Home > Banco de Questões > Filosofia > Filosofia Antiga >Aristóteles

Aristóteles

Lista de 10 exercícios de Filosofia com gabarito sobre o tema Aristóteles com questões de Vestibulares.


Você pode conferir as videoaulas, conteúdo de teoria, e mais questões sobre o tema aqui.



01. (UPE) "(...) aprendemos executando o que temos que executar. Exemplo: homens se tornam construtores construindo e se tornam tocadores de lira tocando lira. É a realização de atos justos que nos torna justos, a de atos moderados que nos torna moderados, a de atos corajosos que nos torna corajosos (...)."

Aristóteles. Ética a Nicômaco. Livro II, cap. I, pág.75. São Paulo: Edipro, 2014. (Adaptado).

Segundo o texto, para Aristóteles, as virtudes são

  1. puramente inatas ao ser humano.
  2. frutos do nascimento nobre.
  3. oriundas da prática e do exercício.
  4. exclusivas dos atenienses.
  5. proibidas aos bárbaros.

02. (UNICAMP) “Muitos políticos veem facilitado seu nefasto trabalho pela ausência da filosofia. Massas e funcionários são mais fáceis de manipular quando não pensam, mas tão somente usam de uma inteligência de rebanho. É preciso impedir que os homens se tornem sensatos. Mais vale, portanto, que a filosofia seja vista como algo entediante.”

(Karl Jaspers, Introdução ao pensamento filosófico. São Paulo: Cultrix, 1976, p.140.)

Assinale a alternativa correta.

  1. O filósofo lembra que a filosofia tem um potencial crítico que pode desagradar a políticos, poderosos e ao senso comum, tal como ocorreu na Grécia em relação a Sócrates.
  2. A filosofia precisa ser entediante para estimular o pensamento crítico, rigoroso e formar pessoas sensatas, a partir do ensino de lógica, retórica e ética.
  3. A ditadura militar no Brasil retirou a disciplina de filosofia das escolas por considerá-la subversiva, mas atenuou a medida estimulando os Centros Populares de Cultura (CPC), ligados a entidades estudantis.
  4. Os políticos e a estrutura escolar não são o verdadeiro obstáculo ao ensino de filosofia, mas a concepção de que ela é difícil e tediosa, considerando-se que existem mecanismos para aproximá-la do senso comum.

03. (UEA) No caso da Grécia, a evolução intelectual que vai de Hesíodo a Aristóteles pareceu-nos estabelecer uma distinção, orientada pela razão, entre o mundo da natureza, o mundo humano e o mundo das forças sagradas. Essa distinção, porém, é sempre mais ou menos mesclada ou aproximada pela imaginação mítica, que às vezes confunde esses diversos domínios.

(Jean-Pierre Vernant. Mito e pensamento entre os gregos, 1990. Adaptado.)

O texto caracteriza

  1. a incomunicabilidade entre o pensamento mítico e o racional.
  2. a transição do idealismo para o materialismo histórico.
  3. a constituição de um pensamento fundado na razão e na fé católica.
  4. a transição e a combinação entre o pensamento mítico e o racional.
  5. a superação racionalista e objetiva do pensamento mítico tradicional.

04. (UNIMONTES) Admiração é a categoria que nos possibilita tomar consciência da nossa própria ignorância, que, por sua vez, é entendida aqui como ausência de conhecimento. É essa categoria que estimula a abertura para o saber e o conhecer. Aristóteles, no início da Metafísica, lembra-nos de que: “Na verdade, foi pela admiração que os homens começaram a filosofar, tanto no princípio, como agora”. Assinale a alternativa CORRETA.

  1. A admiração constitui possibilidade ímpar para o ato de filosofar.
  2. A admiração conduz ao devaneio e à distância da filosofia.
  3. A admiração liga-se aos sentidos e é falsa em sua origem.
  4. A admiração é enganadora e confusa na constituição do conhecimento.

05. (UEA) Atribui-se a Tales de Mileto, por sua grande sabedoria, uma especulação lucrativa […]. Reprovava-se a sua pobreza, dizendo-lhe que a filosofia para nada serve. Ele havia previsto, diz-se, por seus conhecimentos astronômicos, que iria haver uma grande colheita de azeitonas. Estava-se ainda no inverno. Procurou Tales o dinheiro necessário, arrendou todas as prensas de óleo de Mileto e de Quio por um preço bem módico, pelo fato de não ter concorrentes. Quando veio a colheita, as prensas foram procuradas de repente por uma multidão de interessados. Alugou-lhas então pelo preço que quis, e, realizando assim grandes lucros, mostrou que é fácil aos filósofos enriquecer quando querem, embora não seja esse o fim dos seus estudos.

(Aristóteles. A política, s/d.)

O episódio de Tales de Mileto (séculos VII e VI a.C), relatado por Aristóteles, demonstra que não é função da filosofia se preocupar com alguma forma de lucro e que o campo da reflexão filosófica

  1. estava limitado à análise do universo celeste.
  2. permanecia desligado da sociedade da pólis grega.
  3. incorporava os conhecimentos do mundo físico.
  4. desconsiderava o caráter rigoroso do raciocínio matemático.
  5. entendia o debate de ideias como prejudicial à procura da verdade.

