Home > Banco de Questões > Biologia > Genética >

Biotecnologia

Lista de 15 exercícios de Biologia com gabarito sobre o tema Biotecnologia com questões de Vestibulares.



01. (UDESC) “Um número crescente de clínicas, muitas vezes em países como a Rússia ou a China, mas também na Europa e outros continentes, afirmam em seus sites que podem tratar e até curar doenças como distrofia muscular, Alzheimer, Parkinson e lesão na coluna vertebral, assim como infartos, injetando nos pacientes células-tronco que, em teoria, podem se transformar em um nervo, um músculo ou outras células e reparar danos causados por uma doença ou lesão. Relatos de atletas sobre resultados aparentemente miraculosos contribuem para um interesse crescente. Estima-se que dezenas de milhares de pacientes ao redor do mundo tenham recorrido a tais tratamentos e que o setor movimente centenas de milhões de dólares”.

Disponível em: http://nytiw.folha.uol.com.br/?url=/folha/content/view/full/44567, acessado em agosto/2016

Analise as proposições em relação às células tronco, e assinale (V) para verdadeira e (F) para falsa.

( ) O uso das células tronco em terapias baseia-se no princípio de que elas podem gerar qualquer tipo de célula.

( ) Os mecanismos genéticos, que promovem a diferenciação celular, já são suficientemente conhecidos para assegurar a correta transformação das células tronco naquelas que o paciente necessita.

( ) Não existe o risco destas células se transformarem em tumores.

( ) Todas as células, independentemente do seu grau de diferenciação, podem ser transformadas em células tronco.

Assinale a alternativa que indica a sequência correta, de cima para baixo.

  1. V – F – V – V
  2. F – V – F – F
  3. V – F – F – F
  4. F – V – V – V
  5. F – F – F – V

02. (UEG) Na atualidade, diversas técnicas têm sido utilizadas para favorecer a propagação de determinadas espécies vegetais, dentre elas as de espécies nativas dos diferentes biomas brasileiros. Uma destas técnicas é a cultura de tecidos, que apresenta grande aplicação na agricultura e oferece diferentes soluções originais para o programa de melhoramento vegetal em função de ser uma ferramenta com

  1. possíveis usos para realização de limpeza clonal em patógenos mutacionais e estáveis associados a algumas espécies de comercialização como abacaxi, citrus e morango.
  2. utilização nas quebras de dormência de frutos e túberculos de determinadas espécies nativas em função da manutenção da variabilidade genética e somática.
  3. potencial de produção de embriões maduros com agravos mutacionais em processos de enxertias em mudas contendo vírus.
  4. potencial de uso na multiplicação de material genético para a troca e a avaliação de germonoplasma à produção de mudas livres de vírus.
  5. expressiva capacidade de favorecer a retirada da variabilidade genética pela variação somaclonal para multiplicação de células hospedeiras e mutagênicas.

03. (UEA - SIS) O mosquito Aedes aegypti pode transmitir dengue, febre amarela, zika e chikungunya. Para reduzir a incidência dessas doenças, pesquisadores estão testando formas de reduzir a população desse mosquito. Uma delas é inserir um gene específico nos mosquitos machos, que mata a prole antes da fase adulta. Quando os machos modificados são soltos na natureza e se acasalam, as fêmeas geram filhotes inviáveis. Com isso, a população do mosquito diminui.

Segundo o texto, mosquitos machos receberam artificialmente um segmento de

  1. RNA e, por isso, são considerados clones.
  2. DNA e, por isso, são considerados geneticamente modificados.
  3. proteína e, por isso, são considerados mutantes.
  4. carboidrato e, por isso, são considerados híbridos.
  5. lipídio e, por isso, são considerados transgênicos.

04. (UERR) “Existem vários tipos de soja transgênicas sendo desenvolvidas atualmente. A mais conhecida e plantada comercialmente é uma planta que recebeu, por meio de técnicas da biotecnologia, um gene de um outro organismo capaz de torná-la tolerante ao uso de um tipo de herbicida, o glifosato. Esse gene foi extraído de uma bactéria do solo, conhecida por Agrobacterium, e patenteado por uma empresa privada com o nome CP4-EPSPS. Estruturalmente, é muito parecido com os genes que compõem o genoma de uma planta. Quando inserido no genoma da soja, tornou a planta resistente à aplicação do herbicida.”

