Home > Banco de Questões > História da Arte > Idade Contemporânea >Surrealismo

Surrealismo

Lista de 08 exercícios de História da Arte com gabarito sobre o tema Surrealismo com questões de Vestibulares.


Você pode conferir as videoaulas, conteúdo de teoria, e mais questões sobre o tema Surrealismo.



01. (UNIFESP) O Surrealismo buscou a comunicação com o irracional e o ilógico, deliberadamente desorientando e reorientando a consciência por meio do inconsciente.

Fiona Bradley. Surrealismo, 2001

Verifica-se a influência do Surrealismo nos seguintes versos:

  1. Um gatinho faz pipi.
    Com gestos de garçom de restaurant-Palace
    Encobre cuidadosamente a mijadinha.
    Sai vibrando com elegância a patinha direita:
    – É a única criatura fina na pensãozinha burguesa.
    (Manuel Bandeira, “Pensão familiar”.)
  2. A igreja era grande e pobre. Os altares, humildes.
    Havia poucas flores. Eram flores de horta.
    Sob a luz fraca, na sombra esculpida
    (quais as imagens e quais os fiéis?) ficávamos.
    (Carlos Drummond de Andrade, “Evocação Mariana”.)
  3. Nunca me esquecerei desse acontecimento
    na vida de minhas retinas tão fatigadas.
    Nunca me esquecerei que no meio do caminho
    tinha uma pedra
    tinha uma pedra no meio do caminho
    no meio do caminho tinha uma pedra. (Carlos Drummond de Andrade, “No meio do caminho”.)
  4. E nas bicicletas que eram poemas
    chegavam meus amigos alucinados.
    Sentados em desordem aparente,
    ei-los a engolir regularmente seus relógios
    enquanto o hierofante armado cavaleiro
    movia inutilmente seu único braço.
    (João Cabral de Melo Neto, “Dentro da perda da memória”.)
  5. – Desde que estou retirando
    só a morte vejo ativa,
    só a morte deparei
    e às vezes até festiva;
    só morte tem encontrado
    quem pensava encontrar vida,
    e o pouco que não foi morte
    foi de vida severina.
    (João Cabral de Melo Neto, “Morte e vida severina”.)

02. (UEA) A estética surrealista caracteriza-se, em larga medida, pela supressão da lógica racional e, consequentemente, pela exploração do insólito e do onírico. Uma pintura representativa da estética surrealista está reproduzida em:

03. (UNIFESP) Nesta obra, o observador é atraído por uma ideia poética: a de um objeto que assume a substância do material em que se sente à vontade.

(Marcel Paquet. René Magritte: o pensamento tornado visível, 2000. Adaptado.)

Tal comentário aplica-se à seguinte obra do pintor belga René Magritte (1898-1967):

04. (Unichristus) Imagem para responder à questão.

A obra acima pertence ao Surrealismo. Para os surrealistas, a obra de arte não resulta de pensamentos racionais e lógicos do artista; ela é, isto sim, resultado de pensamentos absurdos e ilógicos, como

  1. a idealização da realidade.
  2. as imagens dos sonhos.
  3. o abandono da perspectiva tradicional.
  4. a representação das inquietações do ser humano.
  5. a simplificação das formas e o uso de cores puras.

05. (EMESCAM) Diante da tela do pintor René Magritte (1898-1967) pode-se questionar: o que é a representação do mar e o que é o mar verdadeiro? É possível conhecer o real? Como podemos conhecê-lo? A resposta a essas questões depende da perspectiva filosófica que adotamos sobre o conhecimento. Algumas perspectivas podem ser assim descritas:

I) Naturalismo – teoria que afirma que todos os seres são naturais e possíveis de ser conhecidos através do método científico.

II) Subjetivismo, racionalismo, inatismo e o apriorismo – designam as teorias do conhecimento que diante dos polos sujeito-objeto, privilegiam o primeiro.

III) Empirismo e positivismo – fundamentados na tendência racionalista idealista marcaram fortemente o início da constituição das ciências humanas.

IV) O interacionismo – o homem, seus atributos e comportamentos são entendidos como resultado da relação permanente do sujeito com sua realidade concreta.

