Home > Banco de Questões > Sociologia > Trabalho >Estratificação Social

Estratificação Social

Lista de 10 exercícios de Sociologia com gabarito sobre o tema Estratificação Social com questões de Vestibulares.


Você pode conferir as videoaulas, conteúdo de teoria, e mais questões sobre o tema aqui.



01. (UNESP) “Eu tinha muito medo, estava sozinha, não tinha como não trabalhar. Ela não me deixava amamentar meu filho pela manhã, dizia que eu perderia tempo.” (Dora E. A. Calle)

“Quando eu precisava sair da casa, sempre tinha que pedir a chave. E nessa hora a chave sempre sumia.” (Raul G. P. Mendoza)

“A casa onde eu trabalhava tinha outros 14 bolivianos, que, assim como eu, queriam guardar dinheiro e voltar para nosso país. Mas não é bem assim que acontece.” (Alicia V. Balboa)

(Bárbara Forte. “Tecendo sonhos”. https://noticias.bol.uol.com.br, 09.05.2019. Adaptado.)

Esses depoimentos retratam a realidade vivida por imigrantes bolivianos que trabalharam no setor têxtil da capital paulista.

Os depoimentos evidenciam

  1. a competitividade da Divisão Internacional do Trabalho.
  2. a relação de trabalho análoga à escravidão.
  3. o processo de segregação estimulado pela xenofobia.
  4. a flexibilização das leis trabalhistas.
  5. o descompasso do trabalho formal com as mudanças da globalização.

02. (UEMA) Leia o fragmento a seguir:

Não é de hoje que a crítica justa e necessária aos excessos do capitalismo é apenas um aperitivo para a negação total e utópica do sistema. Sob esse ponto de vista, tem razão quem acha que a presidente Dilma precisou de coragem para anunciar a adoção de práticas de livre mercado em seu governo, por meio de associações com empresas privadas dentro da regra do jogo de mercado [...]. É preciso ter coragem para celebrar o capitalismo, sistema econômico que está longe de ser perfeito, mas, a exemplo da democracia na política, é melhor do que todos os demais.

VEJA. São Paulo: Abril, 15 ago. 2012.

As características do capitalismo como sistema político-econômico são

  1. doutrina político-econômica, defendendo o fortalecimento do Estado através da economia planificada.
  2. sistema de iniciativa político-econômica, baseado no controle do mercado; liberdade política e minimização do Estado.
  3. sistema de iniciativa econômica, baseado no câmbio de mercado; propriedade privada do capital; abertura de mercado e redução do Estado.
  4. sistema de iniciativa estatal, baseado na planificação de mercado; propriedade coletiva de mercado; abertura de mercado e ampliação do Estado.
  5. doutrina, tendo a liberdade como bem maior; harmonia e paz social promovendo o progresso; redução do Estado à função negativa de repressão a ordem pública.

03. (UNESP) O cooperativismo de consumo não está morto, mas perdeu a batalha contra o grande capital comercial, que é atacadista e varejista ao mesmo tempo. Em termos de preços e qualidade, o grande capital é imbatível. Só que é impessoal, burocrático, não permite atentar para necessidades particulares. Suas vantagens se dirigem a um público cujas preferências são pautadas pela publicidade nos meios de comunicação.

(Paul Singer. Introdução à economia solidária, 2013. Adaptado.)

Um pressuposto das relações contemporâneas de consumo, coerente com a lógica do modo de produção capitalista, é

  1. a pluralidade na produção.
  2. a diversidade dos indivíduos.
  3. a generalização de tarefas.
  4. a massificação da sociedade.
  5. a pequena escala produtiva.

04. (UECE) “Hoje é evidente que a Era de Ouro pertenceu essencialmente aos países capitalistas desenvolvidos (...).”

HOBSBAWN, Eric. Era dos extremos: o breve século XX; 1914-1991. São Paulo, Companhia das Letras, 2a Edição 1995.

A afirmação feita por um dos maiores intelectuais do nosso tempo refere-se ao período que se inicia após a Segunda Guerra Mundial e se estende até o final do século XX. Considerando esta janela na linha do tempo, analise as afirmações sobre as características do capitalismo.

I. Neste espaço temporal houve uma reestruturação do capitalismo, notada a partir do avanço da globalização e da internacionalização da economia.

II. A industrialização neste período proporcionou o aumento gradual do campesinato, esvaziando as cidades e aumentando o número de pessoas no campo, fortalecendo a agroindústria.

