Home > Banco de Questões > História > Simulados

Idade Média II

Lista de 15 exercícios de História com gabarito sobre o tema Idade Média com questões de Vestibulares.



01. (UFJF) Leia com atenção o texto a seguir sobre o fim do período medieval.

... o final do milênio medieval costuma ser visto sob a forma de uma crise profunda e generalizada. Brutal, a mortalidade provocada pelo bacilo da peste espalha-se rápida e maciçamente. Os doentes sucumbem em alguns dias, sem remédio nem alívio possíveis. No dizer das testemunhas, toda organização social, até os laços familiares, foi violentamente perturbada por isso.

BASCHET, J. A civilização feudal: do ano mil à colonização da América. São Paulo: Globo, 2006, p.247-248. Adaptado.

Acerca da chamada “Crise do século XIV”, assinale a alternativa CORRETA:

  1. a expansão agrícola que precedeu a crise do século XIV foi realizada às custas de arroteamentos, o que contribuiu para minimizar o impacto ambiental e conter o processo inflacionário.
  2. a diminuição da produtividade levou a uma maior exploração da mão de obra camponesa. Nesse momento a teoria das três ordens foi responsável pela aceitação do aumento da tributação, evitando, assim, as revoltas camponesas.
  3. os deslocamentos de camponeses que fugiam para as cidades ajudaram na eliminação da epidemia nas zonas rurais, já que a peste apenas atingia as populações mais pobres e desnutridas.
  4. tentando fazer frente à crise do século XIV, a Igreja transferiu sua sede de Roma para Avignon, na França. Essa medida contribuiu para manter a unidade da cristandade, a autonomia e o caráter universalista da Igreja.
  5. nesse contexto, a fome e as epidemias contribuíram para o processo de desintegração do feudalismo e o fortalecimento do poder dos reis, que aos poucos foram tomando para si a autoridade administrativa e militar até então em mãos senhoriais.

02. (UFN) A ilustração a seguir diz respeito à sociedade feudal da Europa ocidental.

(Fonte: http://fundamentosdeadministracion2014.blogspot.com.br acesso em 07/04/2017).

Com base nas características do feudalismo, vigente na Europa ocidental, sobretudo o modelo francês, assinale V (verdadeiro) ou F (falso) para as afirmações a seguir.

( ) A produção econômica estava concentrada no feudo, ou senhorio rural, pertencente a um senhor feudal, leigo ou eclesiástico.

( ) Os camponeses trabalhavam seus lotes de terras, distribuídos em parcelas não contínuas, podendo variar os cultivos.

( ) O sistema de suserania e vassalagem implicava obrigações mútuas entre senhores e servos.

( ) Até o século XI, as atividades comerciais prevaleceram no âmbito local e a importância das cidades era praticamente nula.

A sequência correta é

  1. V – F – F – F.
  2. V – F – V – V.
  3. F – V – V – V.
  4. F – V – F – V.
  5. V – V – F – V.

03. (UFRGS) Assinale com V (verdadeiro) ou F (falso) as afirmações abaixo, sobre a história da Idade Média ocidental.

( ) A instalação de povos de origem germânica no território do Império Romano, as chamadas “invasões bárbaras”, ocorreu também por meio de processos migratórios pacíficos e negociados com o Estado romano.

( ) O processo de fragmentação territorial do Império Romano Germânico, após a ascensão de Carlos Magno no século VIII, foi decorrência da ruptura entre o reino franco e a Igreja cristã.

( ) A servidão foi uma situação intermediária entre a escravidão definitiva e a liberdade plena, pois impunha uma série de limitações aos servos, sem torná-los propriedade dos seus senhores.

( ) A Escolástica, principal método de ensino nas universidades medievais, previa o estudo filológico da Bíblia e recusava o recurso à filosofia antiga, considerada pagã e herética.

