Home > Banco de Questões > Biologia > Microbiologia >Klebsiella pneumoniae carbapenamase (KPC)

Klebsiella pneumoniae carbapenamase (KPC)

Lista de 09 exercícios de Biologia com gabarito sobre o tema Klebsiella pneumoniae carbapenamase (KPC) com questões de Vestibulares.


Você pode conferir as videoaulas, conteúdo de teoria, e mais questões sobre o tema Klebsiella pneumoniae carbapenamase (KPC).



01. (Enem Libras) Hospitais de diferentes regiões do país registram casos de contaminação pela superbactéria Klebsiella pneumoniae carbapenamase (KPC), que apresenta resistência à maioria dos medicamentos. Acredita-se que o uso inadequado de antibióticos tenha levado à seleção dessas formas mais resistentes.

De acordo com as teorias darwinistas e neodarwinistas, o surgimento dessa superbactéria ocorreu por

  1. aumento da especiação.
  2. crescimento populacional.
  3. variações no material gênico.
  4. ampliação da irradiação adaptativa.
  5. potencialização da convergência evolutiva.

02. (PUC-PR) Em outubro de 2010, a Anvisa, após alguns hospitais brasileiros sofrerem com um surto da bactéria “KPC”, resolveu proibir a venda de antibióticos sem receita médica pelas farmácias. Com a nova regra, a receita médica para antibióticos ficará retida na farmácia junto com os dados do comprador. A validade da receita é de 10 dias, o que obriga o paciente a procurar novamente o médico em casos de persistência da doença.

Um dos objetivos da regra é mudar o hábito do brasileiro de se automedicar, uma vez que o uso indiscriminado de antibióticos pode provocar

  1. a resistência microbiana, a qual pode tornar a bactéria resistente ao medicamento, uma vez que o uso indiscriminado de antibióticos pode induzir novas formas de bactérias.
  2. a aquisição de resistência por indução de componentes antimicrobianos; com isso, as bactérias geram cepas capazes de suportar os antibióticos.
  3. a resistência microbiana desencadeada pela indução de formas genéticas modificadas pela troca de pequenos plasmídeos (plasmídeo R) encarregados de levarem consigo genes que permitem a resistência antimicrobiana.
  4. a necessidade de mudança por parte da população bacteriana, que se torna resistente por alterações genéticas impostas pelo uso dos antibióticos.
  5. a redução da eficácia dos antibióticos devido à seleção de organismos resistentes.

03. (UEFS) Desde 2003, soldados americanos que sobreviveram a graves ferimentos no Iraque tiveram que enfrentar um inimigo ainda mais mortal quando retornaram aos Estados Unidos. Debilitados por cirurgias e entupidos de antibióticos, se tornaram presas fáceis para bactérias que atacam justamente pessoas com problemas graves de saúde. No caso americano, a responsável foi a Acinetobacter baumannii, que contaminou 700 soldados entre 2003 e 2007. Agora é a vez de o Brasil enfrentar um surto de KPC, superbactéria que matou uma pessoa no Paraná e 18 no Distrito Federal, e infectou outras 22 em mais quatro estados. (KPC não é...., 2010).

Muitos casos de infecção hospitalar diagnosticados nos hospitais brasileiros, nos últimos meses do ano de 2010, foram relacionados à superbactéria Klebsiella pneumoniae (KPC). Com relação à resistência a antibióticos observada nas superbactérias, normalmente isoladas em Unidades de Terapia Intensiva de hospitais, pode-se afirmar que

  1. a utilização desenfreada de antibióticos induz a ocorrência de alterações metabólicas e comportamentais em alguns grupos de células procarióticas, tornando-as mais resistentes.
  2. a intensificação do controle de comercialização de medicamentos pela ANVISA tem como principal objetivo evitar a utilização de antibióticos que estimulem a replicação bacteriana.
  3. a bactéria Klebsiella pneumoniae, produtora da enzima carbapenemase, é capaz de causar infecção generalizada independentemente do estado imunológico do indivíduo.
  4. a ocorrência de mutações em bactérias comuns, como as do gênero Klebsiella, pode aumentar o potencial adaptativo desses organismos.
  5. nos hospitais, principais focos de contaminação microbiológica, ocorre a disseminação de fungos que se associam a bactérias comuns, tornando-as resistentes sob condições adversas.

04. (IMEPAC) Leia o texto a seguir para responder à questão.

O Hospital Municipal Dr. Waldemar Tebaldi, em Americana (SP), confirmou nesta quinta-feira (17) mais um caso de morte pela superbactéria KPC. Ao todo, 11 pessoas foram infectadas desde o início de janeiro e três delas morreram. [...] A bactéria multirresistente Klebsiella pneumoniae foi encontrada em 11 pessoas que apresentaram sintomas clínicos e em exames de vigilância no hospital. Ainda segundo o médico responsável pelo setor de infectologia do hospital há duas pessoas internadas na unidade de terapia intensiva (UTI) e uma na enfermaria.

Disponível em: <http://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/noticia/2016/03/superbacteria-mata-mais-um-e-chega-11-os-casos-em-americana-sp.html>. Acesso em: 17 mar. 2016.

O aumento das populações de KPC encontra explicação baseada no seguinte processo biológico:

  1. Crossing over.
  2. Seleção natural.
  3. Deriva genética.
  4. Recessividade genética.

05. (SLMANDIC) Hospitais em Alerta

Desde o dia 28 de maio, vieram à tona infecções por bactérias multirresistentes – conhecidas popularmente como “superbactérias” – em sete unidades de saúde do DF. No início de junho, a Secretaria de Saúde informou que 16 pacientes estavam isolados no Hospital Regional de Santa Maria com a bactéria multirresistente.

