Home > Banco de Questões > Linguagens > Estilística >Funções da Linguagem

Funções da Linguagem I

Lista de 15 exercícios de Português com gabarito sobre o tema Funções da Linguagem com questões de Vestibulares.


Você pode conferir as videoaulas, conteúdo de teoria, e mais questões sobre o tema aqui.



01. (Fuvest) Observe, ao lado, esta gravura de Escher: Na linguagem verbal, exemplos de aproveitamento de recursos equivalentes aos da gravura de Escher encontram-se, com frequência

Observe, ao lado, esta gravura de Escher: Na linguagem verbal, exemplos de aproveitamento de recursos equivalentes aos da gravura de Escher encontram-se, com frequência,

  1. nos jornais, quando o repórter registra uma ocorrência que lhe parece extremamente intrigante.
  2. nos textos publicitários, quando se comparam dois produtos que têm a mesma utilidade.
  3. na prosa científica, quando o autor descreve com isenção e distanciamento a experiência de que trata.
  4. na literatura, quando o escritor se vale das palavras para expor procedimentos construtivos do discurso.
  5. nos manuais de instrução, quando se organiza com clareza uma determinada sequência de operações.

02. (FATEC) O senão do livro

COMEÇO a arrepender-me deste livro. Não que ele me canse; eu não tenho que fazer; e, realmente, expedir alguns magros capítulos para esse mundo sempre é tarefa que distrai um pouco da eternidade. mas o livro é enfadonho, cheira a sepulcro, traz certa contração cadavérica, vício grave, e aliás ínfimo, porque o maior defeito deste livro és tu, leitor. Tu tens pressa de envelhecer, e o livro anda devagar; tu amas a narração direta e nutrida, o estilo regular e fluente, e este livro e o meu estilo são como os ébrios, guinam à direita e à esquerda, andam e param, resmungam, urram, gargalham, ameaçam o céu, escorregam e caem…

Este trecho revela o estilo de:

  1. MANUEL ANTONIO DE ALMEIDA, ao usar uma linguagem apelativa, direcionada à reflexão crítica da obra romântica.
  2. GRACILIANO RAMOS, ao revelar a quebra da ordem cronológica da narrativa de suas obras, como reflexo coerente da instabilidade psicológica e espacial de suas personagens.
  3. MACHADO DE ASSIS, ao questionar o leitor quanto à linha lógica e impositiva do tempo velho da obra literária e, ao mesmo tempo, conscientizá-lo de um novo modo de ler.
  4. LIMA BARRETO, ao retratar o estilo incoerente de suas personagens em seus atos de loucura.
  5. CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE, ao especular o tempo e a qualidade de vida do homem (leitor) em interação com o tempo da narrativa.

03. (UEMG) Assinale a alternativa em que o(s) termo(s) em negrito do fragmento citado NÃO contém (êm) traço(s) da função emotiva da linguagem.

  1. Os poemas (infelizmente!) não estão nos rótulos de embalagens nem junto aos frascos de remédio.
  2. A leitura ganha contornos de “cobaia de laboratório” quando sai de sua significação e cai no ambiente artificial e na situação inventada.
  3. Outras leituras significativas são o rótulo de um produto que se vai comprar, os preços do bem de consumo, o tíquete do cinema, as placas do ponto de ônibus (...)
  4. Ler e escrever são condutas da vida em sociedade. Não são ratinhos mortos (...) prontinhos para ser desmontados e montados, picadinhos (...)

04. (FASA) “O Brasil se manteve estagnado no ranking mundial de avaliação do nível de proficiência em inglês. Se comparado com os países dos BRICs (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), o país é o último colocado no que se refere ao domínio da língua.”

Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/educacao/2016/11/1832425-brasil-estaciona-e-e-pior-dos-brics-em-ranking-de-avaliacao-deingles.shtml. Acesso em: 16 nov. 2016

A função da linguagem predominante no fragmento é a

  1. emotiva, pois o locutor expressa sua indignação em relação ao fato.
  2. poética, uma vez que o texto chama a atenção para os recursos de linguagem empregados.
  3. referencial, porque o foco de atenção do texto é a informação.
  4. conativa, porque procura orientar o comportamento do leitor.

