Home > Banco de Questões > História > Simulados

Idade Moderna III

Lista de 15 exercícios de História com gabarito sobre o tema Idade Moderna com questões de Vestibulares.



01. (UECE) Atente ao seguinte excerto: “O crime [...] consistiu em herdar as piores feições do sistema doméstico num contexto em que inexistiam as compensações do lar: ‘ele sistematizou o trabalho das crianças pobres e desocupadas, explorando-o com uma brutalidade tenaz...’ [...] Na fábrica a máquina ditava as condições, a disciplina, a velocidade e a regularidade da jornada de trabalho, tornando-as equivalentes para o mais delicado e o mais forte”.

Edward P. Thompson. A Formação da Classe Operária Inglesa. Vol. II: A maldição de Adão. Rio de Janeiro, Paz e Terra. 1987. p. 207.

Considerando os processos de transformação ocorridos na sociedade ocidental, é correto afirmar que esse trecho da obra do historiador inglês Edward P. Thompson se refere à

  1. Revolução Gloriosa, ocorrida na Inglaterra entre 1688 e 1689, que garantiu o fim do absolutismo na Inglaterra e possibilitou o desenvolvimento social e econômico daquele país.
  2. Revolução Industrial, que, principiando no séculoXVIII, estabeleceu novas formas de organização do trabalho na sociedade capitalista.
  3. Revolução Francesa, que no final do século XVIII criou um novo modelo social e econômico para o mundo ocidental.
  4. Revolução Haitiana, que teve início em 1791 e marcou a independência do país caribenho do domínio francês, mas colocou-o sob o controle do capital industrial inglês.

02. (UFRGS) Leia as afirmações abaixo, sobre a história do Império Britânico.

I - Após uma longa guerra, a Austrália, uma das principais colônias britânicas, tornou-se independente em 1776, o que forçou o império a aumentar o controle em suas possessões na América do Norte e no Caribe.

II - Durante o chamado “século imperial” (1815-1914), o império estendeu-se por todos os continentes do globo e chegou a incorporar aproximadamente 400 milhões de pessoas aos seus domínios.

III- Embora algumas colônias já possuíssem elevado grau de autogoverno, o processo de descolonização dos domínios imperiais iniciou de forma efetiva somente após a Segunda Guerra Mundial, encerrando-se na década de 1980.

Quais estão corretas?

  1. Apenas I.
  2. Apenas II.
  3. Apenas III.
  4. Apenas II e III.
  5. I, II e III.

03. (UEG) Leia o texto a seguir.

Antes de partir, o príncipe-regente recomendara que o exército francês fosse recebido em boa paz. Parecia uma veleidade qualquer tentativa de oposição às forças de Napoleão, cujo imenso poder triunfava por toda a Europa. O exército atravessou o país sem encontrar nenhuma resistência, nem organizada, nem popular.

SARAIVA, José Hermano. História concisa de Portugal. Lisboa: Publicações Europa-América, 1996. p. 267.

O maior desafio ao citado “triunfo de Napoleão por toda Europa” foi a forte resistência mantida pela Inglaterra, que envolveu Portugal no conflito ao

  1. exigir que os portugueses não aderissem ao Bloqueio Continental imposto pela França.
  2. exilar Napoleão na ilha de Santa Helena, então possessão portuguesa no Atlântico.
  3. encorajar jovens portugueses a se alistarem nas tropas de resistência a Napoleão.
  4. sugerir o nome do príncipe-regente português para negociar a paz com a França.
  5. naufragar um navio mercante de bandeira francesa na costa portuguesa.

04. (ACAFE) Em 2017 completam-se os 500 anos da Reforma Protestante. Iniciada em 1517, promoveu transformações religiosas e políticas na Europa moderna.

