Home > Banco de Questões > História > Simulados

Idade Média IV

Lista de 15 exercícios de História com gabarito sobre o tema Idade Média com questões de Vestibulares.



1. (UEA) O programa de Suger é claro: a catedral devia se tornar uma espécie de imenso livro de pedra, no qual não somente a riqueza dos ouros e das gemas provocasse no fiel sentimentos de devoção, e a cascata de luz das paredes abertas sugerisse a efusiva presença da potência divina, mas também as esculturas das portadas, os relevos dos capitéis, as imagens dos vitrais comunicassem aos fiéis os mistérios da fé, a ordem dos fenômenos naturais, a hierarquia das artes e das profissões, os acontecimentos da história pátria.

(Umberto Eco. Apocalípticos e integrados, 2005.)

Atribui-se ao abade francês Suger, do século XII, a criação da igreja gótica. Considerando-se o conteúdo do excerto e conhecimentos sobre a história da Idade Média Ocidental, é correto afirmar que

  1. a iconografia cristã abrangia um vasto domínio religioso e social, exprimindo as diversas funções exercidas pela Igreja.
  2. a Igreja, ligada aos senhores feudais e à realeza, adotou um comportamento elitista, desvinculado da maioria dos cristãos.
  3. as artes eclesiásticas eram esteticamente imperfeitas e desprovidas de conteúdos simbólicos voltados para a edificação moral dos cristãos.
  4. os clérigos regulares e seculares abandonaram a preocupação com o pecado e a salvação das almas, procurando usufruir das riquezas materiais.
  5. o cristianismo medieval era rude e ascético, porque expressava a simplicidade da existência das primeiras comunidades cristãs.

2. (ACAFE) Em 1054, o Cisma do Oriente serviu para acentuar o distanciamento já existente entre Constantinopla e a Igreja da Europa Ocidental. Uma das principais consequências do Cisma do Oriente foi:

  1. a criação do termo “cristãos novos” para designar a população do Império bizantino que tinha se desfiliado da Igreja Romana.
  2. a Convocação das Cruzadas para invadir e conquistar o reino de Jerusalém e a formação de um Exército no Império Bizantino para apoiar os cruzados que se dirigiam para a Terra Santa.
  3. o início das Guerras Religiosas, que vai determinar o surgimento da Reforma Protestante e acentuar as divisões internas do cristianismo europeu.
  4. o surgimento da Igreja Ortodoxa, ligada ao Patriarcado de Constantinopla e a Igreja Católica Apostólica Romana, dirigida pelo Papa.

3. (UFAM PSC) Na história da expansão islâmica, o ano de 750 d.C. representa uma importante ruptura, uma vez que a dinastia omíada foi destituída do poder no Califado de Bagdá – cujo domínio político se estendia da Pérsia, passando pela Península Arábica e Norte da África, até a Península Ibérica – e, em seu lugar, passou a governar a dinastia abássida. Todavia, não foi somente a sucessão de uma dinastia por outra, mas também o fim do poder político unificado que, até então, formara o Império Islâmico com sede em Bagdá. Entre meados do século VIII e meados do século X, mais dois califados haviam surgido da fragmentação do Califado de Bagdá, que continuou a existir, porém com um território menor. Assim, o poderio político islâmico passou a contar com três califados.

Assinale a alternativa CORRETA quanto aos outros dois califados islâmicos existentes após a fragmentação do Califado de Bagdá:

  1. Califados de Damasco e Trípoli .
  2. Califados de Córdoba e Cairo.
  3. Califados de Fez e Marrakesh.
  4. Califados de Teerã e Bactriana.
  5. Califados de Amã e Antioquia.

4. (UFN) Uma pulga encontrada em pelos de ratos era o transmissor de uma doença que dizimou grande parte da população europeia no século XIV, pois, naquela época, o conhecimento médico não foi capaz de compreendê- la. Assim, muitos atribuíram a doença à ira divina, cuja soma de vários fatores resultou a conhecida crise geral.

