Home > Banco de Questões > História > Simulados

Idade Moderna I

Lista de 15 exercícios de História com gabarito sobre o tema Idade Moderna com questões de Vestibulares.



01. (UFPR) Considere o seguinte excerto:

O estudo objetivo e sistemático da sociedade e dos comportamentos humanos é um desenvolvimento relativamente recente, cujos primórdios datam de fins do século XVIII. Um desenvolvimento-chave foi o uso da ciência para compreender o mundo – a ascensão de uma abordagem científica ocasionou uma mudança radical na perspectiva e na sua compreensão. Uma após a outra, as explicações tradicionais e baseadas na religião foram suplantadas por tentativas de conhecimento racionais e críticas. [...] O cenário que dá origem à sociologia foi a série de mudanças radicais introduzidas pelas “duas grandes revoluções” da Europa dos séculos XVIII e XIX. [...] A ruptura com os modos de vida tradicionais desafiou os pensadores a desenvolverem uma compreensão tanto do mundo social como do natural. Os pioneiros da sociologia foram apanhados pelos acontecimentos que cercaram essas revoluções e tentaram compreender sua emergência e consequências potenciais.

(GIDDENS, Anthony. Sociologia. Porto Alegre: Artmed, 2005. p. 27-28.)

Quais são as revoluções a que Anthony Giddens faz referência?

  1. Revolução Russa e Revolução Chinesa.
  2. Revolução dos Cravos e Revolução Francesa.
  3. Revolução Industrial e Revolução Inglesa.
  4. Revolução Francesa e Revolução Industrial.
  5. Revolução Proletária e Revolução Comunista.

02. (UFMS) Um dos eventos que mais influenciaram a história da humanidade nos últimos séculos foi a revolução industrial. Esse acontecimento impulsionou a economia, a exploração do trabalho, o domínio de algumas nações sobre vastas regiões do mundo e acentuou a divisão entre os países dominantes e os que eram dominados. Assim, a revolução industrial movimentou não apenas a economia, mas também a sociedade, a produção artística e cultural e a política de toda uma época. Assinale a alternativa que caracteriza corretamente os primeiros momentos da revolução industrial e que tornaram a Inglaterra pioneira no desenvolvimento de indústrias durante o século XVIII.

  1. A Inglaterra, importante metrópole do século XVIII, possuía colônias na América do Norte, África e Ásia que favoreceram a exploração de matérias-primas e mão de obra, impulsionando o desenvolvimento de seu setor industrial.
  2. A Inglaterra contava com um grande contingente de trabalhadores disponíveis, visto que a lei de cercamentos de terras desapropriou inúmeros camponeses, que passaram a atuar nas fábricas como trabalhadores e influenciaram decisivamente na divisão dos lucros e dos meios de produção, fatores que tornaram a Inglaterra uma grande potência industrial.
  3. Caracterizada pela exploração do trabalho assalariado, a revolução industrial oferecia benefícios e estímulos para a população mais pobre (como ambiente salubre, jornadas de trabalho justas e salários que estimulavam a competitividade entre os trabalhadores fabris), e a burguesia industrial retroalimentava o sistema com o consumo interno, fortalecendo-o primeiro na Inglaterra para mais tarde estender suas redes de comércio com os demais países da Europa.
  4. A mecanização do sistema de produção foi um fator determinante para que o sistema fabril de produção superasse o sistema de manufaturas, aliado ao fato de que a Inglaterra contava com grandes reservas de carvão mineral e ferro para alimentar e produzir novas máquinas para a produção.
  5. A organização da produção manufatureira inglesa foi fundamental para o desenvolvimento da revolução industrial, visto que essa produção de manufaturas passou a contar com máquinas e motores que substituíram a divisão do trabalho e colaboraram para o acúmulo de lucro pelo detentor dos meios de produção.

03. (UECE) No ano de 1472, o filósofo italiano Marsílio Ficino, em uma carta, apresenta sua opinião sobre a imprensa: segundo ele, esta invenção resulta de uma característica própria de uma época de ouro.

Trata-se de uma época em que as antigas artes liberais se uniram a uma invenção que caracteriza a fase

  1. contemporânea da história.
  2. industrial da história.
  3. moderna da história.
  4. clássica da história.

04. (UFJF) Leia atentamente o relato sobre a situação dos judeus na Península Ibérica escrito entre 1494 e 1495 pelo médico alemão Jerónimo Münzer quando este esteve em Lisboa:

“Os Judeus de Lisboa são riquíssimos, cobram os tributos reais, que arremataram ao Rei. São insolentes com os cristãos. Têm muito medo da proscrição, pois o Rei de Espanha ordenou ao Rei de Portugal que expulsasse os marranos* e da mesma forma os judeus, aliás teria guerra com ele. O Rei de Portugal, fazendo a vontade ao de Espanha, ordenou que antes do Natal saíssem do reino todos os marranos. Eles fretaram a nau Rainha, belíssimo navio, e no meado de Dezembro irão para Nápoles; aos Judeus, porém, deu o Rei o prazo de dois anos para assim os expulsar do reino menos violentamente. Em vista disso os judeus vão-se retirando sem demora e procuram no estrangeiro lugares próprios para a sua residência.”