Sobre os eventos que têm relação com a Reforma Protestante é correto afirmar, exceto:

  1. O sistema clerical dominante foi criticado por Lutero através das 95 teses fixadas na porta da igreja do castelo de Wittenberg.
  2. A doutrina calvinista aceitava o mundo dependente da vontade de Deus, estando todos os homens sujeitos à predestinação.
  3. A supressão do celibato e a condenação da simonia também caracterizaram princípios defendidos pelo protestantismo.
  4. Na Dieta de Worms, convocada pelo monarca Carlos V, o luteranismo foi oficializado como religião do Sacro Império e difundiu-se rapidamente na Península Ibérica.

05. (UFSM) "É verdade que nas democracias o povo parece fazer o que quer; mas liberdade política não consiste nisso. [...] A liberdade é o direito de fazer tudo o que as leis permitem; e se um cidadão pudesse fazer o que elas proíbem, ele não teria mais liberdade, porque os outros também teriam esse poder”.

Fonte: MONTESQUIEU. O espírito das leis. In: WEFFORT, Francisco (Org.). Os clássicos da política. São Paulo: Ática, 1989.

O trecho do francês Montesquieu, um dos expoentes do movimento iluminista, relaciona-se a princípios norteadores de uma sociedade

  1. organizada de maneira aristocrática, na qual não existe respeito às normas jurídicas.
  2. orientada por relações políticas pautadas por normas jurídicas, as quais definem, delimitam e garantem as liberdades civis.
  3. socialista, cujo objetivo maior é atingir a liberdade a partir da igualdade jurídica e social.
  4. anômica, na qual a ausência de regras é desejo universal.
  5. orientada pela defesa da primazia da propriedade privada e da total liberdade do cidadão perante o Estado.

06. (UEMG) “Uma sociedade de bem-estar social teria sem dúvida distribuído alguns destes vastos acúmulos para fins sociais. Na Inglaterra do período de 1780 a 1840 nada era menos provável. Virtualmente livre de impostos, as classes médias continuaram a acumular em meio a um populacho faminto, cuja fome era o reverso daquela acumulação.”

(HOBSBAWM, Eric. A Era das Revoluções: Europa, 1789-1848. Tradução de Maria Tereza Lopes Teixeira e Marcos Penchel. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977, p. 75).

Em resposta às transformações acima salientadas, os trabalhadores organizaram-se para lutar por seus direitos, formando

  1. partidos operários de composição camponesa e de multidões em paralisação.
  2. manifestações fabris de exigência de salário e de impedimento de grevistas.
  3. associações políticas de discussões sindicais e de simpatia pelos cercamentos.
  4. movimentos sociais de destruição de máquinas e de reivindicações por escrito.

07. (UFRGS) Leia o segmento abaixo, sobre a escravidão nas Américas.

A escravidão no Novo Mundo e os tipos de comércio a que deu origem surgiram como uma consequência e um componente da “primeira globalização”, fase da história humana inaugurada pelas explorações marítimas, comerciais e coloniais de Portugal e Espanha, no final do século XV e no início do século XVI.

BLACKBURN, R. Por que segunda escravidão? In: MARQUESE, R.; SALLES, R. (org). Escravidão e capitalismo histórico no século XIX. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2016. p. 32.

O segmento faz referência à institucionalização da escravidão no Novo Mundo, pensada a partir de determinados processos socioeconômicos globais que influenciaram definitivamente a sua conformação moderna. Assinale a alternativa que indica esse fenômeno.

  1. A expansão de uma economia mercantil global centrada na Europa e em suas demandas por matérias-primas e produtos tropicais de alto valor.
  2. A dissolução das colônias europeias na Ásia e na África, ao longo dos séculos XV e XVI, e a busca por novos mercados para os produtos europeus nas Américas.
  3. A consolidação do feudalismo como um sistema socioeconômico global e a introdução da servidão feudal de forma generalizada em todas as colônias americanas.
  4. Os processos de independência na América Latina, após a abolição completa da escravidão nas colônias espanholas e portuguesas na região.
  5. A fragmentação da economia mercantil global em uma série de unidades isoladas, após o fracasso das explorações marítimas europeias durante os séculos XV e XVI.