Portal Embrapa: https://www.embrapa.br/soja/cultivos/soja1/soja-transgenica

Com base no texto acima e nos conceitos de transgenia, pode-se concluir, corretamente, que:

  1. Toda planta transgênica produz substâncias altamente tóxicas ao ser humano.
  2. A pesquisa científica busca, com o desenvolvimento de transgênicos, criar novas espécies, para poder aumentar a produtividade e minimizar o uso de herbicidas.
  3. Organismos geneticamente modificados são obtidos por meio do cruzamento de espécies diferentes, para se obter uma espécie nova que não ocorre naturalmente.
  4. Organismos geneticamente modificados são quaisquer organismos em que se tenha introduzido uma ou mais sequências de DNA (gene provenientes de uma outra espécie, ou uma sequência modificada de DNA da mesma espécie).
  5. Plantas transgênicas são estéreis a partir da geração F2.

05. (UERJ) Células-tronco são células não especializadas que têm potencial de diferenciação, ou seja, em condições favoráveis, são capazes de gerar células especializadas e de diferentes tecidos.

Para que essa diferenciação ocorra, as células-tronco têm de alterar necessariamente o seguinte padrão do seu metabolismo:

  1. expressão gênica
  2. número de cromossomos
  3. quantidade de mitocôndrias
  4. atividade dos fosfolipídios da membrana

06. (UFPR) Atualmente é possível comprar e criar os chamados GloFish, peixes transgênicos que se tornam fluorescentes quando expostos à luz ultravioleta. Para conferir a fluorescência, pesquisadores criaram peixes que produzem em suas células a proteína GFP (proteína verde fluorescente, na sigla em inglês), presente naturalmente em medusas e que pode ser detectada sob luz ultravioleta. Considerando a tecnologia para obtenção de transgênicos, identifique como verdadeiras (V) ou falsas (F) as seguintes afirmativas:

( ) Os peixes GloFish são chamados transgênicos porque possuem em seu genoma um segmento de DNA de medusa.

( ) O gene que codifica a GFP foi inserido nas células somáticas, mas não nas gaméticas dos peixes GloFish.

( ) As células fluorescentes dos GloFish produzem RNA mensageiro, que, por meio da tradução, origina a proteína GFP.

( ) Os peixes GloFish foram produzidos pela introdução de um núcleo extraído de uma célula de medusa em uma célula de peixe cujo núcleo tinha sido anteriormente removido.

Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta, de cima para baixo.

  1. V – F – F – V.
  2. F – V – F – V.
  3. F – F – V – V.
  4. V – F – V – F.
  5. F – V – F – F.

07. (UNICAMP) A prestigiada revista Science elegeu como um dos principais avanços científicos de 2017 um caso de terapia gênica em crianças portadoras de atrofia muscular espinhal do tipo 1, uma doença genética caracterizada pela atrofia progressiva dos músculos esqueléticos e morte precoce antes dos 2 anos de idade. A doença é causada por um gene defeituoso, que deixa de codificar uma proteina essencial para o funcionamento dos neurônios. No estudo, vírus não patogênicos que continham uma cópia normal do gene em questão foram injetados em quinze crianças doentes. As crianças tratadas sobreviveram além dos 2 anos e apresentaram melhoras na capacidade de movimento.

(Disponível em https://vis.sciencemag.org/.)

Analise as proposições em relação às células tronco, e assinale (V) para verdadeira e (F) para falsa.

( ) O uso das células tronco em terapias baseia-se no princípio de que elas podem gerar qualquer tipo de célula.

( ) Os mecanismos genéticos, que promovem a diferenciação celular, já são suficientemente conhecidos para assegurar a correta transformação das células tronco naquelas que o paciente necessita.

( ) Não existe o risco destas células se transformarem em tumores.

( ) Todas as células, independentemente do seu grau de diferenciação, podem ser transformadas em células tronco.

Assinale a alternativa que indica a sequência correta, de cima para baixo.

Os vírus injetados nas crianças foram capazes de (i)_____ restaurando a produção (ii)_____, que passaram, então, a controlar adequadamente (iii)_____.

