Home > Banco de Questões > Filosofia > Filosofia Moderna >Rousseau

Rousseau

Lista de 10 exercícios de Filosofia com gabarito sobre o tema Rousseau com questões de Vestibulares.


Você pode conferir as videoaulas, conteúdo de teoria, e mais questões sobre o tema aqui.



01. (UECE) No Brasil, na Argentina e em outros países da América Latina, os governos estão promovendo mudanças econômicas e de políticas públicas, mudanças essas conhecidas como liberais ou neoliberais. Nessas mais recentes políticas governamentais, o poder público transfere à economia de mercado a satisfação de determinadas carências dos cidadãos, que devem provê-las a partir do próprio esforço individual em uma economia mais fortemente caracterizada pela concorrência entre os indivíduos e por menos direitos sociais. Em seu tempo, o filósofo contratualista Jean-Jacques Rousseau, em seu Do Contrato Social, afirma que quanto menos felicidade a República é capaz de proporcionar aos cidadãos, mais eles terão que buscar, individualmente, a felicidade. A consequência é uma sociedade cada vez mais egoísta, desinteressada pela política e, por fim, agrilhoada por um déspota qualquer ou pela cobiça.

O texto acima apresenta duas opiniões conflitantes sobre a condução das políticas públicas.

Considerando essas opiniões, assinale a afirmação verdadeira.

  1. O governo brasileiro defende uma posição socialista, que consiste no provimento estatal daquilo que é necessário para a felicidade geral, enquanto Rousseau apresenta uma ideia liberal de economia e livre-iniciativa.
  2. Rousseau é um contumaz representante do marxismo cultural, que produz suas críticas ao governo Bolsonaro com o único objetivo de desestabilizar o Brasil e inviabilizar as reformas econômicas liberalizantes.
  3. Rousseau apresenta um argumento contrário ao individualismo liberal, uma vez que o indivíduo, despreocupado com a política e engajado nos ganhos econômicos, se distancia dos assuntos públicos e corre risco de perder sua liberdade.
  4. A posição do governo brasileiro, ao apresentar um menor aporte para as universidades públicas, quando amplia a rede de universidades privadas, é condizente com o pensamento de Rousseau, que tem em foco o bem público e não a busca individualizada por felicidade.

02. (CESMAC) O movimento Iluminista, que teve seu auge na Europa do século XVIII, contou, entre seus principais pensadores, com Jean-Jacque Rousseau, cuja obra mais conhecida intitula-se:

  1. O Espírito das Leis.
  2. O Contrato Social.
  3. A Riqueza das Nações.
  4. Ensaio sobre o entendimento humano.
  5. Cartas inglesas.

03. (PUC-PR) Rousseau, no texto Sobre a origem e os fundamentos da desigualdade entre os homens (1755), estabelece que:

  1. A invenção da propriedade privada, das sociedades e das leis foram acontecimentos que deram origem, diversificaram e aprofundaram as formas de desigualdade.
  2. A desigualdade natural entre os homens é a principal razão da desigualdade social e política.
  3. A desigualdade econômica se deve, sobretudo, à inteligência mais aguçada dos ricos.
  4. A invenção da sociedade e das leis nasceu para garantir os direitos naturais da vida e da propriedade.
  5. A invenção da política marcou o fim da desigualdade entre senhores e escravos.

04. (UFVJM) “Os escravos tudo perdem sob seus grilhões, até o desejo de escapar deles. (...) A força fez os primeiros escravos, sua covardia os perpetuou”.

Fonte: ROUSSEAU, J.J. Do contrato social. São Paulo: Abril Cultural, 1999. p. 57.

No trecho acima, o filósofo iluminista, Jean-Jacques Rousseau, toma posição sobre um tema muito debatido nos círculos intelectuais do seu tempo, a escravidão. Sua reflexão esclarece que:

  1. a desigualdade deve ser mantida.
  2. a apatia contribui para a libertação.
  3. a escravidão é produto das relações humanas.
  4. alguns nascem para ser escravos e outros para dominar.

05. (UNESP) Cada um de nós põe em comum sua pessoa e todo o seu poder sob a direção suprema da vontade geral, e recebemos, enquanto corpo, cada membro como parte indivisível do todo. [...] um corpo moral e coletivo, composto de tantos membros quantos são os votos da assembleia [...]. Essa pessoa pública, que se forma, desse modo, pela união de todas as outras, tomava antigamente o nome de cidade e, hoje, o de república ou de corpo político, o qual é chamado por seus membros de Estado [...].

(Jean-Jacques Rousseau. Os pensadores, 1983.)

O texto, produzido no âmbito do Iluminismo francês, apresenta a doutrina política do

  1. coletivismo, manifesto na rejeição da propriedade privada e na defesa dos programas socialistas de estatização.
  2. humanismo, presente no projeto liberal de valorizar o indivíduo e sua realização no trabalho.
  3. socialismo, presente na crítica ao absolutismo monárquico e na defesa da completa igualdade socioeconômica.
  4. corporativismo, presente na proposta fascista de unir o povo em torno da identidade e da vontade nacional.
  5. contratualismo, manifesto na reação ao Antigo Regime e na defesa dos direitos de cidadania.

