Home > Banco de Questões > Biologia >

Programas de Saúde: Microbiologia, Imunologia e Parasitologia

Lista de 24 exercícios de Biologia com gabarito sobre o tema Programas de Saúde: Microbiologia, Imunologia e Parasitologia com questões do Enem.





Programa de saúde

01. (Enem 2012) Medidas de saneamento básico são fundamentais no processo de promoção de saúde e qualidade de vida da população. Muitas vezes, a falta de saneamento está relacionada com o aparecimento de várias doenças. Nesse contexto, um paciente dá entrada em um pronto atendimento relatando que há 30 dias teve contato com águas de enchente. Ainda informa que nesta localidade não há rede de esgoto e drenagem de águas pluviais e que a coleta de lixo é inadequada. Ele apresenta os seguintes sintomas: febre, dor de cabeça e dores musculares.

Disponível em: http://portal.saude.gov.br. Acesso em: 27 fev. 2012 (adaptado).

Relacionando os sintomas apresentados com as condições sanitárias da localidade, há indicações de que o paciente apresenta um caso de

  1. difteria.
  2. botulismo.
  3. tuberculose.
  4. leptospirose.
  5. meningite meningocócica.

Programa de saúde

02. (Enem 2011)

O mapa mostra a área de ocorrência da malária Enemno mundo. Considerando-se sua distribuição na América do Sul, a malária pode ser classificada como

O mapa mostra a área de ocorrência da malária Enemno mundo. Considerando-se sua distribuição na América do Sul, a malária pode ser classificada como

  1. endemia, pois se concentra em uma área geográfica restrita desse continente.
  2. peste, já que ocorre nas regiões mais quentes do continente.
  3. epidemia, já que ocorre na maior parte do continente.
  4. surto, pois apresenta ocorrência em áreas pequenas.
  5. pandemia, pois ocorre em todo o continente.

Programa de saúde

03. (Enem 2011) Durante as estações chuvosas, aumentam no Brasil as campanhas de prevenção à dengue, que têm como objetivo a redução da proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor do vı́rus da dengue.

Que proposta preventiva poderia ser efetivada para diminuir a reprodução desse mosquito?

  1. Colocação de telas nas portas e janelas, pois o mosquito necessita de ambientes cobertos e fechados para a sua reprodução.
  2. Substituição das casas de barro por casas de alvenaria, haja vista que o mosquito se reproduz na parede das casas de barro.
  3. Remoção dos recipientes que possam acumular água, porque as larvas do mosquito se desenvolvem nesse meio.
  4. Higienização adequada de alimentos, visto que as larvas do mosquito se desenvolvem nesse tipo de substrato.
  5. Colocação de filtros de água nas casas, visto que a reprodução do mosquito acontece em águas contaminadas.

Programa de saúde

04. (Enem 2011) Os sintomas mais sérios da Gripe A, causada pelo vı́rus H1N1, foram apresentados por pessoas mais idosas e por gestantes. O motivo aparente é a menor imunidade desses grupos contra o vı́rus. Para aumentar a imunidade populacional relativa ao vı́rus da gripe A, o governo brasileiro distribuiu vacinas para os grupos mais suscetı́veis.

A vacina contra o H1N1, assim como qualquer outra vacina contra agentes causadores de doenças infectocontagiosas, aumenta a imunidade das pessoas porque

  1. possui anticorpos contra o agente causador da doença.
  2. possui proteı́nas que eliminam o agente causador da doença.
  3. estimula a produção de glóbulos vermelhos pela medula óssea.
  4. possui linfócitos B e T que neutralizam o agente causador da doença.
  5. estimula a produção de anticorpos contra o agente causador da doença.

Programa de saúde

05. (Enem 2011) O vı́rus do papiloma humano (HPV, na sigla em inglês) causa o aparecimento de verrugas e infecção persistente, sendo o principal fator ambiental do câncer de colo de útero nas mulheres. O vı́rus pode entrar pela pele ou por mucosas do corpo, o qual desenvolve anticorpos contra a ameaça, embora em alguns casos a defesa natural do organismo não seja suficiente.

Foi desenvolvida uma vacina contra o HPV, que reduz em até 90% as verrugas e 85,6% dos casos de infecção persistente em comparação com pessoas não vacinadas.

