Home > Banco de Questões > Literatura > Obras >Minha Vida de Menina: Minha Vida de Menina

Minha Vida de Menina: Minha Vida de Menina

Lista de 05 exercícios de Literatura com gabarito sobre o tema Minha Vida de Menina: Minha Vida de Menina com questões de Vestibulares.


Você pode conferir as videoaulas, conteúdo de teoria, e mais questões sobre o tema Minha Vida de Menina: Minha Vida de Menina.


01. (UFVJM) ASSINALE a afirmativa correta sobre a obra Minha Vida de Menina, de Helena Morley:

  1. A obra em questão pertence ao gênero textual diário e relata a vida de sua protagonista desde a infância até a velhice.
  2. Por abordar a infância de sua narradora, a obra apresenta ausência de criticidade em relação aos conflitos sociais do Arraial do Tijuco no século XIX.
  3. Helena Morley é uma personagem ficcional inventada por Alice Dayrell Caldeira Brant para ser protagonista das narrativas que criou sobre o cotidiano do Arraial do Tijuco.
  4. Com uma linguagem rica em seu caráter despretensioso e coloquial, o texto evidencia aspectos sociais, econômicos, políticos e religiosos do Arraial do Tijuco no século XIX.

02. (FUVEST) Hoje fizeram o enterro de Bela. Todos na Chácara se convenceram de que ela estava morta, menos eu. Se eu pudesse não deixaria enterrá‐la ainda. Disse isso mesmo a vovó, mas ela disse que não se pode fazer assim. Bela estava igualzinha à que ela era no dia em que chegou da Formação, só um pouquinho mais magra.

Todos dizem que o sofrimento da morte é a luta da alma para se largar do corpo. Eu perguntei a vovó: “Como é que a alma dela saiu sem o menor sofrimento, sem ela fazer uma caretinha que fosse?”. Vovó disse que tudo isso é mistério, que nunca a gente pode saber essas coisas com certeza. Uns sofrem muito quando a alma se despega do corpo, outros morrem de repente sem sofrer.

Helena Morley, Minha Vida de Menina.

Perguntas

Numa incerta hora fria

perguntei ao fantasma

que força nos prendia,

ele a mim, que presumo

estar livre de tudo

eu a ele, gasoso,

(...)

No voo que desfere

silente e melancólico,

rumo da eternidade,

ele apenas responde

(se acaso é responder

a mistérios, somar‐lhes

um mistério mais alto):

Amar, depois de perder

Carlos Drummond de Andrade, Claro Enigma.

As perguntas da menina e do poeta versam sobre a morte.

É correto afirmar que

  1. ambos guardam uma dimensão transcendente e católica, de origem mineira.
  2. ambos ouvem respostas que lhes esclarecem em definitivo as dúvidas existenciais.
  3. a menina mostra curiosidade acerca da morte como episódio e o poeta especula o sentido filosófico da morte.
  4. a menina está inquieta por conhecer o destino das almas, enquanto o poeta critica o ceticismo.
  5. as duas respostas reforçam os mistérios da vida ao acolherem crenças populares.

03. (FACASPER) Assinale a opção que identifica corretamente o excerto crítico relacionado a Minha vida de menina, de Helena Morley:

  1. “Depoimento circunscrito ao plano biográfico ou geográfico”.
  2. “A meio caminho do documento e da ficção”.
  3. “Caderno de anotações escrito à margem da literatura”.
  4. “Prosa coloquial, cheia de chiste e tão próxima (...) da sua fonte popular”.
  5. “Penetrante nos juízos, exata e espirituosa nas análises”.

Voltada para o encanto da vida livre do pequeno núcleo

aberto para o campo, a jovem Helena, familiar a todas as

classes sociais daquele âmbito, estava colocada num invejável

ponto de observação. (...)

{5} Sem querer forçar um conflito que, a bem dizer, apenas

se esboça, podemos atribuir parte desta grande versatilidade

psicológica da protagonista aos ecos de uma formação

britânica, protestante, liberal, ressoando num ambiente de

corte ibérico e católico, mal saído do regime de trabalho

{10} escravo. Colorindo a apaixonada esfera de independência da

juventude, reveste-se de acentuado sabor sociológico este caso

da menina ruiva que, embora inteiramente identificada com o

meio de gente morena que é o seu, o único que conhece e ama,

não vacila em o criticar com precisão e finura notáveis, se essa

{15} lucidez não traduzisse a coexistência íntima de dois mundos

culturais divergentes, que se contemplam e se julgam no

interior de um eu tornado harmonioso pelo equilíbriomesmo de

suas contradições.

Alexandre Eulálio, “Livro que nasceu clássico”. In: Helena Morley, Minha vida de menina

04. (Fuvest) De acordo com Alexandre Eulálio, a protagonista do romance Minha vida de menina

  1. vivencia um conflito – uma ideia fortalecida por “a bem dizer” (L. 5).
  2. apresenta certo vínculo com o protestantismo – uma ideia sintetizada por “ecos de uma formação britânica” (L. 7-8).
  3. formou-se num meio alheio ao trabalho escravo – um fato referido por “num ambiente de corte ibérico e católico” (L. 8-9).
  4. rejeita as influências do meio em que vive – uma característica revelada por “precisão e finura notáveis” (L. 14).
  5. tem a sua lucidez psicológica abalada pelas ambivalências de sua educação – um traço reiterado por “equilíbrio mesmo de suas contradições” (L. 17-18).

05. (FUVEST) O trecho do romance Minha vida de menina que ilustra de modo mais preciso o que, para o crítico Alexandre Eulálio, representa “a coexistência íntima de dois mundos culturais divergentes” é:

  1. “Se há uma coisa que me faz muita tristeza é gostar muito de uma pessoa, pensando que ela é boa e depois ver que é ruim”.
  2. “Eu tinha muita inveja de ver meus irmãos montarem no cavalo em pelo, mas agora estou curada e não montarei nunca mais na minha vida”.
  3. “Já refleti muito desde ontem e vi que o único meio de ter vestido é vendendo o broche. Vou dormir ainda esta noite com isto na cabeça e vou conversar com Nossa Senhora tudo direitinho”.
  4. “Se eu não ouvir missa no domingo, como quando estou na Boa Vista onde não há igreja e não posso ouvir no Bom Sucesso, fico o dia todo com um prego na consciência me aferroando”.
  5. “Este ano saiu à rua a procissão de Cinzas que há muitos anos não havia. Dizem que não saía há muito tempo por falta de santos, porque muitos já estavam quebrados”.

Você acredita que o gabarito esteja incorreto? Avisa aí 😰| Email ou WhatsApp



Você acredita que o gabarito esteja incorreto? Avisa aí 😰| Email ou WhatsApp