06. (FIP-Moc) “As camadas sociais elevadas, que se pretende ser, úteis às outras, são de fato úteis a si mesmas, à custa das outras (...). Saiba ele (o jovem Emílio) que o homem é naturalmente bom (...), mas veja ele como a sociedade deprava e perverte os homens, descubra no preconceito a fonte de todos os vícios dos homens; seja levado a estimar cada indivíduo, mas despreze a multidão; veja que todos os homens carregam mais ou menos a mesma máscara, mas saiba também que existem rostos mais belos do que a máscara que o cobre”.

Fonte: ROUSSEAU, Jean Jacques. Emílio ou Da Educação. São Paulo: Martins Fontes, 1999. P. 311

Segundo o texto:

  1. os preconceitos são inatos, não tendo a vida social influência sobre eles.
  2. a coesão da sociedade acontece quando os homens aceitam seus papéis e máscaras sociais.
  3. a organização da sociedade deve ser marcada pela igualdade econômica e social.
  4. a vida social é impossível, devendo cada homem atentar para os valores individuais.
  5. a sociedade é responsável pela corrupção do homem, gerando vícios de toda ordem.

07. (UESPI) Rousseau construiu uma obra que se apresentou significativa para a afirmação do mundo moderno. Historicamente, contribui para refletir sobre a educação quando escreveu a obra Emílio.

No seu livro, Rousseau propõe:

  1. a manutenção das tradições cristãs, enfatizando a disciplina religiosa.
  2. o fim de muitos preconceitos, ressaltando a bondade humana.
  3. a prevalência do mando dos homens, pela sua capacidade de disciplinar.
  4. o cuidado com a ética, pois os humanos são egoístas e vaidosos.
  5. a ruptura com todas as religiões, cheias de superstições e preconceitos.

08. (PUC-PR) Leia e analise as afirmativas a seguir:

I. O processo de desigualdade consolidou-se com o estabelecimento da lei e do direito da propriedade.

II. O processo de desigualdade surgiu como resultado do medo constante da violência existente no estado de natureza, em que há apenas o direito daqueles mais fortes.

III. Em sua teoria contratualista, o processo de desigualdade consolidou-se com a transformação do poder legítimo em poder arbitrário.

IV. O homem por natureza é bom. Contudo, é a sociedade que o corrompe.

V. Realiza um elogio ao processo de socialização, uma vez que este foi responsável por ter corrompido o ser humano, tornando-o egoísta.

Segundo Rousseau, estão CORRETAS apenas as alternativas:

  1. II, III e V.
  2. I, III e IV.
  3. I, III e V.
  4. I, II e III.
  5. II, IV e V.

09. (UEG-GO) Entendia o filósofo Jean-Jacques Rousseau que a sociedade civil é resultado das transformações que a espécie humana sofreu ao longo de sua história, sobretudo da condição de selvagem para a condição de homem civilizado.

O que permitiu essa transformação, segundo este filósofo, é a perfectibilidade. Selecione, nos itens a seguir, aquele que expressa o sentido de perfectibilidade em Rousseau, ou seja, a capacidade que o homem tem de

  1. aperfeiçoar-se.
  2. encontrar soluções para seus problemas.
  3. enfrentar seus medos.
  4. escapar dos perigos.

10. (PUC-PR) Leia o fragmento a seguir, extraído do Discurso sobre a origem e os fundamentos da desigualdade entre os homens, de Rousseau:

“É do homem que devo falar, e a questão que examino me indica que vou falar a homens, pois não se propõem questões semelhantes quando se teme honrar a verdade. Defenderei, pois, com confiança a causa da humanidade perante os sábios que a isso me convidam e não ficarei descontente comigo mesmo se me tornar digno de meu assunto e de meus juízes”.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Discurso sobre a origem e os fundamentos da desigualdade entre os homens. São Paulo: Martins Fontes, 1999, p.159.

A partir da teoria contratualista de Rousseau, assinale a alternativa que representa aquilo que o filósofo de Genebra pretende defender na obra.

  1. Que a desigualdade social é permitida pela lei natural e, portanto, o Estado não é responsável pelo conflito social.
  2. Que a desigualdade social é autorizada pela lei natural, ou seja, que a natureza não se encontra submetida à lei.
  3. Que no estado natural existe apenas o direito de propriedade.
  4. Que a desigualdade moral ou política é uma continuidade daquilo que já está presente no estado natural.
  5. Que há, na espécie humana, duas espécies de desigualdade: a primeira, natural, e a segunda, moral ou política.

Você acredita que o gabarito esteja incorreto? Avisa aí 😰| Email ou WhatsApp