A partir disso, assinale V (verdadeiro) ou F (falso) para as afirmações a seguir.

( ) A Guerra dos Cem Anos, entre a monarquia inglesa e a francesa, foi um dos fatores da crise do século XIV.

( ) A ideia de cólera divina afastou a população das práticas católicas e da Igreja.

( ) A queda nos preços do trigo no noroeste da Europa ocasionou uma crise entre os produtores no início do século.

( ) As atividades comerciais do Mediterrâneo atuaram na disseminação da Peste Negra pelo continente Europeu.

A sequência correta é

  1. V - V - F - V.
  2. F - F - V - V.
  3. V - F - F - V.
  4. V - F - F - F.
  5. F - F - V - F.

5. (Mackenzie) “Em terras alemãs em lugares afastados, onde a vida permanecia rude e isolada, os monges não só pregavam o cristianismo, mas também foram importantes para levar os avanços agrícolas para a região das florestas. Nas matas fechadas, abriam clareiras, drenavam pântanos e introduziram novas lavouras. As poucas escolas que existiram na Idade Média eram dirigidas e mantidas pelos monges. Alguns monastérios serviam também de hospitais e hospedarias”.

Adaptado de: Wallbank, T. W. e outros. History and Life. 4ªed. Illinois: Scott Foresman, 1993.

De acordo com o texto, é correto afirmar que, durante a alta Idade Média europeia, a atividade dos monastérios

  1. redimensionava o princípio de “ora et labora” (reza e trabalha), já que os monges se dedicavam apenas aos trabalhos braçais.
  2. seguia o princípio de “ora et labora” (reza e trabalha), pois os monges dedicavam-se a uma vida reclusa e trabalhos exclusivamente intelectuais.
  3. redimensionava o princípio tradicional de “ora et labora” (reza e trabalha), pois exercia importante ligação com o cotidiano de comunidades próximas.
  4. conflitava com o princípio papal de “ora et labora” (reza e trabalha), ao valorizar a prática do trabalho, em detrimento das orações diárias.
  5. contribuiu para o surgimento de uma mentalidade que, ligada às atividades comerciais urbanas, promoveu contestações ao poder papal sobre os europeus.

6. (UECE) No ano de 2006, os líderes religiosos, o Papa Católico Bento XVI e o Patriarca Ecumênico Ortodoxo Bartolomeu I, encontraram-se em Istambul, na Turquia. O encontro marcou a reaproximação entre Católicos e Ortodoxos, e renovou os compromissos em continuar o caminho da unidade dos cristãos e o diálogo entre ambas as religiões. A ruptura entre Católicos e Ortodoxos

  1. ocorreu em 330 com a transferência da capital do Império Romano para Constantinopla.
  2. foi conduzida pelo Imperador bizantino Justiniano, que governou entre 527 e 565.
  3. deu-se devido às desavenças entre católicos e o poder imperial, pela cobrança de indulgências.
  4. aconteceu em 1054 e ficou conhecida como Cisma do Oriente.

7. (UECE) Durante o período medieval, a Igreja Católica, herdeira das tradições romanas, sobressaiu-se como a mais poderosa instituição e grande baluarte da cultura europeia. À medida que avançava e convertia novos povos ao cristianismo, ampliava mais ainda seu poderio espiritual e material, e fundia a cultura romana com a dos povos convertidos. No que se refere ao papel da Igreja Católica na cultura europeia medieval, é correto afirmar que

  1. a educação formal espalhou-se pela Europa através da Igreja Católica, à qual estavam ligadas as escolas e as universidades medievais.
  2. a literatura medieval era dominada pelo tema religioso imposto pela Igreja Católica; nesse período não se escreveu sobre nada que nãoestivesse no Livro Sagrado.
  3. a filosofia escolástica nascida nas universidades católicas opunha-se à fusão da fé cristã com o pensamento racional humanista.
  4. apesar de controlar a literatura, as artes plásticas ficaram livres de qualquer tipo de cerceamento religioso por parte da Igreja Católica.