(MÜNZER, Jerónimo. Viagem por Espanha e Portugal nos anos de 1494 e 1495.)

* Judeus convertidos obrigatoriamente ao cristianismo.

Sobre as perseguições aos judeus na Idade Moderna europeia é CORRETO afirmar que:

  1. Os judeus foram expulsos dos territórios da Península Ibérica por serem pobres e dependerem da ajuda real para sobreviverem.
  2. Aqueles que se converteram ao protestantismo, religião oficial dos monarcas, foram autorizados a permanecerem no território ibérico.
  3. O contexto de perseguição religiosa levado à frente pela Inquisição produziu a desterritorialização de milhares de descendentes de judeus, convertidos ou não à fé católica.
  4. Dentre as acusações que pesavam sobre os judeus e que motivaram sua expulsão da Península Ibérica estavam o uso de práticas pagãs e a leitura do Alcorão.
  5. Diferentemente do rei português, os monarcas espanhóis foram tolerantes com as práticas religiosas dos judeus.

05. (UECE) Atente para o seguinte trecho de um artigo de jornal: “Segundo o coordenador do Setor de Ciências Naturais e Sociais da Unesco no Brasil, Fabio Eon, os direitos humanos estão sendo alvo de uma onda conservadora que trata a expressão como algo politizado. — ‘Existe hoje uma tendência a enxergar direitos humanos como algo ideológico, o que é um equívoco. Os direitos humanos não são algo da esquerda ou da direita. São de todos, independentemente de onde você nasceu ou da sua classe social. É importante enfatizar isso para frear essa onda conservadora’ — ressalta Eon, que sugere um remédio para o problema: — ‘Precisamos promover uma cultura de direitos humanos’”.

Disponível em: O Globo. https://oglobo.globo.com/sociedade/os-direitos-humanosnao-sao-da-esquerda-ou-da-direita-sao-de-todos-23088573.

A Declaração Universal dos Direitos Humanos foi aprovada pela Assembleia Geral da ONU em 1948. Já a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão foi aprovada durante a primeira fase da Revolução Francesa, pela Assembleia Nacional Constituinte.

No que diz respeito à Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, é correto afirmar que

  1. apesar de ser um documento revolucionário moderno, tem suas premissas filosóficas no pensamento político de Aristóteles.
  2. é de inspiração hobbesiana, tendo seus primórdios nos inícios do Estado moderno.
  3. é de inspiração iluminista e liberal, sob influência de grandes pensadores do século XVIII, tais como Locke e Rousseau.
  4. é de inspiração marxista, no influxo dos grandes movimentos grevistas e reivindicatórios que aconteceram na França durante o século XIX.

06. (UECE) A chegada de uma frota portuguesa liderada pelo fidalgo Pedro Álvares Cabral em 21 de abril de 1500 no litoral do atual estado da Bahia foi precedida por outro grande evento das navegações lusitanas que estimulou o rei D. Manuel I, o venturoso, a investir nesse importante empreendimento marítimo e comercial para o Estado português.

Esse evento da expansão marítima portuguesa que precedeu a viagem cabralina foi

  1. a chegada de Cristóvão Colombo às Antilhas em outubro de 1492, o que se configurou como Descobrimento da América.
  2. a realização da primeira viagem de circunavegação do globo iniciada sob o comando de Fernão de Magalhães e concluída por Sebastião Del Cano.
  3. a viagem comandada por Vasco da Gama, que contornou a África e alcançou a Índia e suas especiarias, depois regressando a Lisboa em 1498.
  4. a chegada de Gaspar Corte-Real à Terra Nova, na América do Norte, em 1500, comprovando ser possível uma viagem da Europa à América.

07. (UECE) Os pensadores iluministas do século XVIII difundiram ideias liberais que ganharam força com a Revolução Francesa e a Independência dos Estados Unidos, e firmaram-se com as Revoluções de 1848.

No século XIX, o liberalismo defendia os interesses da

  1. classe operária.
  2. imprensa.
  3. elite industrial.
  4. burguesia.

08. (UECE) Escreva V ou F conforme seja verdadeiro ou falso o que se afirma nos itens abaixo sobre as monarquias ibéricas.

( ) A formação das monarquias ibéricas está ligada ao processo de reconquista cristã.