05. (UFV) Leia as passagens abaixo, extraídas de São Bernardo, de Graciliano Ramos:

I. Resolvi estabelecer-me aqui na minha terra, município de Viçosa, Alagoas, e logo planeei adquirir a propriedade S. Bernardo, onde trabalhei, no eito, com salário de cinco tostões.

II. Uma semana depois, à tardinha, eu, que ali estava aboletado desde meio-dia, tomava café e conversava, bastante satisfeito.

III. João Nogueira queria o romance em língua de Camões, com períodos formados de trás para diante.

IV. Já viram como perdemos tempo em padecimentos inúteis? Não era melhor que fôssemos como os bois? Bois com inteligência. Haverá estupidez maior que atormentar-se um vivente por gosto? Será? Não será? Para que isso? Procurar dissabores! Será? Não será?

V. Foi assim que sempre se fez. [respondeu Azevedo Gondim] A literatura é a literatura, seu Paulo. A gente discute, briga, trata de negócios naturalmente, mas arranjar palavras com tinta é outra coisa. Se eu fosse escrever como falo, ninguém me lia.

Assinale a alternativa em que ambas as passagens demonstram o exercício de metalinguagem em São Bernardo:

  1. III e V.
  2. I e II.
  3. I e IV.
  4. III e IV.
  5. II e V.

06. (ETEC) Leia o texto para responder à questão.

Consumo Sustentável

O Consumo Sustentável envolve a escolha de produtos que utilizaram menos recursos naturais em sua produção, que garantiram o emprego decente aos que os produziram, e que serão facilmente reaproveitados ou reciclados. Significa comprar aquilo que é realmente necessário, estendendo a vida útil dos produtos tanto quanto possível. Consumimos de maneira sustentável quando nossas escolhas de compra são conscientes, responsáveis, com a compreensão de que terão consequências ambientais e sociais – positivas ou negativas.

Mudança de comportamento é algo que leva tempo e amadurecimento do ser humano, mas é acelerada quando toda a sociedade adota novos valores. O termo “sociedade de consumo” foi cunhado para denominar a sociedade global baseada no valor do “ter”. No entanto, o que observamos agora são os valores de sustentabilidade e justiça social fazendo parte da consciência coletiva, no mundo e também no Brasil. Este novo olhar sobre o que deve ser buscado por cada um promove a mudança de comportamento, o abandono de práticas nocivas de alto consumo e o desperdício e a adoção de práticas conscientes de consumo.

Consumo consciente, consumo verde, consumo responsável são nuances do Consumo Sustentável, cada um focando uma dimensão do consumo. O consumo consciente é o conceito mais amplo e simples de aplicar no dia a dia: basta estar atento à forma como consumimos – diminuindo o desperdício de água e energia, por exemplo – e às nossas escolhas de compra – privilegiando produtos e empresas responsáveis. A partir do consumo consciente, a sociedade envia um recado ao setor produtivo de que quer que lhe sejam ofertados produtos e serviços que tragam impactos positivos ou reduzam significativamente os impactos negativos no acumulado do consumo de todos os cidadãos.

http://tinyurl.com/6nk85vr Acesso em: 12.04.2018. Adaptado.

O texto analisado é dissertativo e tem por objetivo informar o leitor sobre o consumo sustentável.

Tendo em mente esse objetivo, identificam-se corretamente a função de linguagem e suas características como

  1. fática, pois há uso recorrente de imperativos e vocativos.
  2. metalinguística, pois o narrador explica o leitor à sua obra.
  3. conativa, pois ocorre conversa com o leitor e uso de imperativos.
  4. emotiva, pois o texto é escrito majoritariamente em primeira pessoa.
  5. referencial, pois apresenta informações precisas numa linguagem objetiva.