8. (UESB) A casa de Deus, que se crê una, está assim dividida em três: uns oram, outros combatem, e os outros, enfim, trabalham. Essas três partes que coexistem não sofrem com sua disjunção; os serviços prestados por uma são a condição da obra das outras; e cada uma, por sua vez, encarrega-se de aliviar o todo.

(BRAICK; MOTA, 2010, p. 144).

O fragmento de texto do bispo Adalberón de Laon, escrito em 1030,

  1. expressa a ideologia religiosa da Idade Média, que justificava a divisão da sociedade em ordens superpostas de difícil mobilidade.
  2. entra em contradição com a atuação das Cruzadas, que submetiam nobres e camponeses a trabalhos iguais durante suas campanhas.
  3. fortaleceu a mensagem das ordens religiosas que pregavam a pobreza, o trabalho manual e o sustento próprio de cada monge.
  4. fundamentou o fortalecimento das monarquias absolutistas e seu desligamento definitivo do poder da Igreja, na Baixa Idade Média.
  5. explica a submissão da classe camponesa europeia, nas Idades Média e Moderna, fazendo-a aceitar passivamente sua expulsão das terras feudais.

9. (UFRGS) Em setembro de 1555, foi assinada a chamada “Paz de Augsburgo”, tratado que deu um fim momentâneo às guerras de religião entre católicos e protestantes no Sacro Império Romano Germânico.

Assinale a alternativa que contém uma das principais cláusulas desse tratado.

  1. A expulsão completa de luteranos e calvinistas de todos os territórios do Sacro Império Romano Germânico.
  2. A imposição do absolutismo ao Império por Carlos V, imperador calvinista hostil ao catolicismo.
  3. A divisão do Império em territórios católicos e luteranos, a partir do princípio cuius regio, eius religio.
  4. A incorporação formal dos territórios católicos do Sacro Império Romano Germânico ao Império Espanhol.
  5. A proibição total da profissão de fé católica em todos os Estados do Sacro Império Romano Germânico.

10. (UCS) A Idade Média, na Europa, foi caracterizada pelo aparecimento, apogeu e decadência de um sistema econômico, político e social denominado feudalismo. Assinale a alternativa que apresenta de forma correta características do sistema feudal.

  1. A política feudal não proporcionava autonomia aos feudos, sendo, portanto, centralizada.
  2. As terras dividiam-se em reservas senhoris e mansos servis. A sociedade era estamental, sem mobilidade social.
  3. A cultura feudal foi antropocêntrica, ou seja, baseada na visão do homem como centro do Universo.
  4. A principal forma de trabalho foi a escravidão, pois os trabalhadores rurais eram tratados como mercadorias.
  5. O feudalismo apresentou características semelhantes em todo território europeu, sendo a Inglaterra o modelo mais exemplar.

11. (UEFS) Apesar de suas limitações na Alta Idade Média, a economia medieval lançou as bases das transformações que levaram à expansão do mundo europeu no século. XV.

Entre essas bases, destaca-se

  1. o crescimento das corporações de ofício que defendiam o justo preço e o lucro limitado.
  2. a expansão das guerras feudais, exigindo dos senhores a busca de soldados fora dos seus domínios.
  3. a ruralização da economia, voltada para a produção e o consumo das populações que habitavam os feudos e os pequenos reinos.
  4. a expulsão dos comerciantes judeus da Europa e sua fuga para os países do Extremo Oriente.
  5. o crescimento populacional e a expansão urbana, exigindo novas formas de produção e de comercialização de alimentos.

12. (Mackenzie) As Cruzadas, durante a Idade Média, representaram uma forma de solução para os problemas decorrentes do início da desestruturação do regime feudal.

