Home > Banco de Questões > História > Simulados

Idade Contemporânea II

Lista de 15 exercícios de História com gabarito sobre o tema Idade Contemporânea com questões de Vestibulares.



01. (UFJF) O mapa abaixo informa sobre rotas mercantis que conectavam Europa medieval, Ásia e África, entre os séculos XI e XII:

Considerando-se a natureza e a incidência das rotas indicadas no mapa, é possível concluir que:

  1. A Idade Média foi um período marcado por uma economia rural, fechada e pautada pela ausência de trocas comerciais.
  2. A possibilidade de oferta de produtos de luxo oriundos do norte da África e Ásia nas principais cortes europeias é posterior à expansão marítima do século XV.
  3. Cidades como Roma, Paris e Londres são construções modernas e representativas do estilo de vida contemporâneo, portanto, sem elos com o mundo pré-capitalista.
  4. Durante a Idade Média existia uma circulação de produtos e pessoas, o que favoreceu a formação de redes mercantis que conectavam diversas cidades.
  5. O Mar Mediterrâneo serviu, durante a Idade Média, como barreira geográfica natural, o que favoreceu o isolamento das diferentes regiões europeias.

02. (Mackenzie) Entre o final de 1870 e o início de 1871, uma guerra entre nações – França e Prússia – transformou-se em um conflito civil entre franceses, que desencadeou o surgimento de um governo eleito parisiense, em março de 1871, denominado de Comuna de Paris.

A respeito do contexto histórico da época, podemos afirmar que

  1. a Comuna de Paris foi o primeiro levante operário da história moderna a manifestar o apoio popular perante o imperador francês, motivado pelo espírito nacionalista, após a invasão do país por tropas prussianas.
  2. a maioria dos deputados monarquistas, na Assembleia Nacional Francesa, durante a Guerra Franco-Prussiana, era favorável à capitulação ante a Prússia. Porém, o operariado francês em todo o país insuflou-se lutando contra a invasão.
  3. com a captura do imperador francês Luís Bonaparte, instituiu-se um Governo Provisório que, com o apoio da população, aceitou a capitulação da França perante a Prússia, entregando suas armas e desarmando o exército diante dos oponentes prussianos.
  4. a instauração de um primeiro governo socialista organizado por operários deveu-se à dominação política e econômica da burguesia parisiense sobre a classe operária e a derrota da Prússia pela França.
  5. a derrota sofrida na Guerra Franco-Prussiana e as péssimas condições de vida do operariado francês cooperaram para que, em 1871, em Paris, o levante dos trabalhadores tenha sido, apesar de breve, a primeira experiência de um governo socialista.

03. (UFJF) Leia atentamente o relato sobre a situação dos judeus na Península Ibérica escrito entre 1494 e 1495 pelo médico alemão Jerónimo Münzer quando este esteve em Lisboa:

“Os Judeus de Lisboa são riquíssimos, cobram os tributos reais, que arremataram ao Rei. São insolentes com os cristãos. Têm muito medo da proscrição, pois o Rei de Espanha ordenou ao Rei de Portugal que expulsasse os marranos* e da mesma forma os judeus, aliás teria guerra com ele. O Rei de Portugal, fazendo a vontade ao de Espanha, ordenou que antes do Natal saíssem do reino todos os marranos. Eles fretaram a nau Rainha, belíssimo navio, e no meado de Dezembro irão para Nápoles; aos Judeus, porém, deu o Rei o prazo de dois anos para assim os expulsar do reino menos violentamente. Em vista disso os judeus vão-se retirando sem demora e procuram no estrangeiro lugares próprios para a sua residência.”

(MÜNZER, Jerónimo. Viagem por Espanha e Portugal nos anos de 1494 e 1495.)

* Judeus convertidos obrigatoriamente ao cristianismo.

Sobre as perseguições aos judeus na Idade Moderna europeia é CORRETO afirmar que:

  1. Os judeus foram expulsos dos territórios da Península Ibérica por serem pobres e dependerem da ajuda real para sobreviverem.
  2. Aqueles que se converteram ao protestantismo, religião oficial dos monarcas, foram autorizados a permanecerem no território ibérico.
  3. O contexto de perseguição religiosa levado à frente pela Inquisição produziu a desterritorialização de milhares de descendentes de judeus, convertidos ou não à fé católica.
  4. Dentre as acusações que pesavam sobre os judeus e que motivaram sua expulsão da Península Ibérica estavam o uso de práticas pagãs e a leitura do Alcorão.
  5. Diferentemente do rei português, os monarcas espanhóis foram tolerantes com as práticas religiosas dos judeus.