Disponı́vel em: http://g1.globo.com. Acesso em: 12 jun. 2011.

O benefı́cio da utilização dessa vacina é que pessoas vacinadas, em comparação com as não vacinadas, apresentam diferentes respostas ao vı́rus HPV em decorrência da

  1. alta concentração de macrófagos.
  2. elevada taxa de anticorpos especı́ficos anti-HPV circulantes.
  3. aumento na produção de hemácias após a infecção por vı́rus HPV.
  4. rapidez na produção de altas concentrações de linfócitos matadores.
  5. presença de células de memória que atuam na resposta secundária.

Programa de saúde

06. (Enem 2011) Um grupo internacional de cientistas achou um modo de “tapar o nariz” do mosquito do gênero Anopheles. As aspas são necessárias porque o inseto fareja suas vítimas usando as antenas. Os cientistas descobriram como ocorre a captação de cheiros pelas antenas e listaram algumas substâncias capazes de bloquear a detecção de odores que os mosquitos reconhecem. Essa descoberta possibilita, por exemplo, a criação de um repelente muito mais preciso contra o inseto.

Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br. Acesso em: 12 abr. 2010 (adaptado).

Se a descoberta descrita no texto for extensiva a outros insetos, pode ajudar a combater algumas doenças no Brasil, como, por exemplo,

  1. dengue, febre amarela, doença de Chagas e leptospirose.
  2. malária, meningite, peste bubônica e doença de Chagas.
  3. doença de Chagas, dengue, febre amarela e leishmaniose.
  4. dengue, cólera, lepra e peste bubônica.
  5. malária, dengue, cólera e leptospirose.

Programa de saúde

07. (Enem 2010 PPL) A Síndrome da Imunociência Adquirida (AIDS) é a manifestação clínica da infecção pelo vírus HIV, que leva, em média, oito anos para se manifestar. No Brasil, desde a identificação do primeiro caso de AIDS em 1980 até junho de 2007, já foram identificados cerca de 174 mil casos da doença. O país acumulou, aproximadamente, 192 mil óbitos devido à AIDS até junho de 2006, sendo as taxas de mortalidade crescentes até meados da década de 1990 e estabilizando-se em cerca de 11 mil óbitos anuais desde 1998. [...] A partir do ano 2000, essa taxa se estabilizou em cerca de 6,4 óbitos por 100 mil habitantes, sendo esta estabilização mais evidente em São Paulo e no Distrito Federal.

Disponível em: http://www.aids.gov.br. Acesso em: 01 maio 2009 (adaptado).

A redução nas taxas de mortalidade devido à AIDS a partir da década de 1990 é decorrente

  1. do aumento do uso de preservativos nas relações sexuais, que torna o vírus HIV menos letal.
  2. da melhoria das condições alimentares dos soropositivos, a qual fortalece o sistema imunológico deles.
  3. do desenvolvimento de drogas que permitem diferentes formas de ação contra o vírus HIV.
  4. das melhorias sanitárias implementadas nos últimos 30 anos, principalmente nas grandes capitais.
  5. das campanhas que estimulam a vacinação contra o vírus e a busca pelos serviços de saúde.

Programa de saúde

08. (Enem 2010) Três dos quatro tipos de testes atualmente empregados para a detecção de príons patogênicos em tecidos cerebrais de gado morto são mostrados nas figuras a seguir. Uma vez identificado um animal morto infectado, funcionários das agências de saúde pública e fazendeiros podem removê-lo do suprimento alimentar ou ras- trear os alimentos infectados que o animal possa ter consumido.

Três dos quatro tipos de testes atualmente empregados para a detecção de príons patogênicos em tecidos cerebrais de gado morto são mostrados nas figuras a seguir.

Analisando os testes I, II e III, para a detecção de príons patogênicos, identifique as condições em que os resultados foram positivos para a presença de príons nos três testes:

  1. Animal A, lâmina B e gel A.
  2. Animal A, lâmina A e gel B.
  3. Animal B, lâmina A e gel B.
  4. Animal B, lâmina B e gel A.
  5. Animal A, lâmina B e gel B

Programa de saúde

09. (Enem 2010 PPL) Em 2009, o município maranhense de Bacabal foi fortemente atingido por enchentes, submetendo a população local a viver em precárias condições durante algum tempo. Em razão das enchentes, os agentes de saúde manifestaram, na ocasião, temor pelo aumento dos casos de doenças como, por exemplo, a malária, a leptospirose, a leishmaniose e a esquistossomose.