(Disponível: http://g1.globo.com/distrito-federal/noticia/2015/08/morre-idoso-internado-no-df-com-superbacteria-kpc.html Acesso: 19 ago. 2015.)

O texto relata a presença de “superbactérias” em hospitais do Distrito Federal. Sabe-se que o uso descontrolado de antibióticos em populações está relacionado ao aparecimento dessas bactérias resistentes, pois:

  1. o uso incorreto de antibióticos acaba selecionando as bactérias que já possuem resistência à droga, as quais, com o tempo, passam a ser maioria.
  2. em resposta aos antibióticos, as bactérias passam a aumentar a sua resistência tornando-se progressivamente resistentes.
  3. os antibióticos induzem mutações nas bactérias, criando bactérias cada vez mais resistentes a seus efeitos.
  4. os antibióticos diminuem a resistência imunológica do organismo, favorecendo o aparecimento de bactérias multirresistentes.
  5. ao alterar os genes das bactérias, os antibióticos selecionam aquelas que criaram resistência, tornando-se multirresistentes.

06. (UFU) A Klebsiella pneumoniae carbapenemase (KPC), também conhecida como superbactéria, quando entra no organismo, é capaz de produzir infecções graves. O surto da bactéria está frequentemente relacionado ao uso indiscriminado de antibióticos. A seguir está representado como surgem cepas resistentes.

Considerando os argumentos neodarwinistas para explicar a multirresistência da KPC aos antibióticos, é INCORRETO afirmar que:

  1. Bactérias resistentes podem transferir a outras bactérias anéis de DNA que garantem a variabilidade entre bactérias, conferindo resistência aos antibióticos.
  2. A utilização de antibióticos de forma indiscriminada propicia a seleção de bactérias resistentes.
  3. O uso de antibióticos provoca alterações no DNA da bactéria, tornando-a cada vez mais resistente.
  4. O mecanismo de mutação no código genético das bactérias pode conferir resistência a antibióticos.

07. (PUC-PR) Em outubro de 2010, a Anvisa, após alguns hospitais brasileiros sofrerem com um surto da bactéria “KPC”, resolveu proibir a venda de antibióticos sem receita médica pelas farmácias. Com a nova regra, a receita médica para antibióticos ficará retida na farmácia junto com os dados do comprador. A validade da receita é de 10 dias, o que obriga o paciente a procurar novamente o médico em casos de persistência da doença. Um dos objetivos da regra é mudar o hábito do brasileiro de se automedicar, uma vez que o uso indiscriminado de antibióticos pode provocar

  1. a resistência microbiana, a qual pode tornar a bactéria resistente ao medicamento, uma vez que o uso indiscriminado de antibióticos pode induzir novas formas de bactérias.
  2. a aquisição de resistência por indução de componentes antimicrobianos; com isso, as bactérias geram cepas capazes de suportar os antibióticos.
  3. a resistência microbiana desencadeada pela indução de formas genéticas modificadas pela troca de pequenos plasmídeos (plasmídeo R) encarregados de levarem consigo genes que permitem a resistência antimicrobiana.
  4. a necessidade de mudança por parte da população bacteriana, que se torna resistente por alterações genéticas impostas pelo uso dos antibióticos.
  5. a redução da eficácia dos antibióticos devido à seleção de organismos resistentes.

08. (PUC-SP) Anvisa obrigará hospitais a comunicar casos de microorganismos resistentes nos pacientes

Os hospitais brasileiros serão obrigados a comunicar às autoridades sanitárias a ocorrência de infecções por superbactérias entre seus pacientes. A medida integra o Plano Nacional de Microagentes Multirresistentes, um projeto que estava em desenvolvimento desde o início do ano e que foi apressado diante do avanço no País da KPC, uma superbactéria resistente à maior parte dos antibióticos do mercado que já provocou 14 mortes no Distrito Federal.

Jornal da Tarde, outubro/2010.

A respeito das infecções hospitalares causadas por superbactérias foram feitas cinco afirmações. Assinale a INCORRETA.

  1. Alterações no código genético das bactérias podem garantir resistência a antibióticos.
  2. Bactérias sem mutações favoráveis não resistem a administrações de certos antibióticos.
  3. Antibióticos selecionam linhagens resistentes de bactérias.
  4. Antibióticos provocam alterações no DNA bacteriano, tornando as bactérias cada vez mais resistentes a essas drogas.
  5. Bactérias resistentes podem transferir a outras bactérias a parte do DNA que as tornaram imunes aos antibióticos.

09. (Unifor) Os meios de comunicação têm noticiado a preocupação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) com os crescentes casos de contaminação de pacientes hospitalizados com a superbactéria KPC (Klebsiella pneumoniae carbapenemase). No ano de 2010, há registros de 183 casos confirmados e 18 mortes no Distrito Federal e também de casos no Espírito Santo, Paraná, em São Paulo, Santa Catarina, Goiás, Minas Gerais e na Paraíba. Sabendo que o surgimento de bactérias resistentes a antibióticos encontra explicação biológica na teoria moderna da evolução dos seres vivos, deve-se concluir corretamente que:

  1. O uso indiscriminado dos antibióticos pela população provocou alterações nas bactérias, tornando-as resistentes.
  2. Nas populações bacterianas sempre estão surgindo formas mutantes resistentes devido à automedicação.
  3. Os antibióticos agiram como agentes seletivos favorecendo a multiplicação de bactérias resistentes que surgiram por mutação.
  4. Os antibióticos provocam o fenômeno da deriva gênica, fazendo com que as bactérias sensíveis desaparecessem completamente.
  5. Ocorreram mutações direcionadas nas populações bacterianas com o propósito de favorecer sua adaptação aos antibióticos.

Você acredita que o gabarito esteja incorreto? Avisa aí 😰| Email ou WhatsApp