  1. V – F – V – V
  2. F – V – F – F
  3. V – F – F – F
  4. F – V – V – V
  5. F – F – F – V

08. (UEMG) Uma nova técnica de fertilização auxiliou no nascimento de um bebê, gerado por três pessoas, segundo a revista científica “New Scientist”. O menino, hoje com cinco meses, tem o DNA do pai e o da mãe, somados à pequena parte do código genético de uma terceira pessoa. Médicos americanos deram um passo, sem precedentes, para evitar que o bebê tivesse a doença genética, denominada síndrome de Leigh, determinada por genes mitocondriais, e que teria consequências fatais ao atacar seu sistema nervoso central. Especialistas dizem que a técnica pode inaugurar uma nova era da Medicina ao possibilitar que famílias evitem que seus descendentes sofram de determinadas doenças genéticas.

Disponível em:< http://www.bbc.com/portuguese/geral-37476702> Acesso 01 Out 2016.

A técnica desse procedimento utilizou

  1. DNA ligase.
  2. ovócito anucleado.
  3. enzimas de restrição.
  4. plasmídeo como vetor.

09. (FGV-SP) O milho cultivado em larga escala no Brasil é denominado de milho (Bt) em decorrência da introdução de genes específicos da bactéria de solo, Bacillus thuringiensis (Bt), que promovem na planta a síntese de uma proteína tóxica específica para determinados grupos de insetos.

A bactéria Bacillus thuringiesis possui em seu genoma uma classe de genes chamados cry, que produz na sua célula proteínas tóxicas que atuam entre os receptores no intestino médio do inseto, levando-o à morte por dificuldade de alimentação e infecção generalizada.

(www.cnpms.embrapa.br. Adaptado)

O texto faz referência ao desenvolvimento de organismos

  1. geneticamente modificados, em função da alteração do processo de tradução do código genético universal.
  2. transgênicos, em função da utilização das enzimas de restrição típicas da tecnologia do DNA recombinante.
  3. selecionados artificialmente, em função da presença de características úteis ao ser humano.
  4. retrocruzados com variedades selvagens, em função da obtenção de um padrão de resistência para o vegetal.
  5. híbridos, em função do cruzamento entre espécies diferentes, porém com nível mínimo de compatibilidade gênica.

10. (UFRN) Diversos alimentos apresentam, no rótulo, um triângulo amarelo com a letra T, indicativa de que aqueles produtos são transgênicos. Alimentos transgênicos são comercializados, pelo mundo, desde o início da década de 1990, de modo que existem vários tipos de soja transgênica sendo desenvolvidas atualmente. A mais conhecida e plantada comercialmente é uma planta tolerante ao uso de um tipo de herbicida. Nesse sentido, a soja transgênica resistente ao herbicida

  1. é obtida pela transferência de fragmentos de DNA exógeno inseridos no genoma de células hospedeiras por meio de plasmídeos.
  2. é obtida por cruzamento natural, em que o próprio ar ou os insetos realizam a troca do pólen contido nas flores das plantas, promovendo a permuta de genes de resistência ao herbicida.
  3. produz proteínas com menor valor nutritivo, porque a transgenia altera a composição de aminoácidos da cadeia polipeptídica codificada pelo gene alterado.
  4. tem vantagem evolutiva natural frente às espécies selvagens de soja, devido à inserção de proteínas de tolerância ao herbicida.

11. (UFPR) A microinjeção pronuclear de óvulos fertilizados é o método mais amplamente utilizado para a produção de camundongos transgênicos. Esse método consiste na injeção de uma solução de DNA contendo o transgene de interesse no pronúcleo de um óvulo recém-fertilizado. Os óvulos são então transferidos para os ovidutos de uma fêmea, onde se desenvolvem. Considerando a técnica de microinjeção pronuclear de óvulos fertilizados, identifique como verdadeiras (V) ou falsas (F) as seguintes afirmativas:

( ) O transgene será expresso nas células somáticas e germinativas dos indivíduos transgênicos.

( ) A expressão do transgene ocorrerá pela tradução do RNA mensageiro sintetizado a partir do transgene.

( ) O transgene será transmitido para a descendência do camundongo transgênico de forma mendeliana.

( ) O camundongo transgênico produzirá descendentes com o código genético modificado.

Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta, de cima para baixo

  1. F – V – F – F.
  2. V – V – F – V.
  3. V – F – V – V.
  4. V – V – V – F.
  5. F – F – V – V.

12. (UPE) Leia o texto a seguir:

Atualmente, o gene considerado como o mais confiável para discriminar se um atleta tem mais força ou resistência é o ACTN3, apelidado gene da velocidade. Localizado no cromossomo 11, o ACTN3 é responsável pela produção da proteína alfa actinina 3, ativada exclusivamente em fibras musculares de contração rápida. Uma alteração em uma única base nitrogenada faz que esse gene possa apresentar duas formas na população humana: a versão “normal”, funcional, denominada R, que produz alfa actinina 3; e a variante alterada, chamada X, em que a tal proteína não é sintetizada. O gene ACTN3 assim como a eritropoietina (EPO), hormônio do crescimento humano (hGH), inibidor de genes da miostatina, endorfina, encefalina, leptina, dentre outros, são possíveis alvos primários do doping genético em humanos, por meio de terapia gênica in vivo, na qual o processo de transgenia ocorre dentro do indivíduo, ou ex vivo, no qual parte do engenheiramento genético ocorre fora do corpo, e parte, dentro.

Fontes: disponível em: < http://revistapesquisa.fapesp.br/wp-content/uploads/2016/06/014-019_CAPA_esportes_244-1.pdf?c01c25> e BAIRROS, A. V.; PREVEDELLO, A. A.; MORAES, L. L. S. Doping genético e possíveis metodologias de detecção. Rev. Bras. Ciênc. Esporte, Florianópolis, v.33, n.4, p.1055-1069, out./dez. 2011. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32892011000400017>

Sobre ele, é CORRETO afirmar que

  1. corredores de longa distância tendem a possuir, ao menos, uma cópia da variante R, a forma funcional, do gene ACTN3. A menor quantidade da proteína melhoraria o desempenho dos atletas em tarefas que dependem da ação das fibras rápidas.
  2. corredores velocistas precisam ser resistentes ao cansaço e tendem a ser XX quanto ao gene ACTN3. A ausência parcial da proteína levaria o organismo a se adaptar melhor a exercícios de longa duração que retiram energia do consumo de oxigênio.
  3. o doping genético é considerado o uso terapêutico de células, genes e elementos gênicos que venham a aumentar o desempenho físico do atleta por meio de substâncias químicas e fármacos.
  4. o doping genético ex vivo envolve a transferência de genes para células em meio de cultura e reintrodução para o tecido-alvo do atleta, o que aumentaria a expressão de hormônios e outras substâncias bioquímicas, trazendo melhoria ao seu desempenho físico.
  5. o princípio da terapia gênica in vivo consiste na transferência de proteínas e lipídeos para células-alvo por meio de pílulas, com o objetivo de suprir os produtos de um gene estruturalmente anormal no genoma do atleta.

13. (UPE) Leia o texto a seguir:

Em 1997, os biólogos Keith Campbell e Ian Wilmut apresentaram ao mundo a ovelha Dolly. Com ela nasceu uma revolução científica e social; vinte anos se passaram, e a clonagem ainda suscita opiniões conflitantes. O grande impacto de Dolly foi a descoberta de que uma célula somática diferenciada poderia ser reprogramada ao estágio inicial e voltar a ser totipotente. O processo não é fácil. Dolly só nasceu após 276 tentativas, que fracassaram. Além disso, dos embriões obtidos, 90% não alcançaram nem o estágio de blastocisto.

Em teoria, uma clonagem humana reprodutiva é possível, no entanto suas implicações éticas suscitaram seu banimento pela maioria dos cientistas. Em contrapartida, a clonagem terapêutica, que se utiliza da mesma técnica de transferência nuclear de uma célula adulta para um óvulo enucleado, objetiva formar tecidos e órgãos para transplantes e, por esse motivo, é menos conhecida e discutida.

Fonte: https://brasil.elpais.com/brasil/2017/02/21/ciencia/1487674345_626879.html> (Adaptado)

Sobre isso, é CORRETO afirmar que

  1. apesar de o DNA ser igual em todas as células de um indivíduo, os genes, nas células somáticas diferenciadas, se expressam de forma distinta para cada tecido. É espantoso ver uma célula adulta ser transformada em célula embrionária, capaz de se desenvolver e dar lugar às outras células do corpo do organismo clonado.
  2. em mamíferos logo após a fecundação, a célula resultante da fusão dos gametas começa a se dividir e, pelo menos até a fase de 16 células pluripotentes, cada uma delas é capaz de se desenvolver em um ser clonado completo, cada qual com um DNA distinto.
  3. indivíduos com doenças genéticas podem utilizar a clonagem terapêutica para melhorar seu quadro clínico; no entanto, o núcleo das hemácias para formar as células-tronco embrionárias só poderá ser do paciente, objetivando evitar a rejeição de um transplante, uma vez que o DNA doado por outra pessoa é incompatível.
  4. na fase de blastocisto, o embrião humano encontra-se implantado na cavidade uterina. As células externas do blastocisto, chamadas células-tronco embrionárias totipotentes, vão originar as centenas de tecidos com todos os genes ativos que irão compor o organismo clonado.
  5. no caso de uma clonagem humana reprodutiva, seria possível descartar o núcleo de uma célula germinativa, inseri-lo no citoplasma de um espermatozoide e, então, colocá-lo em um óvulo para posterior implantação do embrião.