08. (ACAFE) A formação dos Estados Modernos, o Absolutismo Monárquico e o Mercantilismo caracterizaram a centralização política em várias partes da Europa, em oposição ao poder político descentralizado do sistema feudal. Nesse sentido é correto afirmar, exceto:

  1. O mercantilismo foi caracterizado pelo controle estatal da economia e priorizava o domínio de colônias para fornecer matérias primas e criar mercados consumidores para a metrópole.
  2. O casamento de Fernando, herdeiro do trono de Aragão, com Isabel, do trono de Castela, consolidou a formação do território que corresponde à Espanha.
  3. O processo de fortalecimento do poder real atingiu seu ápice com o absolutismo. O monarca passou a exercer o controle total sobre o comércio, as manufaturas e sobre a máquina administrativa.
  4. As Guerras da Reconquista, ao expulsarem os muçulmanos da Europa, contribuíram decisivamente para a formação da Monarquia francesa numa aliança com setores da nobreza.

09. (ACAFE) No ano de 2017 lembra-se os 500 anos da Reforma Protestante. A publicação das 95 teses de Martinho Lutero iniciou um confronto entre Roma e o monge agostiniano.

Considere a Reforma Protestante e seus desdobramentos, ocorrida na Europa, e analise as afirmações a seguir.

I. A ética Calvinista glorificava o trabalho e o lucro e classificava a riqueza como uma graça divina.

II. Para reforçar o catolicismo na Inglaterra e, com o apoio do Papa Clemente, Henrique VII fundou a Ordem Anglicana.

III. Em sua doutrina, Lutero manteve o celibato e a liturgia em latim.

IV. Excomungado pela Igreja Católica, Lutero recebeu a proteção da nobreza alemã. Todas as afirmações corretas estão em:

  1. II - III
  2. I - IV
  3. I - II - III
  4. II - III - IV

10. (UFRN) Neste ano de 2017, está sendo comemorado o 500º aniversário da Reforma do século XVI. Na perspectiva de muitos historiadores, a Reforma é considerada um dos limiares do período conhecido como Idade Moderna. Tal avaliação se deve ao fato de a Reforma, entre outros aspectos,

  1. favorecer o individualismo, ao considerar a relação pessoal de cada um para com Deus mais importante do que a relação com a Igreja enquanto instituição.
  2. reforçar o teocentrismo, quando proclamou a separação entre a filosofia e a teologia, dando a primazia a esta última na orientação fundamental da existência humana.
  3. promover o humanismo, ao estimular os esforços humanos para a prática das boas obras, de modo a garantir a própria salvação.
  4. difundir o secularismo, quando proclamava a autonomia da esfera secular frente aos dogmas e valores religiosos, que se aplicavam apenas no espaço do sagrado.

11. (ACAFE) O Bloqueio Continental decretado por Napoleão Bonaparte em 1806 tinha por objetivo isolar a Inglaterra dos países europeus e estipulava que os países da Europa e aliados da França não poderiam comercializar com os ingleses. Este evento europeu trouxe consequências para o Brasil, pois ocasionou um evento com profundas transformações políticas e sociais. Assim, assinale a alternativa correta acerca do evento que gerou essas transformações.

  1. A vinda da Família real portuguesa para o Brasil e o consequente decreto da Abertura dos Portos.
  2. A transferência da capital, da colônia de Salvador para o Rio de Janeiro.
  3. A invasão do território português pelos espanhóis e a anulação do Tratado de Tordesilhas.
  4. A Revolução do Porto, em 1820, contribuindo com a intensificação do comércio entre franceses e comerciantes luso-brasileiros.

12. (UFRN) A ascensão de Guilherme de Orange ao trono inglês, por ocasião da chamada Revolução Gloriosa (1688), marcou o final de um longo processo histórico que trouxe mudanças no quadro da Inglaterra, as quais se caracterizaram

  1. pela afirmação dos setores católicos na economia industrial, em detrimento dos grupos puritanos, defensores da ordem feudal.
  2. pela consolidação de uma democracia social, que atendia às reivindicações dos “niveladores” (Levellers) e dos “cavadores” (Diggers).
  3. pela monarquia parlamentar de caráter liberal, no seio da qual se desenvolveria e se consolidaria o capitalismo liberal burguês.
  4. pela autoridade absoluta do monarca, que, sem derramamento de sangue, conseguira vencer as forças do Parlamento e restaurar a monarquia.