A sequência correta de preenchimento dos parênteses, de cima para baixo, é

  1. V – V – F – V.
  2. F – V – F – V.
  3. V – F – V – F.
  4. F – V – V – F.
  5. F – F – V – V.

04. (UFJF) Sobre a atuação da Igreja Católica na passagem entre a Antiguidade e a Idade Média (séculos V/VI), podemos afirmar que ela:

  1. conseguiu terminar, de forma definitiva, com a Igreja Cristã Ortodoxa predominante no Oriente, recuperando seu caráter universalista.
  2. mantinha sob sua guarda uma boa parte da produção intelectual existente no Ocidente, sobretudo em manuscritos nas bibliotecas de mosteiros.
  3. enfrentava a continuidade das perseguições oficiais por parte de diversos Estados que surgiram da fragmentação do Império Romano do Ocidente.
  4. concentrava suas pregações religiosas nas áreas urbanas em expansão após o término do período de intensos conflitos militares.
  5. criticava ativamente a exploração dos trabalhadores rurais nas grandes propriedades de terras que produzia para sua autossuficiência.

05. (UDESC) Em A civilização feudal, o historiador Jérôme Baschet escreveu que a “Idade Média convida, com particular acuidade, a uma reflexão sobre a construção social do passado”.

BASCHET, Jérôme. A civilização feudal: do ano mil à colonização da América. São Paulo: Editora Globo, 2006, p. 26.

Tendo como referência a citação acima e o período da história, conhecido como Idade Média, assinale a alternativa incorreta.

  1. O Iluminismo consolidou ideias como fragmentação política, fixação espacial, desordem, regressão e estagnação nas suas representações sobre o mundo medieval.
  2. Os debates contemporâneos sustentam que fazem parte da dinâmica feudal o poder monárquico, a função militar e a presença de autoridade episcopal.
  3. O fenômeno urbano na chamada Idade Média Central está associado ao desenvolvimento das atividades artesanais e comerciais.
  4. O Feudalismo foi uma categoria meramente econômica que designou o modo de funcionamento de toda a sociedade medieval na Europa.
  5. A visão sobre o mundo medieval foi pautada por perspectivas do período no qual o historiador escreve, como exemplo, a idealização romântica produzida no século XIX.

06. (UEFS) O processo de declínio do Império Romano do Ocidente começou em meados do século IV d.C., sobretudo em razão da série de problemas que, desde o século III, o assolava, como as invasões bárbaras, a crise econômica e a disputa dos militares pelo poder. (QUEDA DO IMPÉRIO... 2016).

A ligação entre a aludida crise econômica e a formação das bases do modo de produção feudal se encontram na

  1. gradual substituição do sistema escravista pelo de colonato, baseado na prestação de serviços agrícolas em terras dos senhores, em troca de subsistência e proteção.
  2. divulgação de uma nova arquitetura, baseada na construção de muralhas em torno dos castelos dos senhores, decorrente da necessidade de defesa contra as frequentes rebeliões de escravos.
  3. expansão do comércio mediterrâneo, controlado pelos mercadores árabes, que proibiam o comércio dos romanos com o Oriente Médio.
  4. organização das corporações de ofício que controlavam a produção e os preços das mercadorias nos países do norte da África.
  5. adoção do cristianismo como religião oficial do Império, desde o governo de Otávio Augusto e de Júlio Cesar.

07. (UECE) Durante o período medieval, a Igreja Católica, herdeira das tradições romanas, sobressaiu-se como a mais poderosa instituição e grande baluarte da cultura europeia. À medida que avançava e convertia novos povos ao cristianismo, ampliava mais ainda seu poderio espiritual e material, e fundia a cultura romana com a dos povos convertidos. No que se refere ao papel da Igreja Católica na cultura europeia medieval, é correto afirmar que

  1. a educação formal espalhou-se pela Europa através da Igreja Católica, à qual estavam ligadas as escolas e as universidades medievais.
  2. a literatura medieval era dominada pelo tema religioso imposto pela Igreja Católica; nesse período não se escreveu sobre nada que nãoestivesse no Livro Sagrado.
  3. a filosofia escolástica nascida nas universidades católicas opunha-se à fusão da fé cristã com o pensamento racional humanista.
  4. apesar de controlar a literatura, as artes plásticas ficaram livres de qualquer tipo de cerceamento religioso por parte da Igreja Católica.

08. (UEFS) A sociedade feudal era dividida em três partes, de acordo com

  1. a ocupação de cada grupo político: administrar, representar ou servir.
  2. a atribuição de cada grupo social: liderança, organização ou obediência.
  3. a definição de cada grupo político: governar, legislar ou julgar.
  4. a função de cada grupo social: orar, guerrear ou trabalhar.
  5. a origem de cada grupo social: aristocracia, burguesia ou proletariado.