04. (UERJ)

A derrota de Napoleão Bonaparte, em 1814-1815, foi registrada de diversas formas nas sociedades europeias. Na imagem, o imperador francês tenta devorar o globo terrestre, sendo atacado por uma águia, um dos símbolos do Império Russo.

Dois impactos que as guerras napoleônicas exerceram sobre as relações internacionais na Europa da época foram:

  1. crise agrária e consolidação dos Estados republicanos
  2. concorrência industrial e retomada de domínios coloniais
  3. integração comercial e declínio de monarquias absolutistas
  4. expansionismo territorial e reorganização das fronteiras políticas

05. (UECE) “A crescente proletarização dos homens de hoje e a crescente formação das massas são dois lados de um mesmo acontecimento. O fascismo procura organizar as massas proletarizadas recémsurgidas sem tocar nas relações de propriedade, por cuja abolição elas pressionam. Ele vê sua salvação em deixar as massas alcançarem a sua expressão (de modo algum seu direito). As massas possuem um direito à mudança das relações de propriedade; o fascismo busca dar-lhe uma expressão conservando essas relações. O fascismo resulta, consequentemente, em uma estetização da vida política.”

BENJAMIN, Walter. A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica. Porto Alegre: Zouk, 2012, p. 117.

Considerando o que diz Benjamin sobre os efeitos sociais da reprodutibilidade técnica dos objetos de fruição estética, é correto afirmar que

  1. o fascismo elimina a luta de classes, pois unifica a todos sob uma mesma bandeira e com a mesma camisa, unindo a nação no amor pela pátria e seus símbolos, tornando a política mais bela.
  2. a luta de classes é um elemento constitutivo do fascismo, que cria a propriedade privada e, portanto, estabelece antagonismos sociais insuperáveis pela política.
  3. a obra de arte tecnicamente reproduzida apresenta uma necessária superação do fascismo, pois a contemplação estética popularizada conduz as massas para um estado de gozo apolítico.
  4. o fascismo organiza o proletariado como massa, mas não põe em questão sua condição de classe, tornando a relação social mera aparência de unidade, sob símbolos, cores e gritos estandardizados — estetização.

06. (UFPR)

Considere o cartaz produzido durante a Primeira Guerra Mundial (1914- 1918), lançado em 1918 nos Estados Unidos pela Associação Cristã de Moças (Y.W.C.A.). No cartaz está escrito: “Para cada soldado, uma mulher trabalhadora – Apoie nossa segunda linha de defesa (Y.W.C.A.) – Campanha para o Trabalho Unido da Guerra”.

Considerando esse documento, os conhecimentos sobre a Primeira Guerra Mundial e sobre a condição das mulheres no mundo do trabalho na virada do século XIX para o século XX, identifique como verdadeiras (V) ou falsas (F) as seguintes afirmativas:

( ) A Primeira Guerra Mundial foi marcada por uso limitado de propaganda, dirigindo-se a setores específicos das sociedades em guerra para mobilizar seu apoio.

( ) Após o término da guerra, as mulheres que ocuparam os postos de trabalho foram incentivadas a deixá-los para que retomassem seus papéis de mãe e esposa.

( ) O cartaz demonstra uma realidade vivida pelos Estados Unidos, enquanto os demais países da Tríplice Entente não incentivaram o trabalho feminino.

( ) O trabalho feminino em indústrias e setor de serviços já era uma realidade conhecida antes da Primeira Guerra, em decorrência da Revolução Industrial.

Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta, de cima para baixo.

  1. F – F – V – V.
  2. V – V – F – F.
  3. F – V – F – V.
  4. V – V – V – F.
  5. V – F – V – V.

07. (UECE) A independência de Moçambique ocorreu em 1975, após um longo processo que começou com a organização da FRELIMO (Frente de Libertação de Moçambique), um movimento político nacionalista que foi fundado em 25 de junho de 1962, com o objetivo de lutar pela libertação do domínio colonial

  1. português.
  2. inglês.
  3. francês.
  4. alemão.