( ) As monarquias nacionais ibéricas se formaram antes das monarquias francesa e inglesa.

( ) O reino de Castela foi o único domínio espanhol que não contou com minorias étnicas e religiosas.

( ) Defenderam tolerância e respeito, não obstante a maioria dos reinos cristãos.

A sequência correta, de cima para baixo, é:

  1. V, F, F, F.
  2. V, F, V, V.
  3. F, V, V, F.
  4. F, V, F, V.

09. (UEA) Em quase todos os lugares, o peso esmagador dos impostos — taille e gabelle na França, servicios na Espanha — recaía sobre os pobres. Não existia a concepção jurídica de “cidadão” sujeito ao fisco pelo simples fato de pertencer à nação. Na prática, a classe senhorial estava efetivamente isenta de taxação direta, em toda parte.

(Perry Anderson. Linhagens do Estado absolutista, 2016.)

O excerto do livro Linhagens do Estado absolutista descreve

  1. a legalização das desigualdades tributárias, típicas da sociedade pós-industrial.
  2. a exploração do operariado industrial, típica do capitalismo contemporâneo.
  3. a situação de privilégios sociais, típicos do Antigo Regime da Idade Moderna.
  4. a restrição à participação nas decisões políticas, típica da democracia antiga.
  5. a manutenção dos poderes políticos da nobreza, típicos do Feudalismo medieval.

10. (UECE) Numere os ideais das reformas religiosas que ocorreram no decorrer do século XVI, apresentados abaixo, de acordo com os seguintes representantes dos movimentos reformistas:

1. Luteranos;

2. Calvinistas;

3. Anabatistas;

4. Contrarreformistas.

( ) Defendiam a liberdade de consciência em matéria de fé.

( ) Defendiam a justificação pela graça e as obras.

( ) Acreditavam que apenas a fé na promessa divina era eficaz para a salvação.

( ) Acreditavam que, na predestinação divina, havia eleitos e condenados.

A sequência correta, de cima para baixo, é:

  1. 2, 3, 1, 4.
  2. 1, 2, 4, 3.
  3. 4, 1, 2, 3.
  4. 3, 4, 1, 2.

11. (ACAFE) Articulando uma relação íntima entre o Estado e a economia, o mercantilismo caracterizou-se por uma política pela qual o Estado buscava garantir desenvolvimento comercial e financeiro. Foi típico das Monarquias Absolutistas da Europa.

Acerca do mercantilismo, todas as afirmações abaixo estão corretas, exceto a alternativa:

  1. O domínio de colônias, dentro do Pacto Colonial, também caracterizou o mercantilismo, destacando-se os países ibéricos. Criava-se uma relação de dependência da colônia em relação à metrópole.
  2. Necessitando de ouro e de prata para o fortalecimento das moedas nacionais, o metalismo foi também um importante instrumento do mercantilismo europeu.
  3. Na Inglaterra, ocorreu o desenvolvimento da frota naval e da marinha mercante, essenciais para a expansão do comércio externo.
  4. As medidas alfandegárias incentivavam as importações e liberavam o mercado interno para os produtos estrangeiros, incentivando, desta maneira, as relações comerciais.

12. (UECE) O conteúdo da declaração de Independência dos Estados Unidos da América é típico do pensamento iluminista presente nas colônias no século XVIII.

O autor de destaque desse documento seguramente é

  1. Abraham Lincoln.
  2. Thomas Jefferson.
  3. George Washington.
  4. Samuel Adams.

13. (UFPR) Estou tentando resgatar o pobre tecelão de malhas, o meeiro luddita, o tecelão do “obsoleto” tear manual, o artesão “utópico” e mesmo o iludido seguidor de Joanna Southcott, dos imensos ares superiores de condescendência da posteridade. Seus ofícios e tradições podiam estar desaparecendo. Sua hostilidade frente ao novo industrialismo podia ser retrógrada. Seus ideais comunitários podiam ser fantasiosos. Suas conspirações insurrecionais podiam ser temerárias. Mas eles viveram nesses tempos de aguda perturbação social, e nós não. Suas aspirações eram válidas nos termos de sua própria experiência.

(E. P. Thompson. A formação da classe operária inglesa. V.1(4. ed.). São Paulo: Companhia das Letras, 2004, p. 13.)

Com base no trecho acima, assinale a alternativa correta.

  1. O novo industrialismo substituiu as técnicas tradicionais de trabalho e os modos de vida dos camponeses, evidenciando o progresso das técnicas da manufatura fabril.
  2. Os trabalhadores ingleses já estavam agrupados em partidos políticos antes mesmo do surgimento da industrialização, demonstrando uma organização que seguia cada ofício de trabalho, como o alfaiate, o artesão e o tecelão.
  3. Os trabalhadores que viveram antes da era da industrialização tiveram sua memória utilizada como símbolo de resistência dos movimentos operários posteriores.
  4. A história que a classe operária inglesa contou sobre a industrialização não leva em consideração o crescimento econômico do período, nem o papel de liderança assumido pelos empresários industriais.
  5. As hostilidades dos trabalhadores ingleses às novas técnicas industriais informam o modo como os indivíduos foram afetados pelo surgimento da industrialização.