09. (UFRGS) Em setembro de 1555, foi assinada a chamada “Paz de Augsburgo”, tratado que deu um fim momentâneo às guerras de religião entre católicos e protestantes no Sacro Império Romano Germânico.

Assinale a alternativa que contém uma das principais cláusulas desse tratado.

  1. A expulsão completa de luteranos e calvinistas de todos os territórios do Sacro Império Romano Germânico.
  2. A imposição do absolutismo ao Império por Carlos V, imperador calvinista hostil ao catolicismo.
  3. A divisão do Império em territórios católicos e luteranos, a partir do princípio cuius regio, eius religio.
  4. A incorporação formal dos territórios católicos do Sacro Império Romano Germânico ao Império Espanhol.
  5. A proibição total da profissão de fé católica em todos os Estados do Sacro Império Romano Germânico.

10. (Mackenzie) Leia o documento abaixo:

“É permitido a qualquer, sem punição, auxiliar o seu senhor, se alguém o ataca, e obedecer-lhe em todos os casos legítimos, exceto no roubo, no assassinato e naquelas coisas que não são consentidas a ninguém, sendo reconhecidas como infames pelas leis. O senhor deve proceder da mesma maneira com o conselho e a ajuda; e deve ir em auxilio do seu homem em todas as vicissitudes, sem malícia. É permitido a todo o senhor convocar o seu homem que deve estar à sua direita no tribunal; e mesmo que seja residente no mais distante mansus de quem o protege, deverá ir ao pleito se o seu senhor o convocar”

(Pedrero-Sanchez, M. Guadalupe. História da Idade Média: textos e testemunhos. São Paulo: Unesp, 1999, p. 95)

O trecho acima foi extraído de um documento inglês do século XI e diz respeito a uma típica relação feudal. A relação em evidência é a

  1. Vassalagem: relação recíproca entre senhores em que fica acordado a proteção por parte do Suserano e o trabalho nos campos por parte do Vassalo.
  2. Servidão: relação vertical entre senhores e camponeses que, uma vez presos à terra, não podem abandonar suas obrigações nos feudos.
  3. Vassalagem: relação horizontal entre senhores a qual cria uma teia de alianças políticas e uma maior descentralização do poder.
  4. Servidão: relação entre senhores e servos a qual estabelece um acordo de proteção e ajuda econômica em troca de terras para o plantio.
  5. Vassalagem e Servidão: relações equivalentes entre nobres e servos em que os vassalos asseguram o trabalho nas terras senhoriais.

11. (UEFS) O processo de declínio do Império Romano do Ocidente começou em meados do século IV d.C., sobretudo em razão da série de problemas que, desde o século III, o assolava, como as invasões bárbaras, a crise econômica e a disputa dos militares pelo poder. (QUEDA DO IMPÉRIO... 2016).

A ligação entre a aludida crise econômica e a formação das bases do modo de produção feudal se encontram na

  1. gradual substituição do sistema escravista pelo de colonato, baseado na prestação de serviços agrícolas em terras dos senhores, em troca de subsistência e proteção.
  2. divulgação de uma nova arquitetura, baseada na construção de muralhas em torno dos castelos dos senhores, decorrente da necessidade de defesa contra as frequentes rebeliões de escravos.
  3. expansão do comércio mediterrâneo, controlado pelos mercadores árabes, que proibiam o comércio dos romanos com o Oriente Médio.
  4. organização das corporações de ofício que controlavam a produção e os preços das mercadorias nos países do norte da África.
  5. adoção do cristianismo como religião oficial do Império, desde o governo de Otávio Augusto e de Júlio Cesar.

12. (UFGD) No livro “A Sociedade Feudal” (1979), o historiador Marc Bloch reflete sobre a baixa expectativa de vida na Europa feudal.

A mortalidade infantil, incontestavelmente muito forte na Europa feudal, não deixava de embotar um pouco os sentimentos relativamente a lutos que eram quase normais. Quanto à vida dos adultos, mesmo independentemente dos acidentes de guerra, era em média relativamente curta: pelo menos, quanto podemos avaliar pelas personagens principais a que se referem os únicos dados, embora imprecisos, de que dispomos. Roberto, o Pio, morreu pelos sessenta anos; Henrique I, com 52 anos; Filipe I e Luís VI, com 56. Na Alemanha, os quatro primeiros imperadores da dinastia saxônica atingiram respectivamente 60 anos – ou perto disso – 28, 22 e 52 anos. A velhice parecia começar muito cedo, desde a idade madura. Aquele mundo que [...] se julgava muito velho, era de facto dirigido por homens jovens.

