Home > Banco de Questões > História > Era Antiga

Feudalismo

Lista de 15 exercícios de História com gabarito sobre o tema Feudalismo com questões de Vestibulares.

Confira as videoaulas, teoria e questões sobre: Idade Média .





1. (Fatec-SP) Uma das características a ser reconhecida no feudalismo europeu é:

  1. A sociedade feudal era semelhante ao sistema de castas.
  2. Os ideais de honra e fidelidade vieram das instituições dos hunos.
  3. Vilões e servos estavam presos a várias obrigações, entre elas, o pagamento anual de capitação, talha e banalidades.
  4. A economia do feudo era dinâmica, estando voltada para o comércio dos feudos vizinhos.
  5. As relações de produção eram escravocratas.

2. (Enem 2015) A casa de Deus, que acreditam una, está, portanto, dividida em três: uns oram, outros combatem, outros, enfim, trabalham. Essas três partes que coexistem não suportam ser separadas; os serviços prestados por uma são a condição das obras das outras duas; cada uma por sua vez encarrega-se de aliviar o conjunto… Assim a lei pode triunfar e o mundo gozar da paz.

ALDALBERON DE LAON. In: SPINOSA, F. Antologia de textos históricos medievais. Lisboa: Sá da Costa, 1981.

A ideologia apresentada por Aldalberon de Laon foi produzida durante a Idade Média. Um objetivo de tal ideologia e um processo que a ela se opôs estão indicados, respectivamente, em:

  1. Justificar a dominação estamental / revoltas camponesas.
  2. Subverter a hierarquia social / centralização monárquica.
  3. Impedir a igualdade jurídica / revoluções burguesas.
  4. Controlar a exploração econômica / unificação monetária.
  5. Questionar a ordem divina / Reforma Católica.

3. (Fatec-SP) Dentre as causas da desagregação da ordem econômica feudal, é possível mencionar:

  1. a capitalização intensa realizada pelos artesãos medievais e a criação de grandes unidades industriais, que acabaram subvertendo a economia feudal.
  2. o desinteresse da nobreza e do clero pela manutenção do Feudalismo, pois esses setores se beneficiariam com o advento da sociedade baseada no lucro.
  3. o surgimento das corporações de oficio e a substituição do “justo preço”, que restringia as possibilidades de lucro, pelo preço de mercado.
  4. o revivescimento do comércio e a conseqüente circulação monetária, que abalaram a auto-suficiência da economia senhorial.
  5. a substituição gradativa do trabalho escravo pelo trabalho assalariado dentro do feudo, o que criou condições para a constituição de um sistema de mercado dentro da própria unidade feudal.

4. (PUC-MG) Nos séculos XIV-XV, a sociedade feudal experimentou uma grave crise geral, que abalou profundamente as estruturas que sustentavam essa sociedade, abrindo espaços para a criação de relações capitalistas no interior das sociedades européias.

Os efeitos da depressão dos séculos XIV-XV sobre a sociedade européia foram os seguintes, EXCETO:

  1. a expansão marítima dos séculos XV e XVI, rompendo os estreitos limites do comércio medieval.
  2. a centralização do poder nas mãos do rei, em contrapartida ao poder pulverizado dos senhores feudais.
  3. o surgimento de uma nova cultura mais urbana e laica, em oposição à rural-religiosa do feudalismo.
  4. a busca de urna nova espiritualidade, possibilitando a ruptura da unidade cristã através da Reforma.
  5. a ocupação do poder político pela burguesia, sustentada no crescente enriquecimento dessa classe.

5. (MACKENZIE-SP) A desintegração do Modo de Produção Feudal na Baixa Idade Média foi, em grande parte, consequência:

  1. do crescimento do prestígio da Igreja, que era o sustentáculo ideológico do sistema.
  2. do sucesso militar do movimento das Cruzadas, e da bem sucedida expansão da sociedade feudal pelo Oriente.
  3. das transformações das relações servis de produção em assalariadas, do comércio e da economia monetária, que aceleraram as contradições internas do sistema.
  4. do crescimento da população européia no século XIV e da grande oferta de mão-de-obra barata que este fato gerou economicamente.
  5. da consolidação do localismo político, fruto direto da Guerra dos Cem anos que favoreceu a nobreza feudal.