“Cidades inundadas enfrentam aumento de doenças”. Folha Online. 22 abr. 2009.

Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br.Acesso: em 28 abr. 2010 (adaptado).

Que medidas o responsável pela promoção da saúde da população afetada pela enchente deveria sugerir para evitar o aumento das doenças mencionadas no texto, respectivamente?

  1. Evitar o contato com a água contaminada por mosquitos, combater os percevejos hematófagos conhecidos como barbeiros, eliminar os caramujos do gênero Biomphalaria e combater o mosquito Anopheles.
  2. Combater o mosquito Anopheles, evitar o contato com a água suja acumulada pelas enchentes, combater o mosquito flebótomo e eliminar caramujos do gênero Biomphalaria.
  3. Eliminar os caramujos do gênero Biomphalaria, combater o mosquito flebótomo, evitar o contato com a água suja acumulada pelas enchentes e combater o mosquito Aedes.
  4. Combater o mosquito Aedes, evitar o contato com a água suja acumulada pelas enchentes, eliminar os caramujos do gênero Biomphalaria e combater os percevejos hematófagos conhecidos como barbeiros.
  5. Combater o mosquito Aedes, eliminar os caramujos do gênero Biomphalaria, combater o mosquito flebótomo e evitar o contato com a água contaminada por mosquitos.

Programa de saúde

10. (Enem 2010) Investigadores das Universidades de Oxford e da Califôrnia desenvolveram uma variedade de Aedes aegypti geneticamente modificada que é candidata para uso na busca de redução na transmissão do vı́rus da dengue. Nessa nova variedade de mosquito, as fêmeas não conseguem voar devido à interrupção do desenvolvimento do músculo das asas. A modificação genética introduzida é um gene dominante condicional, isso é, o gene tem expressão dominante (basta apenas uma cópia do alelo) e este só atua nas fêmeas.

FU, G. et al. Female-specific hightiess phenotype for mosquito control. PNAS 107 (10): 4550-4554, 2010.

Prevê-se, porém, que a utilização dessa variedade de Aedes aegypti demore ainda anos para ser implementada, pois há demanda de muitos estudos com relação ao impacto ambiental. A liberação de machos de Aedes aegypti dessa variedade geneticamente modificada reduziria o número de casos de dengue em uma determinada região porque

  1. diminuiria o sucesso reprodutivo desses machos transgênicos.
  2. restringiria a área geográfica de voo dessa espécie de mosquito.
  3. dificultaria a contaminação e reprodução do vetor natural da doença.
  4. tomaria o mosquito menos resistente ao agente etiológico da doença.
  5. dificultaria a obtenção de alimentos pelos machos geneticamente modificados.

Programa de saúde

11. (Enem 2010) O uso prolongado de lentes de contato, sobretudo durante a noite, aliado a condições precárias de higiene representam fatores de risco para o aparecimento de uma infecção denominada ceratite microbiana, que causa ulceração inflamatória da córnea. Para interromper o processo da doença, é necessário tratamento antibiótico. De modo geral, os fatores de risco provocam a diminuição da oxigenação corneana e determinam mudanças no seu metabolismo, de um estado aeróbico para anaeróbico. Como decorrência, observa-se a diminuição no número e na velocidade de mitoses do epitélio, o que predispõe ao aparecimento de defeitos epiteliais e à invasão bacteriana.

CRESTA. F. Lente de contato e infecção ocular. Revista Sinopse de Oftalmologia. São Paulo: Moreira Jr., v, n.04, 04. 2002 (adaptado).