07. (UNIFOR) A missão chinesa surpreendeu o mundo, que estava esperando uma investida tripulada somente em 2018, e provou que o país entrou para valer na corrida espacial do futuro. Não faltam projetos. Um deles, anunciado na semana passada, dá conta de uma estação espacial produzida 100% na China. O objetivo é “realizar experiências científicas de grande escala” e criar uma “sólida base para utilização pacífica do espaço e exploração de seus recursos”. Essa estação ajudará o país a avançar em projetos muito mais ambiciosos. Em 2017, por exemplo, a sua agência espacial lançará missão com robô para a lua. Se tudo correr bem, em 2020 serão os próprios taikonautas que pisarão o solo lunar. E o passo seguinte já está previsto: Marte, até 2040.

Revista Istoé, 08/10/2008.

Considerando o texto acima, marque a opção que indica a função da linguagem predominante.

  1. Conativa
  2. Metalinguística
  3. Referencial
  4. Poética
  5. Fática

08. (UniAtenas) Em geral, nos textos é comum identificarmos mais de uma das funções da linguagem, portanto há uma que predomina em relação às demais. Marque a alternativa correta sobre a função de linguagem predominante no texto acima:

Em geral, nos textos é comum identificarmos mais de uma das funções da linguagem, portanto há uma que predomina em relação às demais. Marque a alternativa correta sobre a função de linguagem predominante no texto acima:

  1. Metalinguística, pois há a intenção de esclarecer o significado da palavra Tablet.
  2. Fática, porque a intenção é apenas de verificar se o canal da comunicação está disponível.
  3. Referencial, o propósito do enunciador é apenas passar uma informação.
  4. Conativa, porque a intenção é convencer, persuadir o receptor.
  5. Poética, uma vez que a mensagem do texto está pautada em uma linguagem literária.

09. (FACISA) TEXTO I

“Terminou a agonia do dia longo e azul.

Puseram-lhe nas mãos o Cruzeiro do Sul

E o céu todo se encheu de sangue constelado,

como se um grande deus se houvesse suicidado!

E a tarde viúva lhe caiu de bruços sobre o corpo

ainda quente e lhe fechou os olhos longamente

e chorou tanto que ficou pingando estrelas...

Pingos brancos de lágrimas no espaço”.

Excerto do poema de Cassiano Ricardo, O Enterro do Sol

Quanto à linguagem, podemos afirmar que sua função é

  1. poética, pois o objetivo do poeta é expressar em seu texto sentimentos com ênfase na figuratividade, no ritmo, na sonoridade e na combinação de signos linguísticos com o fim de burilar a linguagem.
  2. referencial, com o objetivo de expressar, objetivamente, o que se passa em seu mundo, sem possibilitar multiplicidade de interpretações.
  3. emotiva, pois o poeta, com o fim de comover os leitores, explora seus anseios, sua dor perante o mundo, com uma linguagem que pode ser tanto subjetiva quanto objetiva.
  4. apelativa, pois o poeta tem intenção, com seu texto, de chamar a atenção para um fato comovente em que a natureza é tratada como se fosse um conflito humano.
  5. metalinguística, uma vez que o poeta usa as palavras, em seu texto, desviando-se do sentido original para criar uma atmosfera supreendente e nova.

10. (IFRN) TEXTO 1

Copa do Mundo: Rússia espera receber número recorde de turistas

Mais de um milhão de turistas estrangeiros são esperados na Rússia para as partidas da Copa do Mundo de 2018, que vão ser disputadas em estádios de 11 cidades ao redor do país, segundo Vitaly Mutko, porta-voz do Comitê Organizador Local. Ainda segundo ele, apenas a Copa das Confederações, disputada em junho do ano passado, aumentou a presença de turistas no território russo em 17%. O número é o mesmo que o anunciado pelo chefe do gabinete hoteleiro do Departamento de Esporte e Turismo de Moscou, Aleksey Tikhnenko, durante visita a Tóquio, no Japão, em setembro passado. "As reservas de quartos estão muito ativas na capital. Acho que as pessoas podem até ir para outras cidades onde as partidas serão disputadas", comentou, à época, o chefe de gabinete.