06. (UEA) Se estes assuntos, assim como a virtude e também a amizade e o prazer, foram suficientemente discutidos em linhas gerais, devemos dar por terminado nosso programa? [...] No tocante à virtude, pois, não basta saber, devemos tentar possuí-la e usá-la ou experimentar qualquer outro meio que se nos antepare de nos tornarmos bons.

(Aristóteles. Ética a Nicômaco, 1973.)

Aristóteles argumenta que a ética

  1. deve vincular conhecimento e atividade humana.
  2. está, como disciplina filosófica, afastada do conhecimento.
  3. é um setor de menor importância na reflexão filosófica.
  4. prega o comportamento honesto aos indivíduos pobres.
  5. orienta os cidadãos gregos na administração da pólis.

07. (UFU) De fato, os homens começaram a filosofar, agora como na origem, por causa da admiração, na medida em que, inicialmente, ficavam perplexos diante das dificuldades mais simples; em seguida, progredindo pouco a pouco, chegaram a enfrentar problemas sempre maiores [...].

ARISTÓTELES. Metafísica, v. I. São Paulo: Edições Loyola, 2002. p. 11 [982b].

Admiração ou espanto, essa é a atitude que Aristóteles considerava como o princípio do filosofar. Assinale a alternativa que justifica o raciocínio do filósofo grego.

  1. O espanto é a atitude de êxtase em face da revelação da verdade eterna assinalada por um saber divino que abarca toda a realidade, pois dispensa qualquer uso do pensamento ou da experiência guiada pelo pensamento.
  2. O espanto causa perplexidade em quem se depara com algo desconhecido e assim se sente impelido a querer saber; essa atitude é própria do filosofar, por isso, "agora como na origem", o que motiva os homens é a libertação da ignorância.
  3. O espanto reforça a ignorância humana, pois tudo que existe possui uma ordem imutável e eterna, e quem se submeter cegamente aos designíos do desconhecido, apesar de abdicar de sua liberdade, terá na ignorância o seu maior bem.
  4. O espantoso, para Aristóteles, era constatar, na cultura grega, que os homens diante da menor dificuldade eram incapazes de pensar que este mundo é uma ilusão; o mundo verdadeiro está além do sensível e só pode ser contemplado.

08. (Unioeste) No itinerário histórico-cultural ocidental de estruturação do pensamento filosófico-político sobre a origem e fundamento do Estado e da sociedade política encontra-se o modelo de pensamento contratualista (jusnaturalista), tendo em Hobbes, Locke e Rousseau filósofos relevantes na discussão dos elementos estruturais deste modelo. Segundo Norberto Bobbio, este modelo é “construído com base na grande dicotomia ‘estado (ou sociedade) de natureza/estado (ou sociedade civil)’”, e contém “elementos caracterizadores” deste modelo.

Com base no texto, assinale a alternativa INCORRETA.

  1. Na concepção política de HOBBES, o estado de natureza é tido como um estado de guerra generalizada, de todos contra todos.
  2. Na concepção política de Aristóteles, o homem é, por natureza, um ser insociável e apolítico.
  3. Na concepção política de HOBBES, o poder soberano que resulta do pacto de união, por ser soberano, tem como atributos fundamentais ser um poder absoluto, indivisível e irrevogável.
  4. Na concepção política de Locke, a passagem do estado de natureza para o estado civil se realiza mediante o contrato social que é um pacto de consentimento unânime de indivíduos singulares para o ingresso no estado civil.
  5. Contrapondo-se a Hobbes, Locke concebe o estado de natureza como um estado de “relativa paz, concórdia e harmonia”.

09. (UNIMONTES) Entende Aristóteles que a virtude será uma decorrência do cultivo das aptidões e potencialidades do ser humano. Recomenda a mediania como caminho importante na busca da felicidade. São livros de Aristóteles.

  1. Ética a Nicomaco, Metafísica e Física.
  2. Ética a Nicomaco, Metafísica e Teeteto.
  3. Julgamento de Sócrates, Metafísica e Física.
  4. Ética a Nicomaco, Confissões e Física.

10. (CESMAC) Aristóteles construiu teorias significativas para a cultura do mundo Ocidental. Suas contribuições foram importantes, pois:

Aristóteles construiu teorias significativas para a cultura do mundo Ocidental. Suas contribuições foram importantes, pois:

  1. influenciaram os artistas renascentistas com a crítica feita ao mito e à religião.
  2. consolidaram o relativismo dos sofistas, colocando o homem com centro do universo.
  3. negaram o valor da religião monogâmica, que foram interpretadas como heresias pela Igreja Católica
  4. seguiram os ensinamentos de Platão, ressaltando o valor da democracia e a inutilidade da escravidão.
  5. sistematizaram ideias do pensamento grego da época que ainda hoje têm repercussões na contemporaneidade.

Você acredita que o gabarito esteja incorreto? Avisa aí 😰| Email ou WhatsApp