V) Perspectiva histórico-social – o desenvolvimento intelectual do sujeito decorre das interações do sujeito com o meio social e a cultura.

Estão corretas as informações:

  1. I, II, III e IV.
  2. II, III, IV e V
  3. III, IV, V e I
  4. IV, V, I e II
  5. V, I, II e III

06. (UEFS) Não à toa, assim Breton definiu a si mesmo e a seus correligionários no I Manifesto: “Surrealismo. s.m. Automatismo psíquico puro, por meio do qual alguém se propõe a expressar – verbalmente, utilizando a palavra escrita, ou qualquer outra maneira – o verdadeiro funcionamento do pensamento, na ausência do controle exercido pela razão, livre de qualquer preocupação estética ou moral”.

[5] Esta herança antirracionalista é o que alça o surrealismo ao conflito com outras tendências artísticas, como os construtivistas e os formalistas, que floresceram na Europa após a 1ª Grande Guerra. Pela gênese francesa, o surrealismo emparelha-se com similares em proposta, porém não em método e resultado, como o cubismo, fortalecido pela volta dos romantismos francês e alemão. Até compartilhava valores com o simbolismo e a pintura metafísica, mas é especialmente com o viés dessacralizador e emputecido do dadaísmo que sempre conversou mais. António lembra que “o empenho

[10] político do surrealismo e dos surrealistas fez-se em torno de questões como a linha antiarte e a tradição revolucionária do movimento dadaísta”. Além do mais, muitos surrealistas se escolaram naquela corrente, inclusive Breton, que rompeu com o dadaísmo apenas em 1922. Ambos promoviam uma crítica severa à racionalidade burguesa e saudavam “O Maravilhoso, o universo fantástico e os domínios do onírico”.

BELLÉ, Junior. Estilhaços de um olhar mágico. Disponível em: http://www.revistadacultura.com.br/revistadacultura/detalhe/14-05-05/ Estilha%C3%A7os_de_um_olho_m%C3%A1gico.aspx. Acesso em: 17 maio 2014. Adaptado.

De acordo com a leitura do texto, que aborda a arte surrealista, por ocasião de seus 90 anos, o principal propósito dessa vanguarda está descrito em

  1. O surrealismo, partindo da atitude artística iconoclasta, valoriza a fronteira psíquica espontânea de um mundo que rejeita a razão.
  2. A estética surrealista rejeita qualquer outro conceito estético, ainda que represente a mesma proposta ideológica de atitude antirracionalista.
  3. Esse movimento artístico e literário, que revela a obsessão pela estética baseada no sonho e na loucura, traduz os valores e a racionalidade da burguesia.
  4. A produção surrealista constrói-se a partir de uma crítica severa ao dadaísmo, considerado formalista e construtivista, diante da realidade que representa.
  5. Essa última e grande manifestação da arte moderna, assim como o cubismo, apresenta métodos de desconstrução de objetos e discursos, resultando na fragmentação da realidade e, consequentemente, no irracionalismo.

07. (UEG) Observe a imagem e leia o fragmento de texto a seguir.

Campos Sales tinha sido escravo da família Campos Sales – contava. Ganhou sua liberdade, sua alforria de negro cativo, vestindo a farda de soldado brasileiro e pelejando, com valentia, nos esteros do Paraguai. Mostrava suas velhas cicatrizes. Pontaços de lanças inimigas.

CORALINA, Cora. Estórias da casa velha da ponte. São Paulo: Global, 1985. p. 15.

Comparando-se a imagem com o trecho do conto “Campo Sales”, verifica-se que na contística coraliniana destaca-se

  1. o lirismo
  2. o mistério
  3. a linearidade
  4. a ambiguidade

08. (UEG) Entre a pintura apresentada e o enredo do conto “A máquina extraviada”, de J. J. Veiga, estabelece-se uma relação temática de

  1. distanciamento
  2. aproximação
  3. separação
  4. incompatibilidade

Você acredita que o gabarito esteja incorreto? Avisa aí 😰| Email ou WhatsApp



.