14. (Mackenzie) O processo de emancipação política dos EUA esteve relacionado ao avanço do capitalismo na Inglaterra, à expansão dos princípios liberais, à rivalidade anglo-francesa e ao próprio desenvolvimento das Treze Colônias.

Portanto, a aceleração do processo de ruptura entre a metrópole inglesa e suas colônias americanas deveu-se

  1. às tentativas de expansão francesa na América do Norte e ao apoio recebido por parte dos colonos residentes na região e das tribos indígenas, simpatizantes dos franceses.
  2. ao natural desenvolvimento de um processo, próprio das colônias de povoamento, que sempre pautaram sua existência em uma enorme autonomia perante à metrópole inglesa.
  3. às tentativas inglesas de aprofundar os laços de dominação colonial e à reação dos colonos americanos diante das medidas fiscais e administrativas que anulavam sua relativa autonomia.
  4. ao desenvolvimento das práticas liberais dentro da economia metropolitana e à divulgação de princípios que combatiam o monopólio colonial, assim como a permanência da escravidão.
  5. à tentativa inglesa de abolir a utilização da mão-de-obra escrava em suas colônias americanas e também de bloquear o contato comercial dos seus colonos nas Antilhas.

15. (UFMS) Alguns períodos da história são marcados por transformações que ilustram as mudanças na sociedade e que acabam por transportar essas situações para contextos mais amplos como a economia e a política. Leia atentamente o trecho a seguir.

“Renascença ou Renascimento são termos aplicados ao movimento de renovação cultural que teve início no século XIV, na Itália, e atingiu seu apogeu no século XVI, influenciando várias regiões da Europa. Os renascentistas defendiam a restauração dos valores do mundo clássico e acreditavam na capacidade ilimitada da criação humana. Esses ideais transformaram as artes, a literatura, a ciência, a filosofia e a gastronomia. O período é rico em exemplos de pesquisadores e inventores que prepararam o caminho para o progresso científico e técnico da Idade Moderna. No Renascimento, a Itália tornou-se símbolo de refinamento do mundo ocidental, graças à influência dos bizantinos. O uso do garfo, os aparelhos de jantar, as peças finas e bemacabadas em metais preciosos, as toalhas ricamente bordadas em linho, porcelanas e as faianças italianas sofisticaram o comportamento à mesa.”

O exemplo da transformação proposta por meio do modo de se portar à mesa acabou por influenciar todo o período conhecido como Renascimento. A mudança de hábitos, por sua vez, acabou impondo uma característica extremamente importante para a sequência dos acontecimentos históricos.

Assinale a alternativa correta que esteja associada ao desenvolvimento do processo descrito no texto.

O exemplo da transformação proposta por meio do modo de se portar à mesa acabou por influenciar todo o período conhecido como Renascimento. A mudança de hábitos, por sua vez, acabou impondo uma característica extremamente importante para a sequência dos acontecimentos históricos.

Assinale a alternativa correta que esteja associada ao desenvolvimento do processo descrito no texto.

  1. O intercâmbio cultural proposto pelo Renascimento coloca a Europa como receptora de hábitos e de sistemas orientais (econômicos e políticos), sendo perceptível pela difusão de valores como a religião e a administração pública típicas do Oriente.
  2. Entendido como resultado direto das Cruzadas, o Renascimento e o contato com o Oriente promovem uma difusão do ideal cristão pelo mundo, que será concluída com a mudança cultural imposta pelos europeus aos povos do Oriente.
  3. O contato com o Oriente promoveu para as cidades italianas localizadas à beira do mar Mediterrâneo a possibilidade de reativação do comércio, ampliando cada vez mais suas áreas de atuação nos campos econômicos e culturais e distanciando-as cada vez mais do passado medieval.
  4. Após estabelecer vínculos comerciais com os mercados do Oriente, as cidades italianas que estavam mais próximas do mar Mediterrâneo passaram a se isolar do contexto europeu, fato que impulsionou seu desenvolvimento científico e cultural e deu origem ao Império de Roma.
  5. O Renascimento foi um modelo intelectual e cultural de valorização da cultura clássica grega e que, consequentemente, impulsionou as cidade italianas para o desenvolvimento político aos moldes das antigas cidades-estado da Grécia antiga, fato que impulsionou o desenvolvimento econômico e tecnológico do período.


.