Turistas da Europa e da América Latina estão entre os mais esperados, segundo o diretor-executivo da Associação de Operadores Turísticos da Rússia, Maya Lomidze. "Eles mostram um interesse especial no torneio", afirmou ele. As companhias nestes continentes já ajustam os preços para oferecer passagens aéreas baratas para o evento. Apesar disso, algumas publicações internacionais começaram o ano do Mundial apontando o aumento dos preços de alguns serviços oferecidos pela Rússia durante o evento: o próprio jornal "Moscow Times" publicou, em janeiro, que os valores dos hotéis na capital podem aumentar em até cinco vezes para hospedagens em junho. Ainda segundo a publicação, a Agência Federal de Turismo russa publicou uma lista de 41 estabelecimentos que já estão praticando preços abusivos.

jornal mostrou o caso de um hotel em Kaliningrado que, de cerca de US$ 42 por dia, passou a cobrar US$ 2,3 mil para cada diária durante a Copa. "Entre todos os hotéis, esses abusivos da lista são uma pequena quantidade. A tendência é que a maioria dos estabelecimentos cumpra a lei", disse Vadim Prasov, vicepresidente da Federação dos Restaurantes e Hotéis da Rússia, ao portal RBC.

A revista norte-americana "Forbes", por sua vez, desacredita no sucesso da Copa na Rússia: em um artigo publicado em novembro do ano passado, a publicação lista três "desastres" para a organização do evento: o custo adicional de US$ 600 milhões que o Mundial obrigou o governo a gastar, aumentando os valores totais para US$ 11 bilhões, a ausência de seleções cujos turistas costumam gastar mais dinheiro quando viajam, casos de China, Estados Unidos e Itália, e, enfim, a fraqueza da seleção russa, que não deve passar da primeira fase da Copa. "Isso deve se tornar um desastre fiscal, esportivo e de relações públicas para Vladimir Putin, mesmo que ele jamais admita nada dessas coisas em público", diz um trecho da reportagem.

A Rússia adquiriu, em 2010, o direito de organizar a Copa do Mundo de 2018, durante o Congresso da FIFA na Guatemala. A vitória aconteceu contra os projetos da Inglaterra, de Portugal junto com a Espanha, Bélgica e Holanda. O último Mundial de futebol disputado na Europa foi em 2006, quando a Alemanha recepcionou as seleções. Desde então, o torneio rodou pela África do Sul e pelo Brasil. Os jogos da Copa do Mundo da Rússia acontecerão entre os dias 14 de junho e 15 de julho. A final será no estádio Luzhniki, em Moscou.

Disponível em: <https://catracalivre.com.br/geral/viagem-livre/indicacao/copa-do-mundo-russia-espera-recebernumero-recorde>. Acesso em: 20 mar. 2018. Adaptado para uso nesta avaliação.

TEXTO 2

Sorteio da Copa do Mundo: conheça os grupos de Rússia 2018 O Brasil ficou como cabeça-de-chave do Grupo E. E enfrentará a Suíça no seu jogo de estreia. Completam o grupo: Suíça, Costa Rica e Sérvia. O primeiro jogo do Mundial será Rússia e Arábia Saudita.

Aqui estão as 32 seleções divididas nos oito grupos que disputarão a Copa do Mundo da Rússia em 2018.

O Brasil ficou como cabeça-de-chave do Grupo E. E enfrentará a Suíça no seu jogo de estreia. Completam o grupo: Suíça, Costa Rica e Sérvia. O primeiro jogo do Mundial será Rússia e Arábia Saudita.