6. (Fuvest) A palavra “feudalismo” carrega consigo vários sentidos. Dentre eles, podem-se apontar aqueles ligados a

  1. sociedades marcadas por dependências mútuas e assimétricas entre senhores e vassalos.
  2. relações de parentesco determinadas pelo local de nascimento, sobretudo quando urbano.
  3. regimes inteiramente dominados pela fé religiosa, seja ela cristã ou muçulmana.
  4. altas concentrações fundiárias e capitalistas.
  5. formas de economias de subsistência pré-agrícolas.

7. (Enem 2015) No início foram as cidades. O intelectual da Idade Média – no Ocidente – nasceu com elas. Foi com o desenvolvimento urbano ligado às funções comercial e industrial – digamos modestamente artesanal – que ele apareceu, como um desses homens de ofício que se instalavam nas cidades nas quais se impôs a divisão do trabalho. Um homem cujo ofício é escrever ou ensinar, e de preferência as duas coisas a um só tempo, um homem que, profissionalmente, tem uma atividade de professor e erudito, em resumo, um intelectual – esse homem só aparecerá com as cidades.

LE GOFF, J. Os intelectuais na Idade Média. Rio de Janeiro: José Olympio, 2010

O surgimento da categoria mencionada no período em destaque no texto evidencia o(a)

  1. apoio dado pela Igreja ao trabalho abstrato.
  2. relação entre desenvolvimento urbano e divisão de trabalho.
  3. importância organizacional das corporações de ofício.
  4. progressiva expansão da educação escolar.
  5. acúmulo de trabalho dos professores e eruditos.

8. (Enem 2014) Sou uma pobre e velha mulher,

Muito ignorante, que nem sabe ler.

Mostraram-me na igreja da minha terra

Um Paraíso com harpas pintado

E o Inferno onde fervem almas danadas,

Um enche-me de júbilo, o outro me aterra.

VILLON. F. In: GOMBRICH, E. História da arte. Lisboa: LTC. 1999

Os versos do poeta francês François Villon fazem referência às imagens presentes nos templos católicos medievais. Nesse contexto, as imagens eram usadas com o objetivo de

  1. refinar o gosto dos cristãos.
  2. incorporar ideais heréticos.
  3. educar os fiéis através do olhar.
  4. divulgar a genialidade dos artistas católicos.
  5. valorizar esteticamente os templos religiosos.

09. (Fatec-SP) Uma das características a ser reconhecida no feudalismo europeu é:

  1. A sociedade feudal era semelhante ao sistema de castas.
  2. Os ideais de honra e fidelidade vieram das instituições dos hunos.
  3. Vilões e servos estavam presos a várias obrigações, entre elas, o pagamento anual de capitação, talha e banalidades.
  4. A economia do feudo era dinâmica, estando voltada para o comércio dos feudos vizinhos.
  5. As relações de produção eram escravocratas.

10. (UFJF-MG) Os versos abaixo demonstram como a sociedade feudal era estruturada a partir de relações de dependência pessoal. Leia-os com atenção.

“Se o meu senhor for morto, eu quero que me matem,

Se ele for enforcado, enforcai-me com ele,

Se ele for posto na fogueira, quero ser queimado,

E, se ele se afogar, lançai-me à água com ele.”

Citado em BLOCH, M. A sociedade feudal. Lisboa: Setenta, 1989.

A respeito desta sociedade, é INCORRETO afirmar que:

  1. o rei mantinha um papel predominantemente simbólico, mas, na verdade, exercia o seu poder de fato como senhor feudal de suas próprias terras.
  2. os servos, que recebiam de seus senhores os lotes de terra para produzirem, estavam, em contrapartida, submetidos a uma série de taxas como a talha e as banalidades.
  3. os suseranos e os vassalos estavam ligados entre si por uma relação de dependência e de obrigações mútuas a serem cumpridas.
  4. a sociedade se dividia, basicamente, em duas ordens (estados) dependentes entre si: uma reunia os indivíduos descendentes dos romanos e a outra os dos germânicos.

