Home > Banco de Questões > História > Idade Moderna

Expansão Marítima Europeia

Lista de 10 exercícios de História com gabarito sobre o tema Expansão Marítima Europeia com questões de Vestibulares.

Confira as videoaulas, teoria e questões sobre: História Geral.





01. (Mackenzie) "As grandes mudanças que se verificam na arte náutica durante a segunda metade do século XV levam a crer na possibilidade de chegar-se, contornando o continente africano, às terras do Oriente. Não se pode afirmar, contudo, que a ambição de atingir por via marítima esses países de fábula presidissem as navegações do período henriquino, animada por objetivos estritamente mercantis. (...) Com a expedição de Antão Gonçalves, inicia-se em 1441 o tráfico negreiro para o Reino (...) Da mesma viagem procede o primeiro ouro em pó, ainda que escasso, resgatado naquelas partes. O marfim, cujo comércio se achava até então em mãos de mercadores árabes, começam a transportá-lo os barcos lusitanos, por volta de 1447." (Sérgio Buarque de Holanda, Etapas dos descobrimentos portugueses.)

Assinale a alternativa que melhor resume o conteúdo do trecho acima:

  1. A descoberta do continente americano por espanhóis, e depois, por portugueses, revela o grande anseio dos navegadores ibéricos por chegar às riquezas do Oriente através de uma rota pelo Ocidente.
  2. Os portugueses logo abandonaram as viagens de descoberta para o Oriente através do Atlântico, visto que lhes bastavam as riquezas alcançadas na África, ou seja, ouro, marfim e escravos.
  3. Embora a descoberta de uma rota africana para o Oriente fosse para os portugueses, algo cada vez mais realizável em razão dos avanços técnicos, foi a exploração comercial da costa africana o que, de fato, impulsionou as viagens do período.
  4. As navegações portuguesas, à época de D. Henrique, eram motivadas, acima de tudo, pelo exotismo fabuloso do Oriente; secundariamente, contudo, dedicavam-se os portugueses ao comércio de escravos, ouro e marfim, sobretudo na costa africana.
  5. Durante o período henriquino, os grandes aperfeiçoamentos técnicos na arte náutica permitiram aos portugueses chegar ao Oriente contornando o continente africano.

02. (PUC-MG) Relacionam-se às viagens marítimas europeias dos séculos XV e XVI, exceto:

  1. o desenvolvimento de técnicas náuticas;
  2. o estabelecimento de novas rotas comerciais;
  3. o enfraquecimento dos Estados Absolutistas;
  4. a implantação das práticas mercantilistas.

03. (UFF) Considerando o processo de expansão da Europa moderna a partir dos séculos XV e XVI, pode-se afirmar que Portugal e Espanha tiveram um papel predominante. Esse papel, entretanto, dependeu, em larga medida, de uma rede composta por interesses a) políticos, inerentes à continuidade dos interesses feudais em Portugal; intelectuais, associados ao desenvolvimento da imprensa, do hermetismo e da Astrologia no mundo ibérico; econômicos, vinculados aos interesses italianos na Espanha, nos quais a presença de Colombo é um exemplo; e sociais, vinculados ao poder do clero na Espanha.

Ao analisarmos o processo de expansão mercantil de Portugal, concluímos que:

  1. a falta de unidade política e territorial em Portugal determinava a fragilidade econômica interna.
  2. a expansão do império acarretava crescentes despesas para o Estado, queda da produtividade agrícola, diminuição da mão de obra, falta de investimentos industriais, afetando a economia nacional.
  3. a luta para expulsar os muçulmanos do reino português, que durou até o final do século XV, empobreceu a economia nacional que ficou carente de capitais.
  4. a liberdade comercial praticada pelo Estado português no século XV levou ao escoamento dos lucros para a Espanha, impedindo seu reinvestimento em Portugal.
  5. o empreendimento marítimo português revelou-se tímido, permanecendo Veneza como o principal centro redistribuidor dos produtos asiáticos, durante todo o século XVI.

04. (USS) "Sem dúvida, a atração para o mar foi incentivada pela posição geográfica do país, próximo às ilhas do Atlântico e à costa da África. Dada a tecnologia da época, era importante contar com correntes marítimas favoráveis, e elas começavam exatamente nos portos portugueses... Mas há outros fatores da história portuguesa tão ou mais importantes."

Assinale a alternativa que apresenta outros fatores da participação portuguesa na expansão marítima e comercial europeia, além da posição geográfica:

  1. O apoio da Igreja Católica, desde a aclamação do primeiro rei de Portugal, já visava tanto à expansão econômica quanto à religiosa, que a expansão marítima iria concretizar.
  2. Para o grupo mercantil, a expansão marítima era comercial e aumentava os negócios, superando a crise do século. Para o Estado, trazia maiores rendas; para a nobreza, cargos e pensões; para a Igreja Católica, maior cristianização dos "povos bárbaros".
  3. O pioneirismo português deve-se mais ao atraso dos seus rivais, envolvidos em disputas dinásticas, do que a fatores próprios do processo histórico, econômico, político e social de Portugal.
  4. Desde o seu início, a expansão marítima, embora contasse com o apoio entusiasmado do grupo mercantil, recebeu o combate dos proprietários agrícolas, para quem os dispêndios com o comércio eram perdulários.
  5. Ao liderar a arraia-miúda na Revolução de Avis, a burguesia manteve a independência de Portugal, centralizou o poder e impôs ao Estado o seu interesse específico na expansão.