Disponível em: <http: //www.bbc.com/portuguese/brasil-42200760>. Acesso em: 20 mar. 2018. Adaptado para uso nesta avaliação

A função da linguagem predominante nos Textos 1 e 2 é a

  1. metalinguística.
  2. referencial.
  3. conativa.
  4. fática.

11. (UNICAMP) As palavras organizadas comunicam sempre alguma coisa, que nos toca porque obedece a certa ordem. Quando recebemos o impacto de uma produção literária, oral ou escrita, ele é devido à fusão inextricável da mensagem com a sua organização. Em palavras usuais: o conteúdo de uma obra literária só atua por causa da forma.

(Adaptado de Antonio Candido, “O direito à literatura”, em Vários escritos. São Paulo: Ouro sobre azul e Duas Cidades, 2004, p.178.) As palavras organizadas comunicam sempre alguma coisa, que nos toca porque obedece a certa ordem. Quando recebemos o impacto de uma produção literária, oral ou escrita, ele é devido à fusão inextricável da mensagem com a sua organização

  1. produz uma simetria entre som e sentido, sendo que tal simetria indica que os símbolos religiosos são uma resposta à violência.
  2. configura um sistema de oposições, uma vez que imagens e palavras estabelecem tensões materiais e espirituais, constitutivas do sentido das canções.
  3. configura uma sintaxe poética de ordem espiritual. Essa sintaxe espelha o caos e as injustiças vividos na periferia das grandes cidades.
  4. produz uma lógica poética racional. Essa lógica se explicita na vitória do crime sobre a visão de mundo presente nos versículos bíblicos transcritos.

12. (UERJ) A QUESTÃO REFERE-SE À OBRA “O ALIENISTA”, DE MACHADO DE ASSIS.

No início do capítulo I, o médico Simão Bacamarte explica que se casou com D. Evarista porque ela “estava assim apta para dar-lhe filhos robustos, sãos e inteligentes”, mas logo em seguida observa que ela “não lhe deu filhos robustos nem mofinos”.

As duas informações do personagem anunciam para o leitor o seguinte tom predominante da narrativa:

  1. irônico
  2. trágico
  3. apelativo
  4. melancólico

13. (UNESP) Numa antiga anedota que circulava na hoje falecida República Democrática Alemã, um operário alemão consegue um emprego na Sibéria; sabendo que toda correspondência será lida pelos censores, ele combina com os amigos: “Vamos combinar um código: se uma carta estiver escrita em tinta azul, o que ela diz é verdade; se estiver escrita em tinta vermelha, tudo é mentira.” Um mês depois, os amigos recebem uma carta escrita em tinta azul: “Tudo aqui é maravilhoso: as lojas vivem cheias, a comida é abundante, os apartamentos são grandes e bem aquecidos, os cinemas exibem filmes do Ocidente, há muitas garotas, sempre prontas para um programa – o único senão é que não se consegue encontrar tinta vermelha.” Neste caso, a estrutura é mais refinada do que indicam as aparências: apesar de não ter como usar o código combinado para indicar que tudo o que está dito é mentira, mesmo assim ele consegue passar a mensagem. Como? Pela introdução da referência ao código, como um de seus elementos, na própria mensagem codificada.

(Bem-vindo ao deserto do real!, 2003.)

A “introdução da referência ao código, como um de seus elementos, na própria mensagem codificada” constitui um exemplo de

  1. eufemismo.
  2. metalinguagem.
  3. intertextualidade.
  4. hipérbole.
  5. pleonasmo.

14. (UFU) Parado, com a colher suspensa sobre a bancada de aço inox, o sujeito atravancava minha passagem. Ia enfiá-la no pote de ervilhas, arremeteu, pousou-a na bandeja de beterrabas, levantou uma rodela, soltou-a, duas gotas vermelhas respingaram no talo de uma couve-flor. Fosse mais para trás, lá pela travessa do agrião, eu poderia ultrapassá-lo e chegar aos molhos a tempo de colocar azeite e vinagre antes que ele se aproximasse, mas da beterraba aos temperos é um passo e então seria eu a atrapalhar sua cadência. (Segundo a etiqueta não escrita dos restaurantes por quilo, a ultrapassagem só é permitida se não for reduzir a velocidade do ultrapassado – o que seria equivalente a furar a fila).