III. O processo de produção inicialmente baseado no fordismo levou a sociedade a uma padronização da tecnologia e ao consumo de forma global.

Está correto o que se afirma apenas em

  1. I.
  2. II e III.
  3. II.
  4. I e III.

05. (UNESP) Texto 1

Nunca houve no mundo tanta gente vivendo com suas necessidades básicas atendidas, nunca uma porcentagem tão alta da população mundial viveu fora da miséria – uma vitória espetacular, num planeta com 7 bilhões de habitantes. Nunca houve menos fome. Nunca tantos tiveram tanta educação nem tanto acesso à saúde.

(José Roberto Guzzo. “Um mundo de angústias”. Veja, 25.01.2017.)

Texto 2

Mais sóbrio – e talvez mais pessimista – é olhar para quanto cada grupo se apropriou do crescimento total: os 10% mais ricos da população global se apropriaram de 60% de todo o crescimento do mundo entre 1988 e 2008. Uma grande massa de população melhorou de vida, é verdade, mas o que esse dado demonstra é que poderia ter melhorado muito mais se o resultado do crescimento não terminasse tão concentrado nas mãos dos ricos. O que está em jogo é mais do que dinheiro. Em um mundo globalizado, os estados nacionais perdem força. Um grupo pequeno de pessoas com muita riqueza tem grande poder de colocar as cartas a seu favor. Em casos extremos, a desigualdade é uma ameaça à democracia.

(Marcelo Medeiros. “O mundo é o lugar mais desigual do mundo”.

http://piaui.folha.uol.com.br, junho de 2016. Adaptado.)

O confronto entre os dois textos permite concluir corretamente que

  1. ambos manifestam um ponto de vista liberal em termos ideológicos, pois repercutem as vantagens da valorização do livre mercado e da meritocracia.
  2. o texto 1 pressupõe concordância com o liberalismo econômico, enquanto o texto 2 integra problemas econômicos com tendências de retrocesso político.
  3. o texto 1 critica o progresso entendido como aperfeiçoamento contínuo da humanidade, enquanto o texto 2 valoriza a globalização econômica.
  4. ambos apresentam um enfoque crítico e negativo sobre os efeitos do neoliberalismo econômico e suas fortes tendências de diminuição dos gastos públicos.
  5. ambos manifestam um ponto de vista socialista em termos ideológicos, pois enfatizam a necessidade de diminuição da concentração de renda mundial.

06. (UFPA) Nas últimas três décadas tornou-se cada vez mais evidente que o processo de globalização é profundamente contraditório, uma vez que os benefícios e as conquistas que esse processo anuncia não estão disponíveis a todos e podem, inclusive, ter aplicações socialmente indesejáveis. Qual das situações descritas a seguir NÃO EXPRESSA uma das dinâmicas da globalização?

  1. Milhões de trabalhadores vivem fora do seu país de origem; a grande parte deles em situação irregular perante os órgãos de imigração; o turismo globalizado e o comércio sexual envolvendo crianças, adolescentes e adultos de ambos os sexos é um fenômeno que atinge todos os continentes.
  2. As técnicas criminosas tornam-se cada vez mais complexas e sofisticadas com o emprego da internet, com a transnacionalidade, com a utilização do sistema bancário e com a cooptação de agentes públicos.
  3. O tráfico internacional de drogas cresceu espetacularmente desde os anos 80, até atingir, atualmente, uma cifra anual superior aos proventos do comércio internacional de petróleo; o narcotráfico é o segundo item do comércio mundial, só sendo superado pelo tráfico de armamento.
  4. Com a globalização, surge o bandido social, que é um tipo de criminoso, cuja maior ambição é fazer com que o mundo se torne mais justo; para isso comete crimes de toda ordem, e reparte igualmente com as pessoas de seu grupo o produto de sua atividade criminosa.
  5. O desenvolvimento dos meios de comunicação de massa e tecnologias informacionais contribuíram para o surgimento de movimentos sociais ligados em rede sociais pelo mundo, capazes de fazer com que um crime praticado no interior da Amazônia tenha uma repercussão mundial.