13. (Mackenzie) “(...) Em termos de produtividade econômica, a transformação social foi um êxito imenso; em termos de sofrimento humano, uma tragédia, aumentada pela depressão agrícola depois de 1815 que reduziu o pobre rural à miséria mais desmoralizadora (...). Porém, do ponto de vista da industrialização havia consequências benéficas, pois uma economia industrial necessita de trabalhadores, e onde se podia obtê-los senão no antigo setor não industrial?

(Hobsbauwn,Eric. A Revolução Industrial. in As Revoluções Burguesas)

No trecho acima, o autor analisa consequências da Revolução industrial na Inglaterra. Sobre o texto e o contexto, é correto afirmar que

  1. a Revolução Industrial na Inglaterra marcou a passagem da sociedade rural para a industrial, apontando que, mesmo antes da introdução das máquinas, as manufaturas domésticas sediadas no campo tendiam a desaparecer pela falta de competitividade de seus produtos.
  2. a tendência à estabilização das populações campesinas e de pequenos burgueses, no interior rural inglês, foi um empecilho que acabou por gerar medidas governamentais, sancionadas pelo Parlamento a fim de solucionar tal problema social.
  3. com os cercamentos dos campos, no século XVIII, e pela consequente expropriação dos trabalhadores de seus meios de trabalho, o país contava com um enorme contingente de mão-de-obra desempregada nas cidades, disponível para o trabalho industrial.
  4. a grave crise agrícola de 1815, acompanhada pela epidemia de peste bubônica que atacou, principalmente, o interior agrícola do país, acabou por gerar um grande êxodo rural e um enorme fluxo populacional, disposto a trabalhar nas cidades, mesmo com baixo índice salarial.
  5. a ganância dos grandes proprietários de terra ingleses, interessados em exportar seus produtos para os novos centros industriais do país, acabou por ocasionar a situação de penúria, relatada no texto, em que se encontrava a população rural na época.

14. (UFSM) Odesenvolvimento industrial ampliou a demanda de matérias-primas, muitas das quais se produziam em condições mais vantajosas fora da Europa e dos Estados Unidos; ao mesmo tempo, o aumento da produção de artigos industriais ia ampliando a necessidade de mercados exteriores que consumissem os excedentes. Por outro lado, o crescimento das populações urbanas fez aumentar a demanda de alimentos, cuja produção na Europa havia diminuído pelo êxodo rural ou simplesmente porque se tornara mais barato comprá- los em mercados externos”.

Fonte: Héctor Bruit citado por FARIA, Ricardo. História. Belo Horizonte: Lê, 1989, p. 191.(Adaptado)

O contexto histórico representado no texto relaciona-se:

  1. à expansão maritímo-colonial dos países ibéricos do início da Era Moderna.
  2. ao desenvolvimento dos nazi-fascismos na Europa após a crise de 1929.
  3. ao imperialismo das grandes potências no final do século XIX e início do XX.
  4. à Guerra Fria e disputa pela hegemonia mundial entre os Estados Unidos e a União Soviética.
  5. ao neoliberalismo fundamentado na diminuição do Estado e na livre circulação de mercadorias e capitais.

15. (UFN) “Como em toda revolução, o ato inicial da Reforma Protestante foi feito sem que o padre e professor Martinho Lutero tivesse a noção da dimensão das transformações das quais aquele momento seria o marco inaugural. Ele queria o debate. E, por isso, afixou suas 95 teses na porta da Igreja de Wittenberg, num texto em que convidava quem não pudesse estar presente a apresentar suas ideias por escrito.”

(Fonte: Miriam Leitão – Jornal O Globo, 02/01/2017)

Em 2017, o ato de Lutero faz 500 anos e o país onde o fato ocorreu foi

  1. Alemanha.
  2. Estados Unidos.
  3. Rússia.
  4. Reino Unido.
  5. Itália.


.