Tudo é movimento, dizia Heráclito; o mundo gira, a lusitana roda, anunciava a televisão: só eu não me mexia, preso diante da cumbuca de grãos de bico com atum. Fiquei irritado. Aquele homem hesitante estava travando o fluxo de minha vida, dali para frente todos os eventos estariam quinze segundos atrasados: da entrega desta crônica ao meu último suspiro.

PRATA, A. A zona do agrião. Estadão, 23 dez. 2008. Disponível em: . Acesso em: 30 mar. 2018.

Narrada na primeira pessoa do singular, a crônica parte de um evento corriqueiro na fila de um restaurante por quilo para elaborar uma reflexão sobre a passagem do tempo. No texto, a função metalinguística da linguagem é evidenciada no fragmento

  1. “Segundo a etiqueta não escrita dos restaurantes por quilo, a ultrapassagem só é permitida se não for reduzir a velocidade do ultrapassado [...].”
  2. “[...] dali para frente todos os eventos estariam quinze segundos atrasados: da entrega desta crônica ao meu último suspiro.”
  3. "Parado, com a colher suspensa sobre a bancada de aço inox, o sujeito atravancava minha passagem.”
  4. “Tudo é movimento, dizia Heráclito; o mundo gira, a lusitana roda, anunciava a televisão [...].”

15. (PUC-PR) Leia o texto abaixo para responder a questão.

Por que pessoas usadas para atos ilegais são chamadas “laranjas”?

Estudiosos e linguistas não conseguem traçar quando a palavra “laranja” começou a ser usada para classificar o indivíduo que empresta seu nome – às vezes, sem saber – para transações financeiras e comerciais criminosas, a fim de ocultar a identidade do verdadeiro responsável. Mas há algumas teorias. O uso pode ter nascido no meio policial: nos anos 1970, durante a ditadura, presos políticos que precisavam de recursos para manter sua família criaram um esquema de pirâmide em que uma pessoa, chamada de “limão”, deveria trazer dez novos colaboradores para fazer pagamentos. Estes eram chamados de “laranjas” e dificilmente recebiam de volta o dinheiro do esquema. Outra explicação diz que agentes da lei chamavam de “laranjas” os criminosos que eram presos e, depois de uma “espremida”, entregavam os companheiros. Mais uma teoria: conta-se que, na década de 1980, teria ocorrido um escândalo envolvendo produtores de laranja do interior paulista e nomes da política nacional, que teriam realizado um grande empréstimo, nunca pago, junto ao Banco do Brasil. Nossa reportagem, porém, foi atrás de produtores, associações e jornais antigos e não conseguiu encontrar nenhuma referência ao tal empréstimo.

Disponível em: https://mundoestranho.abril.com.br/cotidiano/por-que-pessoas-usadas-para-atos-ilegais-sao-chamadas-laranjas/. Acesso em: 20/02/2018.

Em qualquer texto, oral ou escrito, sempre haverá uma função que revelará um objetivo e uma utilidade pretendidos pelo autor.

Pela leitura do texto anterior, podemos afirmar CORRETAMENTE que, nele, predomina a função

  1. conativa, uma vez que o autor levanta possíveis explicações a fim de convencer o leitor a aceitar uma.
  2. emotiva, visto que o autor apela à subjetividade para descrever as possibilidades de explicação.
  3. poética, dado que há emprego predominante de linguagem conotativa, principalmente de metáforas.
  4. metalinguística, já que o autor tenta explicar um item de seu código utilizando o próprio código.
  5. fática, pois o autor centra-se em estabelecer um canal de comunicação comum com seu leitor.

Você acredita que o gabarito esteja incorreto? Avisa aí 😰| Email ou WhatsApp