07. (UNESP) A escola que se autointitula a primeira colocada no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ocupa, ao mesmo tempo, a 1a e a 569a posição no ranking que a imprensa faz com os resultados do Enem. A escola separou numa sala diferente os alunos que acertavam mais questões em suas provas internas. Trouxe, inclusive, alguns alunos de suas franquias pela Grande São Paulo. E “criou” uma outra escola (abriu outro CNPJ), mesmo estando no mesmo espaço físico. E de lá pra cá esta ‘outra escola’ todo ano é a primeira colocada no Enem. A 569a posição é a que melhor reflete as condições da escola. O 1o lugar é uma farsa. A primeira colocada no Enem NÃO é uma escola, é uma artimanha jurídica que faz com que os alunos tenham suas notas computadas em duas listas diferentes. Todos estudam no mesmo prédio, com os mesmos professores, com o mesmo material, no mesmo horário, convivendo no mesmo pátio e no mesmo horário de intervalo.

No Brasil todo temos centenas de escolas que trabalham com a regra na mão para tentar parecer que são a melhor e depois divulgar, em suas propagandas, que são a melhor escola do país, do estado, da região, da cidade e, em cidades grandes, como várias capitais, até mesmo que é a melhor escola de um determinado bairro.

(Mateus Prado. “Escola campeã do Enem ocupa, ao mesmo tempo, o 1o e o 569o lugar do ranking”. O Estado de S.Paulo, 26.12.2014. Adaptado.)

O fato relatado pode ser explicado em função da

  1. hegemonia dos critérios instrumentais da empresa capitalista em alguns setores da educação.
  2. falência da meritocracia como critério de acesso ao ensino superior na sociedade atual.
  3. priorização de aspectos humanísticos, em detrimento da preparação para o mercado de trabalho.
  4. resistência dos educadores à transformação da escola em instrumento de reprodução ideológica.
  5. separação rigorosa entre os âmbitos da educação e da publicidade na sociedade capitalista.

08. (UEMA) Entre as opções abaixo, indique aquela em que a afirmativa sobre globalização está INCORRETA.

  1. Envolve uma intensa competição entre as economias do norte e do sul com alternância entre mercado global, nacional e local.
  2. Exclui a competição financeira entre os Estados Nacionais e a disputa entre esses por novos mercados.
  3. Supõe uma intensa competição produtiva e financeira entre os países desenvolvidos.
  4. Implica a disputa de mercados entre empresas multinacionais de países imperialistas com redes nacionais.
  5. Supõe um intenso comércio internacional que une mercados globais às classes empresariais sob o impulso da revolução tecnológica.

09. (UFMG) Leia o texto a seguir.

As discussões sobre mercado e relações de trabalho no Brasil envolvem velhas e novas questões. As velhas questões referem-se à história do trabalho no país, em que o processo de assalariamento não constituiu um sistema universal de direitos. (...) As questões novas do debate sobre trabalho e proteção social decorrem da forma como o Brasil se inseriu recentemente no processo de globalização e internacionalização das atividades produtivas e de como as mudanças provocadas pela abertura econômica e financeira redefiniram a agenda de discussão sobre mercado e relações de trabalho.

Disponível em: http://goo.gl/PYqDbC. Acesso em: 28 jun. 2014.

Considerando as mudanças ocorridas no mercado de trabalho no Brasil na década de 1990 bem como os processos de globalização e a abertura da economia, é CORRETO afirmar que

  1. a despeito das crises dos mercados emergentes, ao longo da década de 1990, observa-se no Brasil, expressivo aumento do mercado de trabalho formal, com ampliação da seguridade social.
  2. as crises financeiras em mercados emergentes, como México (1994/1995), países asiáticos (1997) e Rússia (1998), não afetaram a economia brasileira e tampouco, o mercado de trabalho.
  3. o período da década de 1990 caracteriza-se, no Brasil, por uma ampliação do número de assalariados sem carteira profissional, especialmente nas empresas menores e no serviço doméstico.
  4. o período da década de 1990 caracteriza-se, no Brasil, por uma redução expressiva da participação das pessoas ativas no trabalho por conta própria, assim como no trabalho não remunerado.

10. (UFAL) O capitalismo modificou os costumes das sociedades tradicionais e incentivou a competição social.

Com o crescimento da sociedade capitalista, as relações de mobilidade social:

  1. ganharam um espaço importante para se compreender as crises existentes na produção dos valores econômicos.
  2. construíram uma hierarquia definidora das relações de poder, destruindo as possibilidades de desigualdades.
  3. são aceitas sem problemas pelas administrações públicas, não havendo políticas que objetivem alterá-las.
  4. revelam situações de conflito entre grupos de valor apenas econômico, sem maiores problemas sociais.
  5. mostram a força do capitalismo e das suas verdades que garantem a felicidade humana.

Você acredita que o gabarito esteja incorreto? Avisa aí 😰| Email ou WhatsApp