14. (ACAFE) Novo mosquito transgênico pode ser mais eficiente contra dengue

Uma nova linhagem do mosquito Aedes aegypti geneticamente modificado (GM) deve ser testada em breve na cidade de Indaiatuba (SP). O inseto é uma versão aprimorada do mosquito já aprovado pela Comissão Técnica de Biossegurança (CTNBio) no Brasil e por outras agências que avaliam biossegurança em outros países do mundo, a exemplo do Panamá e das Ilhas Cayman. A primeira geração de mosquitos da dengue GM produz descendentes que herdam um gene autolimitante, tornando-os incapazes de chegar à fase adulta. A nova variedade, porém, tem filhotes machos que conseguem sobreviver e, ao cruzar com fêmeas selvagens, passam a modificação genética para seus descendentes.

Fonte: CIB, 13/09/2017. Disponível em: http://cib.org.br

Considere as informações do texto e os conhecimentos relacionados ao tema, analise as afirmações a seguir e assinale a alternativa que contém todas as corretas.

I. Transgênicos são organismos vivos que receberam material genético de uma espécie diferente, através de técnicas desenvolvidas pela engenharia genética.

II. A dengue, a febre chikungunya, a febre Zika, a febre amarela e a malária são exemplos de doenças virais transmiti das pelo mosquito Aedes aegypti.

III. A dengue é uma doença cujo período de maior transmissão em muitas regiões coincide com o verão devido aos fatores climáticos favoráveis à proliferação de seu vetor, o Aedes aegypti.

IV. Biossegurança é o conjunto de ações e procedimentos voltados para a prevenção, proteção, minimização de riscos inerentes à exposição, manipulação e uso de organismos vivos e seus derivados, com o objetivo de evitar danos e efeitos adversos aos seres humanos, aos animais e ao meio ambiente.

V. Os insetos podem ser vetores de doenças causadas por vírus, por bactérias e por protozoários. A doença de chagas é um exemplo de doença causada por protozoário e transmitida por mosquito, o Triatoma infestans, popularmente conhecido como barbeiro ou bicudo.

  1. II - III - V
  2. I - III - IV
  3. IV - V
  4. III - IV

15. (FGV-SP) 1. A tecnologia para modificar geneticamente o mosquito Aedes aegypti utiliza dois genes: o primeiro, chamado tVAN, aumenta a produção de uma proteína na larva que, quando acumulada, morre antes de virar mosquito. O outro é o DisRed2, que permite identificar os insetos modificados usando uma luz específica, de modo que se consiga diferenciá-los dos mosquitos selvagens.

2. A fábrica tem capacidade de produzir 60 milhões de mosquitos por semana, e funciona como um grande criadouro. Tem uma área para a produção de ovos que serão modificados geneticamente. Esses ovos passam por etapa de eclosão, viram larvas, formam casulos até chegarem à fase de mosquito. Em todas essas etapas, eles são alimentados. O processo dura cerca de 14 dias, quando apenas os mosquitos machos são, enfim, liberados.

(http://epoca.globo.com. Adaptado)

Os parágrafos 1 e 2 foram retirados de uma notícia a respeito de uma metodologia de combate ao Aedes aegypti por meio da soltura de mosquitos machos gerados em larga escala em laboratório.

Tais parágrafos fazem referência, respectivamente,

  1. ao mapeamento genético e à metamorfose total desses mosquitos.
  2. às mutações induzidas e à metamorfose parcial desses mosquitos.
  3. à tecnologia do DNA recombinante e ao desenvolvimento indireto dos mosquitos
  4. à seleção artificial e ao desenvolvimento direto desses mosquitos.
  5. à genética de populações e à ausência de metamorfose dos mosquitos.
.