A instalação das bactérias e o avanço do processo infeccioso na córnea estão relacionados a algumas caracterı́sticas gerais desses microrganismos, tais como:

  1. A grande capacidade de adaptação, considerando as constantes mudanças no ambiente em que se reproduzem e o processo aeróbico como a melhor opção desses microrganismos para a obtenção de energia.
  2. A grande capacidade de sofrer mutações, aumentando a probabilidade do aparecimento de formas resistentes e o processo anaeróbico da fermentação como a principal via de obtenção de energia.
  3. A diversidade morfológica entre as bactérias, aumentando a variedade de tipos de agentes infecciosos e a nutrição heterotrófica, como forma de esses microrganismos obterem matéria-prima e energia.
  4. O alto poder de reprodução, aumentando a variabilidade genética dos milhares de indivı́duos e a nutrição heterotrófica, como única forma de obtenção de matéria-prima e energia desses microrganismos.
  5. O alto poder de reprodução, originando milhares de descendentes geneticamente idênticos entre si e a diversidade metabólica, considerando processos aeróbicos e anaeróbicos para a obtenção de energia.

Programa de saúde

12. (Enem 2010) A vacina, o soro e os antibióticos submetem os organismos a processos biológicos diferentes. Pessoas que viajam para regiões em que ocorrem altas incidências de febre amarela, de picadas de cobras peçonhentas e de leptospirose e querem evitar ou tratar problemas de saúde relacionados a essas ocorrências devem seguir determinadas orientações.

Ao procurar um posto de saúde, um viajante deveria ser orientado por um médico a to- mar preventivamente ou como medida de tratamento

  1. antibiótico contra o vı́rus da febre amarela, soro antiofı́dico caso seja picado por uma cobra e vacina contra a leptospirose.
  2. vacina contra o vı́rus da febre amarela, soro antiofı́dico caso seja picado por uma cobra e antibiótico caso entre em contato com a Leptospira sp.
  3. soro contra o vı́rus da febre amarela, antibiótico caso seja picado por uma cobra e soro contra toxinas bacterianas.
  4. antibiótico ou soro, tanto contra o vı́rus da febre amarela como para veneno de cobras, e vacina contra a leptospirose.
  5. soro antiofı́dico e antibiótico contra a Leptospira sp e vacina contra a febre amarela caso entre em contato com o vı́rus causador da doença.

Programa de saúde

13. (Enem 2009) Estima-se que haja atualmente no mundo 40 milhões de pessoas infectadas pelo HIV (o vı́rus que causa a AIDS), sendo que as taxas de novas infecções continuam crescendo, principalmente na África, Ásia e Rússia. Nesse cenário de pandemia, uma vacina contra o HIV teria imenso impacto, pois salvaria milhões de vidas. Certamente seria um marco na história planetária e também uma esperança para as populações carentes de tratamento antiviral e de acompanhamento médico.

TANURI, A.; FERREIRA JUNIOR, O. C. Vacina contra Aids: desafios e esperanças. Ciência Hoje (44) 26, 2009 (adaptado).

Uma vacina eficiente contra o HIV deveria

  1. induzir a imunidade, para proteger o organismo da contaminação viral.
  2. ser capaz de alterar o genoma do organismo portador, induzindo a sı́ntese de enzimas protetoras.
  3. produzir antı́genos capazes de se ligarem ao vı́rus, impedindo que este entre nas células do organismo humano.
  4. ser amplamente aplicada em animais, visto que esses são os principais transmissores do vı́rus para os seres humanos.
  5. estimular a imunidade, minimizando a transmissão do vı́rus por gotı́culas de saliva.

Programa de saúde

14. (Enem 2007) O Aedes aegypti é vetor transmissor da dengue. Uma pesquisa feita em São Luís - MA, de 2000 a 2002, mapeou os tipos de reservatório onde esse mosquito era encontrado. A tabela adiante mostra parte dos dados coletados nessa pesquisa.

 O Aedes aegypti é vetor transmissor da dengue. Uma pesquisa feita em São Luís - MA, de 2000 a 2002, mapeou os tipos de reservatório onde esse mosquito era encontrado.

De acordo com essa pesquisa, o alvo inicial para a redução mais rápida dos focos do mosquito vetor da dengue nesse município deveria ser constituído por

  1. pneus e caixas d'água.
  2. tambores, tanques e depósitos de barro.
  3. vasos de plantas, poços e cisternas.
  4. materiais de construção e peças de carro.
  5. garrafas, latas e plásticos.