A expressão “Cruzada” “derivou-se do fato de seus integrantes considerarem-se soldados de Cristo”. Tais expedições constituíram-se em

  1. empreendimentos de caráter militar, voltadas contra os inimigos da Cristandade, sem o apoio formal da Igreja Católica, mas patrocinadas por nobres feudais, que garantiam privilégios materiais aos participantes.
  2. oportunidades oferecidas em uma sociedade fortemente religiosa, mais clerical do que civil, em que o pecado e o crime equivaliam a mesma coisa, ou seja, do cruzado obter a indulgência, ou perdão aos seus pecados.
  3. movimentos nos quais tanto a iniciativa de lutar contra os infiéis quanto a de reconquistar a Terra Santa, partia de muitos indivíduos não combatentes, como mercadores, artesãos, mulheres e crianças, motivados pela fé.
  4. iniciativas militares, cujos recursos materiais para sustentar os cruzados provinham da Igreja Católica, única interessada na reconquista da região.
  5. possibilidades para escapar das dívidas e dos pagamentos dos tributos à Igreja e aos senhores feudais, já que o cruzado, ao participar dessas expedições, conseguia uma moratória estendida para toda sua vida.

13. (UECE) O calendário é um sistema muito antigo utilizado para registrar e medir o tempo e regulamentar os ritmos da vida humana. Nele temos a combinação de três elementos astronômicos: o dia, o mês e o ano. No decorrer da história ocidental houve dificuldades de combinar esses três elementos de modo satisfatório, resultando na elaboração de vários calendários. Atualmente está em vigor o calendário

  1. Juliano.
  2. Gregoriano.
  3. Hebraico.
  4. Metônico.

14. (UFPR) Um dos exemplos de cultura produzida durante o período do império islâmico foi o “Cânone de Medicina”, escrito pelo médico e filósofo muçulmano Avicena entre 1012 e 1015. Esta obra sintetizou elementos da literatura médica siríaca, helenística e bizantina, e foi muito empregada por sábios ocidentais até o século XVII. Sobre o império islâmico no período do século VII a XV, considerando o exemplo da obra de Avicena, é correto afirmar:

  1. O império islâmico permitiu uma grande circulação de culturas da Europa até a China, devido a sua relativa tolerância religiosa e a seu incentivo à assimilação e transmissão de conhecimentos dos diferentes povos conquistados, como atesta a obra de Avicena.
  2. O império islâmico permitiu grande circulação cultural por se expandir lentamente durante sua existência, ao ritmo da conversão e assimilação dos povos e das culturas da Europa à Ásia, devido à estratégia de não-violência e de tolerância religiosa pregada pelo Corão, e presente na obra de Avicena.
  3. O império islâmico permitiu uma grande circulação de culturas da Europa à China devido à sua rápida expansão em menos de um século com o apoio de exércitos cristãos, o que explica a presença de obras como a de Avicena em território europeu cristão.
  4. Durante seu apogeu, o império islâmico restringiu a circulação de obras europeias cristãs em territórios muçulmanos e impôs a adoção de obras científicas islâmicas, como a de Avicena, ao povos não-islâmicos.
  5. O império islâmico, durante seu apogeu, incentivou a busca pelo conhecimento científico nos territórios conquistados, como atesta a obra de Avicena, mas não logrou sucesso na Europa ocidental, devido ao bloqueio religioso estabelecido pela Igreja Católica.

15. (UFRR) Sobre as feiras na Idade Média é possível afirmar que:

  1. o crescimento das feiras, apesar de ser um negócio lucrativo, não evoluiu, ficando os mercadores sem oportunidades na nova configuração econômica que estava surgindo;
  2. essas atividades somente foram possíveis graças à unificação da moeda europeia, que facilitou a atividade dos banqueiros e a compra de mercadorias pelos servos;
  3. eram consideradas eventos econômicos e culturais. Alguns exemplos de feiras são as de Provins e de Troyes, na região de Champagne e as feiras de Bruges e de Antuérpia, na região de Flandres;
  4. eram referenciadas como comércio local das cidades para o abastecimento diário dos seus habitantes;
  5. foram impulsionadas pelo fenômeno de regionalização, que desestabilizou a obtenção de mercadorias vindas de lugares mais distantes.


.