial em relação ao governo central do Império.

II. Os líderes do movimento que levou à Guerra dos Farrapos se revoltaram contra os impostos elevados sobre o comércio de charque e couro, produtos importantes para a economia do Rio Grande do Sul.

III. Por disputas internas no movimento dos Farrapos, Bento Gonçalves deixa a liderança dos revolucionários após desertar e se aliar às tropas do governo central, enviadas pelo governo imperial.

IV. Ao fim do conflito, o governo imperial enviou Duque de Caxias para negociar um acordo de paz, no qual foi reconhecida a autonomia política do Rio Grande do Sul.

É correto apenas o que se afirma em

  1. I e II.
  2. I e III.
  3. II e III.
  4. III e IV.
  5. II, III e IV.

4. (PUC-RS) A chamada Guerra dos Farrapos (1835-1845), conflito que opôs o Rio Grande do Sul ao governo central do Império brasileiro, pode ser entendida como

  1. o resultado do descontentamento quanto à tributação do charque, que criava dificuldades na concorrência com produtores uruguaios e argentinos.
  2. uma mobilização da elite rio-grandense na defesa da abolição da escravidão, sendo o momento de ápice o episódio dos Lanceiros Negros, no Cerro dos Porongos.
  3. um movimento separatista, que pretendia unir o Rio Grande do Sul à República Cisplatina, com base em relações já estabelecidas pela província com os países da Bacia do Prata.
  4. fruto da discordância em relação ao fechamento da Assembléia Constituinte e ao consequente decreto da maioridade de D. Pedro II.
  5. uma luta pela expansão dos latifúndios destinados à pecuária, para aumentar a produção de carne conservada in natura.

5. (UPF) Após a abdicação de D. Pedro I, em 1831, teve início o chamado Período Regencial, que ficou marcado por rebeliões em várias províncias do Império. Uma das rebeliões mais importantes aconteceu no Rio Grande do Sul (1835-1845), chamada de Revolução Farroupilha ou Guerra dos Farrapos, em que uma parte dos rio-grandenses se opôs ao governo central do Rio de Janeiro.

Sobre esta revolta podemos afirmar:

  1. A revolta alastrou-se para outras províncias, atingindo Santa Catarina, Paraná e São Paulo. Nesta última província foi proclamada a República Paulista, numa demonstração clara de que São Paulo não pretendia mais ficar subordinado ao Rio de Janeiro, então capital do Império.
  2. Liderado pelos estancieiros, o movimento reivindicava maior autonomia para a província e a diminuição dos altos impostos sobre o preço do charque gaúcho, que assim não tinha como concorrer com o charque platino.
  3. Além da vantagem tributária, o charque platino era produzido com mão de obra escrava, enquanto o charque gaúcho era produzido com mão de obra assalariada, queresultava num produto com preço superior.
  4. A partir de 1842, já durante o Segundo Reinado, com a presença do Duque de Caxias, a rebelião no Rio Grande do Sul enfraqueceu, pois os escravos aproveitaram para se rebelar contra os fazendeiros que os exploravam.
  5. A paz só foi possível quando o governo imperial, temendo uma aliança dos gaúchos com o Paraguai de Solano Lopez, aceitou as imposições dos rebeldes.

6. (Unesp) Entre as várias rebeliões ocorridas no período regencial, destacase a chamada Guerra dos Farrapos, iniciada em 1835. O conflito

  1. prosseguiu até a metade da década seguinte, quando o governo do Segundo Império aumentou os impostos de importação dos produtos bovinos argentinos e anistiou os revoltosos.
  2. demonstra que as disputas comerciais entre Brasil e Argentina se iniciaram logo depois da independência e desde então se agravaram, até atingir a atual rivalidade entre os dois países.
  3. permitiu a adoção de um regime federalista no Brasil, uma vez que as negociações entre o governo imperial e os rebeldes determinaram a autonomia política riograndense.
  4. revela a impossibilidade de estabelecer relações políticas e diplomáticas na América Latina após a independência política e durante o período de formação dos estados nacionais.
  5. impediu a continuação do período regencial e levou à aceitação de outra exigência dos participantes da revolta: a antecipação da maioridade do futuro imperador Pedro II.

7. (FGV) Leia atentamente as afirmações abaixo sobre a Guerra dos Farrapos e assinale a alternativa correta.

I - Foi a mais longa Guerra Civil do Brasil.

II - Constituíram-se, em meio à luta, das efêmeras Repúblicas: a Juliana, em Santa Catarina, e a Piratini, no Rio Grande do Sul.

III - Entre os participantes desse movimento estava a "heroína de dois mundos", a republicana revolucionária Ana Maria de Jesus Ribeiro - Anita Garibaldi.

IV - Trata-se de uma revolução de caráter popular em que as elites foram postas à margem durante todo o processo.