BLOCH, Marc. A Sociedade Feudal. Edições 70: Lisboa, 1979, p. 94.

Considerando o texto e o contexto social do período histórico, é correto afirmar que

  1. entre tantas mortes prematuras na Europa feudal, asgrandes epidemias eram responsáveis por muitas delas, haja vista que a sociedade estava mal preparada para combatê-las. Entre os pobres, além do mais, as mortes eram provocadas pela fome.
  2. as muitas mortes na Europa feudal eram devidas às grandes guerras. A sociedade tinha alimentação farta e recursos materiais para lidar com as catástrofes advindas da natureza e dos surtos de doenças.
  3. na Europa feudal, a baixa expectativa de vida da sociedade estava associada às catástrofes da natureza. A medicina avançou consideravelmente no período medieval, sobretudo no controle de epidemias.
  4. as mortes prematuras na Europa feudal são evidências de que o feudalismo apresentava sérios problemas sociais. Entre os séculos XVII e XVIII, o feudalismo desapareceu em todos os países da Europa, pois não expressava mais as demandas populares.
  5. o contexto político absolutista dos países europeus da Idade Média contribuiu decisivamente para as mortes prematuras no período, pois havia muitas guerras. Por mais que a produção de alimentos fosse abundante e acessível, os conflitos por terras foram preponderantes pelas mortes.

13. (UEFS) A sociedade feudal era dividida em três partes, de acordo com

  1. a ocupação de cada grupo político: administrar, representar ou servir.
  2. a atribuição de cada grupo social: liderança, organização ou obediência.
  3. a definição de cada grupo político: governar, legislar ou julgar.
  4. a função de cada grupo social: orar, guerrear ou trabalhar.
  5. a origem de cada grupo social: aristocracia, burguesia ou proletariado.

14. (UEMA) No século XI, o bispo Fulbert de Chartes foi convidado a escrever sobre a fórmula da fidelidade e assim o fez:

Aquele que jura fidelidade a seu senhor deve ter sempre em mente estes seis princípios: proteção, segurança, honra, interesse, liberdade, faculdade. Proteção, quer dizer, nada deve ser feito em prejuízo do senhor quanto ao seu corpo. Segurança, nada em prejuízo da residência onde ele habita ou de suas fortalezas nas quais ele possa se achar. Honra, quer dizer, nada em detrimento de sua justiça ou do que possa sua honra depender. Interesse, quer dizer, nada que possa prejudicar suas possessões. Liberdade e faculdade, quer dizer, o bem que o senhor possa fazer não lhe deva ser tornado difícil e o que ele esteja fazendo tornado impossível (...)

Fonte: Fulbert de Chartres. Epistolae, LVIII, ano 1020. In: Jaime Pinsky. Modo de produção feudal. 2 ed. São Paulo: Global, 1982.

Os princípios apresentados na cerimônia descrita pelo texto fazem referência às relações sociais entre

  1. patrícios e plebeus na Antiguidade.
  2. suseranos e vassalos na Idade Média.
  3. proprietários de terras e escravos no Brasil Colonial.
  4. burgueses e classe trabalhadora na sociedade industrial.
  5. latifundiários e camponeses na América Contemporânea.

15. (UFJF) Sobre a atuação da Igreja Católica na passagem entre a Antiguidade e a Idade Média (séculos V/VI), podemos afirmar que ela:

  1. conseguiu terminar, de forma definitiva, com a Igreja Cristã Ortodoxa predominante no Oriente, recuperando seu caráter universalista.
  2. mantinha sob sua guarda uma boa parte da produção intelectual existente no Ocidente, sobretudo em manuscritos nas bibliotecas de mosteiros.
  3. enfrentava a continuidade das perseguições oficiais por parte de diversos Estados que surgiram da fragmentação do Império Romano do Ocidente.
  4. concentrava suas pregações religiosas nas áreas urbanas em expansão após o término do período de intensos conflitos militares.
  5. criticava ativamente a exploração dos trabalhadores rurais nas grandes propriedades de terras que produzia para sua autossuficiência.


.