05. (Cesup/Unaes/Seat-MS) Na expansão da Europa, a partir do século XV, encontramos intimamente ligados à sua história:

  1. a participação da espanha nesse empreendimento, por interesse exclusivo de Fernando de Aragão e Isabel de Castela, seus soberanos na época;
  2. a descoberta da América, em 1492, anulou imediatamente o interesse comercial da Europa com o Oriente;
  3. o tratado de Tordesilhas, que dividia as terras descobertas entre Portugal e Espanha, sob fiscalização e concordância da França, Inglaterra e Holanda;
  4. Portugal, imediatamente após o descobrimento do Brasil, iniciou a colonização, extraindo muito ouro para a Europa, desde 1500;
  5. O pioneirismo português.

06. (PUC-MG) O descobrimento da América, no início dos tempos modernos, e posteriormente a conquista e colonização, considerando-se a mentalidade do homem ibérico, permitem perceber que, EXCETO:

  1. O colonizador, ao se dar conta da perda do paraíso terrestre, do maravilhoso, lançou-se à reprodução da cenografia europeia da América;
  2. O colonizador, negando o que pudesse parecer novo, preferiu ver apenas o seu reflexo no espelho da história;
  3. Colombo se recusava a ver a América, preferindo manter seus sonhos de que estaria próximo ao Oriente;
  4. O processo de descrição e observação do novo continente envolvia basicamente a manutenção do universo indígena;
  5. A conquista representou a possibilidade de transplante e difusão dos padrões culturais europeus na América.

07. (Espcex) Um conjunto de forças e motivos econômicos, políticos e culturais impulsionou a expansão comercial e marítima europeia a partir do século XV, o que resultou, entre outras coisas, no domínio da África, da Ásia e da América.

(Extraído SILVA, 1996)

O fato que marcou o início da expansão marítima portuguesa foi o (a)

  1. contorno do Cabo da Boa Esperança em 1488.
  2. conquista de Ceuta em 1415.
  3. chegada em Calicute, Índia, em 1498.
  4. ascensão ao trono português de uma nova dinastia, a de Avis, em 1385.
  5. descobrimento do Brasil em 1500.

08. (Cesgranrio) Acerca da expansão marítima comercial implementada pelo Reino Português, podemos afirmar que:

  1. a conquista de Ceuta marcou o início da expansão, ao possibilitar a acumulação de riquezas para a manutenção do empreendimento.
  2. a conquista da Baía de Arguim permitiu a Portugal montar uma feitoria e manter o controle sobre importantíssima rota comercial intra-africana.
  3. a instalação da feitoria de São Paulo de Luanda possibilitou a montagem de grande rede de abastecimento de escravos para o mercado europeu.
  4. o domínio português de Piro e Sidon e o consequente monopólio de especiarias do Oriente Próximo tornaram desinteressante a conquista da Índia.
  5. a expansão da lavoura açucareira escravista na Ilha da Madeira, após 1510, aumentou o preço dos escravos, tanto nos portos africanos quanto nas praças brasileiras.

09. (Unesp) A propósito da expansão marítimo-comercial europeia dos séculos XV e XVI pode-se afirmar que

  1. a igreja católica foi contrária à expansão e não participou da colonização das novas terras.
  2. os altos custos das navegações empobreceram a burguesia mercantil dos países ibéricos.
  3. a centralização política fortaleceu-se com o descobrimento das novas terras.
  4. os europeus pretendiam absorver os princípios religiosos dos povos americanos.
  5. os descobrimentos intensificaram o comércio de especiarias no mar Mediterrâneo.

10. (PUCCamp-SP) O processo de colonização europeia da América, durante os séculos XVI,XVII e XVIII, está ligado à:

  1. expansão comercial e marítima, ao fortalecimento das monarquias nacionais absolutas e à política mercantilista.
  2. Disseminação do movimento cruzadista, ao crescimento do comércio com os povos orientais e à política livre-cambista.
  3. Política imperialista, ao fracasso da ocupação agrícola das terras e ao crescimento do comércio bilateral. Criação das companhias de comércio, ao desenvolvimento do modo feudal de produção e à política liberal.
  4. Política industrial, ao surgimento de um mercado interno consumidor e ao excesso de mão-de-obra livre.

Oi, aqui é o criado do Projeto Agatha. Você pode responder a uma pesquisa rápida? Ela vai ajudar no meu Projeto de Iniciação Científica da faculdade (IFNMG). É só clicar nessa barrinha.

Você acredita que o gabarito esteja incorreto? Avise para a gente | Email ou WhatsApp



.