V - O desfecho da revolução foi sangrento. Não houve concessões nem anistia aos Farrapos. Todos foram executados.

  1. Apenas I, II e III estão corretas.
  2. Apenas II, III e IV estão corretas.
  3. Apenas II, IV e V estão corretas.
  4. Apenas III, IV e V estão corretas.
  5. Todas as afirmações estão corretas.

Revolução Farroupilha

8. (EsPCEx) “O mais duradouro movimento rebelde do Império foi a Revolução Farroupilha, ocorrida no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina entre 1835-1845. […] Em 1836, após importantes vitórias sobre as tropas legalistas, os farroupilhas proclamaram a República Rio Grandense”.

(BOULOS JR, 2011)

Em 1842, Luís Alves de Lima e Silva, então Barão de Caxias, é enviado pelo Império para comandar as forças legalistas. A atuação de Caxias pacificou a região já no ano de 1845.

Abaixo são listadas algumas medidas que poderiam ser utilizadas para solução do conflito:

I-Repressão violenta com prisão e fuzilamento de todos os líderes do movimento farroupilha.

II-Aumento de taxas de importação do charque platino para tornar o similar rio-grandensedo-sul mais competitivo no mercado nacional.

III-Cerco impiedoso sobre as maiores cidades rebeladas provocando a morte de milhares de civis, minando a moral do inimigo e levando os insurretos à rendição.

IV-Incorporação ao Exército Brasileiro de comandantes farroupilhas com os mesmos postos que ocupavam nas tropas rebeldes.

V-Reconhecimento, pelo governo imperial, da liberdade dos escravos que lutaram na revolução como soldados.

Na ocasião, Caxias propôs

  1. todas as medidas acima listadas.
  2. apenas as medidas I, II e III.
  3. apenas as medidas I, III e IV.
  4. apenas as medidas II, III e V.
  5. apenas as medidas II, IV e V.

Farroupilha

9. (UFMG) De 1835 a 1845, ocorreu o mais longo conflito militar interno da história do Brasil – a chamada Guerra dos Farrapos, ou Rebelião Farroupilha.

Considerando-se esse conflito, é CORRETO afirmar que

  1. o apelido dado aos revoltosos – farroupilhas – fazia alusão ao caráter do movimento e de seus principais líderes, oriundos das camadas populares gaúchas.
  2. o Governo Central, a fim de possibilitar o final do conflito, atendeu a uma das principais reivindicações dos rebeldes: a libertação dos escravos negros da Província.
  3. o movimento rebelde, com diferentes correntes internas, defendia interesses rio-grandenses – como diminuição de impostos e maior autonomia política.
  4. os rebeldes rio-grandenses se uniram aos republicanos argentinos, com o objetivo de fortalecer as tropas, aumentar o poderio bélico e reafirmar os ideais federalistas.

10. (UFRGS) A organização do Império brasileiro, no século XIX, foi marcada por uma série de tensões sociais, políticas e militares. Um dos episódios mais relevantes desse período foi a chamada Guerra dos Farrapos (1835-1845).

Sobre o conflito, considere as seguintes afirmações.

I. A promulgação da Lei Feijó (1831), que tinha por objetivo fomentar o tráfico de africanos para o Brasil, contrariando assim os interesses republicanos das elites políticas da Província de São Pedro, foi um dos fatos desencadeadores da Guerra.

II. A Guerra dos Farrapos também pode ser inserida dentro de uma conjuntura platina na qual têm importância as relações mantidas entre lideranças sul-rio-grandenses e elites político-econômicas uruguaias.

III. O Corpo de cavalaria dos Lanceiros Negros, formado por parte da população escrava habitante da Província, foi dizimado pelas tropas imperiais, na chamada “surpresa de Porongos”.

Quais estão corretas?

  1. Apenas I.
  2. Apenas II.
  3. Apenas I e II.
  4. Apenas lI e III.
  5. I, lI e III.

11. (UCS) A Guerra dos Farrapos (1835-1845), também conhecida como Revolução Farroupilha, foi a mais longa revolta de todo o período Regencial e Imperial brasileiro. Sobre este movimento revolucionário NÃO é correto afirmar que:

  1. foi iniciativa das populações mais pobres, os farrapos, que desejavam acabar com as injustiças sociais e a miséria em que se encontrava a maioria da população gaúcha.
  2. expressou o descontentamento dos pecuaristas gaúchos com as medidas do governo central, que impunham pesada carga tributária à economia rio-grandense.
  3. há controvérsias entre os historiadores sobre se os farrapos desejavam ou não separar-se do Brasil, formando um novo país com o Uruguai e as Províncias do Prata.
  4. um ponto comum entre os rebeldes era o de fazer do Rio Grande do Sul, pelo menos, uma província autônoma, com rendas próprias, livre de centralização do poder imposta pelo Rio de Janeiro.
  5. a posição do governo central foi entremeada de combates e concessões aos rebeldes, uma vez que a região onde lutavam tinha grande importância estratégica para o império.