11. (FASP) Podemos definir o feudalismo, do ponto de vista econômico, como um sistema baseado na produção, tendente à autossuficiência, sendo a agricultura seu principal setor. Politicamente o feudalismo caracterizava-se pela:

  1. existência de legislação específica a reger a vida de cada feudo.
  2. atribuição do poder executivo à igreja.
  3. relação direta entre posse e soberania dos feudos, fragmentando assim o poder central.
  4. absoluta descentralização administrativa.

12. (Unesp) Os mosteiros eram em primeiro lugar casas, cada uma abrigando sua “família”, e as mais perfeitas, com efeito, as mais bem ordenadas: de um lado, desde o século IX, os mais abundantes recursos convergiam para a instituição monástica, levando-a aos postos avançados do progresso cultural; do outro, tudo ali se encontrava organizado em função de um projeto de perfeição, nítido, bem estabelecido, rigorosamente medido.

(Georges Duby. “A vida privada nas casas aristocráticas da França feudal”. História da vida privada, vol. 2, 1992. Adaptado.)

A caracterização do mosteiro medieval como uma “casa”, um “posto avançado do progresso cultural” e um “projeto de perfeição” pode ser explicada pela disposição monástica de

  1. valorizar a vida privada, participar ativamente da vida política e combater o mal.
  2. recuperar a experiência histórica e pessoal do Salvador durante sua estada no mundo dos vivos.
  3. recolher-se a uma comunidade fechada para orar, estudar e combater a desordem do mundo.
  4. identificar-se com as condições de privação por que passavam as famílias pobres, celebrar a tradição escolástica e agir de forma ética.
  5. reconhecer a humanidade como solidária e unida num esforço de salvação da alma dos fiéis e dos infiéis.

13. (UFPA) Nas relações de suserania e vassalagem dominantes durante o feudalismo europeu, é possível observar que:

  1. a servidão representou, sobretudo na França e na Península Ibérica, um verdadeiro renascimento da escravidão conforme existia na Roma Imperial.
  2. os suseranos leigos, formados pela grande nobreza fundiária, distinguiam juridicamente os servos que trabalhavam nos campos dos que produziam nas cidades.
  3. mesmo dispondo de grandes propriedades territoriais, os suseranos eclesiásticos não mantinham a servidão nos seus domínios, mas sim o trabalho livre.
  4. o sistema de impostos incidia de forma pesada sobre os servos. O imposto da mão morta, por exemplo, era pago pelos herdeiros de um servo que morria para que continuassem nas terras pertencentes ao suserano.
  5. as principais instituições sociais que sustentavam as relações entre senhores e servos eram de origem muçulmana, oriundos da longa presença árabe na Europa Ocidental.

14. (FUVEST) Segundo o historiador Robert S. Lopez (A Revolução Comercial da Idade Média 950-1350), “o estatuto dos construtores das catedrais medievais representava um grande progresso relativamente à condição miserável dos escravos que erigiram as Pirâmides e dos forçados que construíram os aquedutos romanos”. As catedrais medievais foram construídas por:

  1. artesãos livres e remunerados.
  2. citadinos voluntários trabalhando em mutirão.
  3. camponeses que prestavam trabalho gratuito.
  4. mão de obra especializada e estrangeira.
  5. servos rurais recompensados com a liberdade.

15. (Fuvest) A palavra “feudalismo” carrega consigo vários sentidos. Dentre eles, podem-se apontar aqueles ligados a

  1. sociedades marcadas por dependências mútuas e assimétricas entre senhores e vassalos.
  2. relações de parentesco determinadas pelo local de nascimento, sobretudo quando urbano.
  3. regimes inteiramente dominados pela fé religiosa, seja ela cristã ou muçulmana.
  4. altas concentrações fundiárias e capitalistas.
  5. formas de economias de subsistência pré-agrícolas.

Você acredita que o gabarito esteja incorreto? Avisa aí 😰| Email ou WhatsApp



.