08. (UFPR) Considere o excerto abaixo sobre o livro Utopia, do escritor inglês Thomas Morus (1478-1535), lançado entre 1516 e 1518:

[...] Em sua obra Utopia, Morus descreve a vida numa ilha em formato de lua crescente, na qual tudo é dividido de maneira equânime entre as pessoas, onde não existe injustiça e violência e se vive confortavelmente. [...] na ilha de Utopia, o problema da exclusão social, tema candente de seu tempo, [...] seria resolvido de uma vez por todas. E de que maneira? Pela aplicação de todos ao trabalho [...]”.

(LOPES, M. A. Uma História da ideia de utopia: o real e o imaginário no pensamento político de Thomas Morus. História: Questões & Debates, Curitiba, n. 40, 2004, p. 141-142.)

A partir do trecho acima e dos conhecimentos sobre o início da Idade Moderna (1453-1789), é correto afirmar que a obra de Morus pertenceu ao:

  1. Iluminismo europeu e foi publicada no contexto do absolutismo inglês, em que o clero católico possuía privilégios, terras e metais preciosos, ao contrário da maioria da população.
  2. Renascimento europeu e foi publicada no contexto do republicanismo inglês, em que os parlamentares possuíam terras, títulos de nobreza e isenção de impostos, ao contrário da maioria da população.
  3. Arcadismo europeu e foi publicada no contexto do protecionismo inglês, em que o clero protestante possuía terras, privilégios e perdão de dívidas, ao contrário da maioria da população.
  4. Humanismo europeu e foi publicada no contexto do absolutismo inglês, em que a aristocracia possuía privilégios, terras e rendas, ao contrário da maioria da população.
  5. Romantismo europeu e foi publicada no contexto de expansionismo inglês, em que a monarquia possuía manufaturas, terras e ouro, ao contrário da maioria da população.

09. (UECE) A chegada de uma frota portuguesa liderada pelo fidalgo Pedro Álvares Cabral em 21 de abril de 1500 no litoral do atual estado da Bahia foi precedida por outro grande evento das navegações lusitanas que estimulou o rei D. Manuel I, o venturoso, a investir nesse importante empreendimento marítimo e comercial para o Estado português.

Esse evento da expansão marítima portuguesa que precedeu a viagem cabralina foi

  1. a chegada de Cristóvão Colombo às Antilhas em outubro de 1492, o que se configurou como Descobrimento da América.
  2. a realização da primeira viagem de circunavegação do globo iniciada sob o comando de Fernão de Magalhães e concluída por Sebastião Del Cano.
  3. a viagem comandada por Vasco da Gama, que contornou a África e alcançou a Índia e suas especiarias, depois regressando a Lisboa em 1498.
  4. a chegada de Gaspar Corte-Real à Terra Nova, na América do Norte, em 1500, comprovando ser possível uma viagem da Europa à América.

10. (UFT) Considere as informações abaixo sobre o tráfico de africanos escravizados:

Pela rota transaariana, controlada por comerciantes mulçumanos do norte da África, circularam entre os anos 650 e 1910 cerca de 9.000.000 de escravos, numa média anual de 7100 indivíduos traficados.

Pela rota transatlântica, controlada pelos europeus cristãos, circularam entre os anos 1450 e 1900 cerca de 11.700.000 escravos, numa média anual de 26000 indivíduos traficados.

Fonte: M´BOKOLO, Elikia. África Negra. História e civilizações. São Paulo/Salvador: EdUFBA/Casa das Áfricas, 2009.

A partir da leitura dessas informações é CORRETO afirmar que o tráfico de africanos escravizados

  1. cresceu à medida que os comerciantes mulçumanos deixaram o comércio de seres humanos apenas em mãos de comerciantes europeus.
  2. tornou comerciantes cristãos e mulçumanos sócios a partir do interesse comum no aumento da média anual de seres humanos traficados.
  3. forneceu ao mundo muçulmano quantidades maiores de indivíduos tornados escravos do que a rota transatlântica ao americano.
  4. não foi um negócio exclusivo dos europeus, mas o volume e a intensidade de seu negócio foi maior que o do tráfico islâmico.