12. (FGV) Leia atentamente as afirmações abaixo sobre a Guerra dos Farrapos e assinale a alternativa correta.

I. Foi a mais longa Guerra Civil do Brasil.

II. Constituíram-se, em meio à luta, duas efêmeras Repúblicas: a Juliana, em Santa Catarina, e a Piratini, no Rio Grande do Sul.

III. Entre os participantes desse movimento estava a “heroína de dois mundos”, a republicana revolucionária Ana Maria de Jesus Ribeiro – Anita Garibaldi.

IV. Trata-se de uma revolução de caráter popular em que as elites foram postas à margem durante todo o processo.

V. O desfecho da revolução foi sangrento. Não houve concessões nem anistia aos Farrapos. Todos foram executados.

  1. Apenas I, II e III estão corretas;
  2. Apenas II, III e IV estão corretas;
  3. Apenas II e IV e V estão corretas;
  4. Apenas III, IV e V estão corretas;
  5. Todas as afirmações estão corretas.

13. (UFRGS) A frase “Mui leal e valorosa”, existente na bandeira da capital do Rio Grande do Sul, foi uma homenagem ao fato de que a administração de Porto Alegre:

  1. representou a corte do Rio de Janeiro durante a maior parte do movimento dos farrapos.
  2. ocupou terras no extremo sul do Brasil, em nome do rei de Portugal.
  3. comandou as tropas nas lutas com os vizinhos platinos, nas guerras de demarcações de fronteiras.
  4. conquistou, para a cidade, a condição de ponto mais importante da política externa do Império do Brasil.
  5. planejou a operação militar que culminou na destruição dos Sete Povos das Missões.

14. (UFRGS) Um projeto alternativo ao Estado Nacional Brasileiro estabelecido pela Carta Constitucional de 1824 e defendido na Guerra dos Farrapos apresentou a:

  1. concentração do poder no Imperador e no Conselho de Estado.
  2. instalação de uma República.
  3. instauração de uma Monarquia Constitucional.
  4. criação de uma Assembléia Nacional Popular.
  5. organização de Comitês Revolucionários para sustentar o governo.

15. (UPF) Analise o fragmento a seguir.

“No Brasil, nos anos seguintes à Abdicação, em 7 de abril de 1831, os liberais federalistas promoveram movimentos políticos e armados no Ceará (1831-1832), em Pernambuco (1831-1835), em Minas Gerais (1833-1835), na Bahia (1837-1838), no Grão-Pará (1835-1840), no Maranhão (1838-1841) e no Mato Grosso (1834). Com a intervenção das camadas sociais subalternizadas livres e escravizadas, alguns desses movimentos ganharam forte conteúdo social, como a Balaiada (1838-1841), no Maranhão, e a Cabanagem (1835-1836), no Grão-Pará.”

(MAESTRI, Mário. Breve História do Rio Grande do Sul. Passo Fundo: Editora Universidade de Passo Fundo, 2010. Adaptado)

O Rio Grande do Sul se inseriu nesse contexto de revoltas quando eclodiu a chamada Revolução Farroupilha (1835-1845). Sobre essa guerra, considere as afirmações a seguir.

I. Constitui associação ingênua deduzir que o qualificativo “farroupilha” provém de “farrapo”, condição em que estariam as vestimentas dos soldados republicanos nos momentos finais do conflito. A denominação deveu-se ao fato de que, no Brasil, os liberais exaltados eram conhecidos como “farroupilhas”, isto é, como revolucionários, razão pela qual o movimento passou à história como Revolução Farroupilha.

II. O projeto de Constituição da República Rio-Grandense inspirava-se na Carta estadunidense, que assegurava os direitos aos cidadãos livres e desconhecia os dos trabalhadores escravizados.

III. O então barão de Caxias, prestigiado pela repressão da Balaiada, no Maranhão, assumiu a chefia da província e das tropas do Império. Nas cidades, Caxias distribuía carne à população e contratava o serviço das famílias pobres para costurar fardamentos para as tropas imperiais, em uma clara política de conquista da simpatia dos sul-rio-grandenses livres.

IV. Os farroupilhas propuseram a reorganização dos latifúndios por meio de projeto de reforma agrária, o qual consistia na distribuição de lotes para os escravos que haviam lutado em suas fileiras e para os imigrantes que os haviam apoiado. Em resumo, defendiam a justiça social. Essa postura é comemorada até hoje nos desfiles do Dia do Gaúcho, que ocorrem, anualmente, em 20 de setembro.

Está correto o que se afirma em:

  1. I apenas.
  2. I e II apenas.
  3. III apenas.
  4. I, II e III apenas.
  5. I, II, III e IV.

Você acredita que o gabarito esteja incorreto? Avisa aí 😰| Email ou WhatsApp