Programa de saúde

15. (Enem 2005) Entre 1975 e 1999, apenas 15 novos produtos foram desenvolvidos para o tratamento da tuberculose e de doenças tropicais, as chamadas doenças negligenciadas. No mesmo período, 179 novas drogas surgiram para atender portadores de doenças cardiovasculares.

Desde 2003, um grande programa articula esforços em pesquisa e desenvolvimento tecnológico de instituições científicas, governamentais e privadas de vários países para reverter esse quadro de modo duradouro e profissional.

I. As doenças negligenciadas, típicas das regiões subdesenvolvidas do planeta, são geralmente associadas à subnutrição e à falta de saneamento básico.
II. As pesquisas sobre as doenças negligenciadas não interessam à indústria farmacêutica porque atingem países em desenvolvimento sendo economicamente pouco atrativas.
III. O programa de combate às doenças negligenciadas endêmicas não interessa ao Brasil porque atende a uma parcela muito pequena da população.

Sobre as doenças negligenciadas e o programa internacional, considere as seguintes afirmativas:

Está correto apenas o que se afirma em:

  1. I.
  2. II.
  3. III.
  4. I e II.
  5. II e III.

Programa de saúde

16. (Enem 2004) Algumas doenças que, durante várias décadas do século XX, foram responsáveis pelas maiores percentagens das mortes no Brasil, não são mais significativas neste início do século XXI. No entanto, aumentou o percentual de mortalidade devida a outras doenças, conforme se pode observar no diagrama:

 Algumas doenças que, durante várias décadas do século XX, foram responsáveis pelas maiores percentagens das mortes no Brasil, não são mais significativas neste início do século XXI.

No período considerado no diagrama, deixaram de ser predominantes, como causas de morte, as doenças

  1. infecto-parasitárias, eliminadas pelo êxodo rural que ocorreu entre 1930 e 1940.
  2. infecto-parasitárias, reduzidas por maior saneamento básico, vacinas e antibióticos.
  3. digestivas, combatidas pelas vacinas, vermífugos, novos tratamentos e cirurgias.
  4. digestivas, evitadas graças à melhoria do padrão alimentar do brasileiro.
  5. respiratórias, contidas pelo melhor controle da qualidade do ar nas grandes cidades.

Programa de saúde

17. (Enem 2002) Uma nova preocupação atinge os profissionais que trabalham na prevenção da AIDS no Brasil. Tem-se observado um aumento crescente, principalmente entre os jovens, de novos casos de AIDS, questionando-se, inclusive, se a prevenção vem sendo ou não relaxada. Essa temática vem sendo abordada pela mídia:

"Medicamentos já não fazem efeito em 20% dos infectados pelo vírus HIV. Análises revelam que um quinto das pessoas recém-infectadas não haviam sido submetidas a nenhum tratamento e, mesmo assim, não responderam às duas principais drogas anti-AIDS. Dos pacientes estudados, 50% apresentavam o vírus FB, uma combinação dos dois subtipos mais prevalentes no país, F e B".

(Adaptado do Jornal do Brasil, 02/10/2001.)

Dadas as afirmações acima, considerando o enfoque da prevenção, e devido ao aumento de casos da doença em adolescentes, afirma-se que

I - O sucesso inicial dos coquetéis anti-HIV talvez tenha levado a população a se descuidar e não utilizar medidas de proteção, pois se criou a ideia de que estes remédios sempre funcionam.
II - Os vários tipos de vírus estão tão resistentes que não há nenhum tipo de tratamento eficaz e nem mesmo qualquer medida de prevenção adequada.
III - Os vírus estão cada vez mais resistentes e, para evitar sua disseminação, os infectados também devem usar camisinhas e não apenas administrar coquetéis.

Está correto o que se afirma em

  1. I, apenas.
  2. II, apenas.
  3. I e III, apenas.
  4. II e III, apenas.
  5. I, II e III.

Programa de saúde

18. (Enem 2001) A partir do primeiro semestre de 2000, a ocorrência de casos humanos de febre amarela silvestre extrapolou as áreas endêmicas, com registro de casos em São Paulo e na Bahia, onde os últimos casos tinham ocorrido em 1953 e 1948. Para controlar a febre amarela silvestre e prevenir o risco de uma reurbanização da doença, foram propostas as seguintes ações:

I. Exterminar os animais que servem de reservatório do vírus causador da doença.
II. Combater a proliferação do mosquito transmissor.
III. Intensificar a vacinação nas áreas onde a febre amarela é endêmica e em suas regiões limítrofes.