11. (UECE) Escreva V ou F conforme seja verdadeiro ou falso o que se afirma nos itens abaixo sobre as monarquias ibéricas.

( ) A formação das monarquias ibéricas está ligada ao processo de reconquista cristã.

( ) As monarquias nacionais ibéricas se formaram antes das monarquias francesa e inglesa.

( ) O reino de Castela foi o único domínio espanhol que não contou com minorias étnicas e religiosas.

( ) Defenderam tolerância e respeito, não obstante a maioria dos reinos cristãos.

A sequência correta, de cima para baixo, é:

  1. V, F, F, F.
  2. V, F, V, V.
  3. F, V, V, F.
  4. F, V, F, V.

12. (UERR) “Antes da Segunda Guerra, os homens podiam se considerar seguros se vivessem longe dos locais do conflito (...). A guerra nos deixou este legado. Não há mais como fugir dela, num mundo cada vez mais globalizado. Depois de 1945, em certo sentido, todas as guerras são mundiais”.

CHARETTI, Marco. A Segunda Guerra Mundial. São Paulo: Ática, 1995. p. 68.

Assinale a alternativa que corretamente se refere a Segunda Grande Guerra Mundial.

  1. Estima-se que cerca de 200 mil mulheres tenham sido forçadas a tornar-se escravas sexuais em territórios ocupados por japoneses durante a guerra, a maioria era proveniente da China e da Coreia do Sul, mas também das Filipinas, Indonésia e Taiwan.
  2. A primeira etapa do conflito foi chamada Guerra de Trincheiras devido ao equilíbrio de forças das potências Aliadas e as potências do Eixo.
  3. O conflito chegou ao fim com a rendição dos alemães, após o bombardeio das cidades de Hiroshima e Nagasaki.
  4. Vários países não participaram do conflito e permaneceram neutros durante a guerra, entre eles podem ser citados: Portugal, Espanha, Suíça e União Soviética.
  5. O Brasil participou do conflito, mas não enviou soldados, seu envolvimento restringiu ao apoio aos Aliados com o envio de suprimentos e medicamentos.

13. (UECE) Numere os ideais das reformas religiosas que ocorreram no decorrer do século XVI, apresentados abaixo, de acordo com os seguintes representantes dos movimentos reformistas:

1. Luteranos;

2. Calvinistas;

3. Anabatistas;

4. Contrarreformistas.

( ) Defendiam a liberdade de consciência em matéria de fé.

( ) Defendiam a justificação pela graça e as obras.

( ) Acreditavam que apenas a fé na promessa divina era eficaz para a salvação.

( ) Acreditavam que, na predestinação divina, havia eleitos e condenados.

A sequência correta, de cima para baixo, é:

  1. 2, 3, 1, 4.
  2. 1, 2, 4, 3.
  3. 4, 1, 2, 3.
  4. 3, 4, 1, 2.

14. (UFRGS) Assinale a alternativa correta sobre a chamada Guerra dos Cem Anos (1337-1453), entre Inglaterra e França.

  1. O conflito marcou a gradual transformação dos exércitos feudais em forças militares profissionalizadas e iniciou o lento processo de decadência da aristocracia feudal nos respectivos países.
  2. A guerra foi vencida pela Inglaterra e teve como consequência a eclosão de rebeliões na França que culminaram com a deposição da dinastia dos Valois do trono francês.
  3. O confronto consolidou a transformação da Inglaterra na principal potência econômica do período moderno, por meio do processo de pacificação interna que se seguiu à guerra.
  4. A consequência da guerra para os dois países foi a consolidação de estruturas sociais feudais, tornadas mais fortes com o enfraquecimento das monarquias centrais.
  5. A origem do conflito foi a invasão da Inglaterra pela França e a subsequente instalação de uma dinastia pró-França no trono inglês, derrubada ao longo da guerra.

15. (UECE) O conteúdo da declaração de Independência dos Estados Unidos da América é típico do pensamento iluminista presente nas colônias no século XVIII.

O autor de destaque desse documento seguramente é

  1. Abraham Lincoln.
  2. Thomas Jefferson.
  3. George Washington.
  4. Samuel Adams.


.