É efetiva e possível de ser implementada uma estratégia envolvendo

  1. a ação II, apenas.
  2. as ações I e II, apenas.
  3. as ações I e III, apenas.
  4. as ações II e III, apenas.
  5. as ações I, II e III.

Programa de saúde

19. (Enem 1999) CASOS DE LEPTOSPIROSE CRESCEM NA REGIÃO

M.P.S. tem 12 anos e está desde janeiro em tratamento de leptospirose. Ela perdeu a tranquilidade e encontrou nos ratos, (...), os vilões de sua infância. "Se eu não os matar, eles me matam", diz. Seu medo reflete um dos maiores problemas do bairro: a falta de saneamento básico e o acúmulo de lixo...

(O Estado de S. Paulo, 31/07/1997)

OITO SUSPEITOS DE LEPTOSPIROSE

A cidade ficou sob as águas na madrugada de anteontem e, além de 120 desabrigados, as inundações estão fazendo outro tipo de vítimas: já há oito suspeitas de casos de leptospirose (...) transmitida pela urina de ratos contaminados.

(Folha de S. Paulo, 12/02/1999)

As notícias dos jornais sobre casos de leptospirose estão associadas aos fatos:

I. Quando ocorre uma enchente, as águas espalham, além do lixo acumulado, todos os desejos dos animais que ali vivem.
II. O acúmulo de lixo cria ambiente propício para a proliferação dos ratos.
III. O lixo acumulado nos terrenos baldios e nas margens de rios entope os bueiros e compromete o escoamento das águas em dias de chuva.
IV. As pessoas que vivem na região assolada pela enchente, entrando em contato com a água contaminada, têm grande chance de contrair a leptospirose.

A SEQUÊNCIA de fatos que relaciona corretamente a leptospirose, o lixo, as enchentes e os roedores, é:

  1. I, II, III e IV.
  2. I, III, IV e II.
  3. IV, III, II e I.
  4. II, IV, I e III.
  5. II, III, I e IV.

20. (Enem) Na embalagem de um antibiótico, encontra-se uma bula que, entre outras informações, explica a ação do remédio do seguinte modo: “O medicamento atua por inibição da síntese proteica bacteriana”. Essa afirmação permite concluir que o antibiótico:

  1. impede a fotossíntese realizada pelas bactérias causadoras da doença e, assim, elas não se alimentam e morrem.
  2. altera as informações genéticas das bactérias causadoras da doença, o que impede a manutenção e a reprodução desses organismos.
  3. dissolve as membranas das bactérias responsáveis pela doença, o que dificulta o transporte de nutrientes e provoca a morte delas
  4. elimina os vírus causadores da doença, pois não conseguem obter as proteínas que seriam produzidas pelas bactérias que parasitam.
  5. interrompe a produção de proteína das bactérias causadoras da doença, o que impede sua multiplicação pelo bloqueio de funções vitais.

21. (Enem) O que têm em comum Noel Rosa, Castro Alves, Franz Kafka, Álvares de Azevedo, José de Alencar e Frédéric Chopin?

Todos eles morreram de tuberculose, doença que ao longo dos séculos fez mais de 100 milhões de vítimas. Aparentemente controlada durante algumas décadas, a tuberculose voltou a matar. O principal obstáculo para seu controle é o aumento do número de linhagens de bactérias resistentes aos antibióticos usados para combatê-la. Esse aumento do número de linhagens resistentes se deve a:.

  1. modificações no metabolismo das bactérias, para neutralizar o efeito dos antibióticos e incorporá-los à sua nutrição.
  2. mutações selecionadas pelos antibióticos, que eliminam as bactérias sensíveis a eles, mas permitem que as resistentes se multipliquem.
  3. mutações causadas pelos antibióticos, para que as bactérias se adaptem e transmitam essa adaptação a seus descendentes.
  4. modificações fisiológicas nas bactérias, para torná-las cada vez mais fortes e mais agressivas no desenvolvimento da doença.
  5. modificações na sensibilidade das bactérias, ocorridas depois de passarem um longo tempo sem contato com antibióticos.

22. (Enem 1998) Em uma aula de Biologia, o seguinte texto é apresentado:

Lagoa Azul está doente

Os vereadores da pequena cidade de Lagoa Azul estavam discutindo a situação da saúde no município. A situação era mais grave com relação a três doenças: doença de Chagas, esquistossomose e ascaridíase (lombriga). Na tentativa de prevenir novos casos, foram apresentadas várias propostas:

• Proposta 1: Promover uma campanha de vacinação.

• Proposta 2: Promover uma campanha de educação da população com relação a noções básicas de higiene, incluindo fervura de água.

• Proposta 3: Construir rede de saneamento básico.

• Proposta 4: Melhorar as condições de edificação das moradias e estimular o uso de telas nas portas e janelas e mosquiteiros de filó.

• Proposta 5: Realizar campanha de esclarecimento sobre os perigos de banhos nas lagoas.

• Proposta 6: Aconselhar o uso controlado de inseticidas.

• Proposta 7: Drenar e aterrar as lagoas do município

Em relação à esquistossomose, a situação é complexa, pois o ciclo de vida do verme que causa a doença tem vários estágios, incluindo a existência de um hospedeiro intermediário, um caramujo aquático, que é contaminado pelas fezes das pessoas doentes. Analisando as medidas propostas, o combate à doença terá sucesso se forem implementadas:

  1. da doença e de seu hospedeiro.
  2. 1 e 4, pois, além de eliminarem o agente causador da doença, também previnem o contato do transmissor com as pessoas sãs.
  3. 4 e 6, pois envolvem o extermínio do transmissor da doença.
  4. 1, 4 e 6, pois atingirão todas as fases do ciclo de vida do agente causador da doença, incluindo o seu hospedeiro intermediário.
  5. 3 e 5, pois prevenirão a contaminação do hospedeiro intermediário pelas fezes das pessoas doentes e a contaminação de pessoas sãs por águas contaminadas.

23. (Enem) Considere o texto Lagoa Azul está doente da questão anterior. Para o combate da ascaridíase, a proposta que trará maior benefício social, se implementada pela prefeitura, será:

  1. 1.
  2. 3.
  3. 4
  4. 5.
  5. 6.

24. (Enem) Em 2009, o município maranhense de Bacabal foi fortemente atingido por enchentes, submetendo a população local a viver em precárias condições durante algum tempo. Em razão das enchentes, os agentes de saúde manifestaram, na ocasião, temor pelo aumento dos casos de doenças como, por exemplo, a malária, a leptospirose, a leishmaniose e a esquistossomose.

“Cidades inundadas enfrentam aumento de doenças”. Folha Online. 22 abr. 2009. Disponível em: http://www.folha.uol.com.br. Acesso: em 28 abr. 2010 (adaptado).

Que medidas o responsável pela promoção da saúde da população afetada pela enchente deveria sugerir para evitar o aumento das doenças mencionadas no texto, respectivamente?

  1. Evitar o contato com a água contaminada por mosquitos, combater os percevejos hematófagos conhecidos como barbeiros, eliminar os caramujos do gênero Biomphalaria e combater o mosquito Anopheles.
  2. Combater o mosquito Anopheles, evitar o contato com a água suja acumulada pelas enchentes, combater o mosquito flebótomo e eliminar caramujos do gênero Biomphalaria.
  3. Eliminar os caramujos do gênero Biomphalaria, combater o mosquito flebótomo, evitar o contato com a água suja acumulada pelas enchentes e combater o mosquito Aedes
  4. Combater o mosquito Aedes, evitar o contato com a água suja acumulada pelas enchentes, eliminar os caramujos do gênero Biomphalaria e combater os percevejos hematófagos conhecidos como barbeiros.
  5. Combater o mosquito Aedes, eliminar os caramujos do gênero Biomphalaria, combater o mosquito flebótomo e evitar o contato com a água contaminada por mosquitos
.