Home > Banco de Questões > Biologia > Genética >Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS ou SRAG)

Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS ou SRAG)

Lista de 02 exercícios de Biologia com gabarito sobre o tema Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS ou SRAG) com questões de Vestibulares.


Você pode conferir as videoaulas, conteúdo de teoria, e mais questões sobre o tema Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS ou SRAG).



01. (URCA) SECRETARIA DE SAÚDE DO ESTADO DO CEARÁ

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO DE INFLUENZA

MONITORAMENTO DA SÍNDROME RESPIRATÓRIA AGUDA GRAVE (SRAG) POR INFLUENZA

25 de maio de 2018 | Página 1/11

Com a circulação endêmica de diversos vírus respiratórios, novos cenários epidemiológicos são identificados no Ceará em 2018. Ocorreu um aumento em relação à detecção de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) por diversas etiologias e da proporção de confirmações por influenza, o que evidencia a maior circulação do vírus neste período se comparado com anos anteriores. Continua a orientação de que todo o processo de vigilância, desde a notificação, investigação e análise do perfil epidemiológico, além do manejo clínico adequado do paciente e ações de prevenção devem ser enfatizados e intensificados pelos profissionais de saúde e gestores dos municípios de todo o Estado do Ceará.

Em relação as características gerais e estrutura dos vírus, assinale a afirmativa FALSA:

  1. Os vírus são destituídos de membrana plasmática, hialoplasma e orgânulos citoplasmáticos, como mitocôndrias, ergastoplasmas e núcleo.
  2. Os vírus possuem um envoltório protetor de natureza lipídica, denominada capsídeo, o qual geralmente é recoberto por um envelope de lipídios, carboidratos e proteínas, envolvendo o ácido nucleico.
  3. Os vírus não metabolizam energia, não produzem ATP, nem realizam fermentação, respiração celular ou fotossíntese.
  4. Os vírus induzem a síntese de estruturas especializadas capazes de transferir o ácido viral para outras células.
  5. Os vírus apresentam-se dotados de material genético, porém são destituídos da capacidade metabólica de traduzir as instruções neles codificadas.

02. (C.U. CESMAC) No início de 2020, um grupo de pesquisadores comparou a sequência de aminoácidos de uma proteína do novo coronavírus (2019-nCoV) com as sequências disponíveis para outros coronavírus. Abaixo estão representadas as sequências parciais de aminoácidos, sendo que cada letra representa um aminoácido.

Nota: SARG = vírus da Síndrome Respiratória Aguda Grave

Analisando a tabela acima, é correto afirmar que:

  1. a sequência de aminoácidos de 2019-nCoV é mais semelhante à de SRAG-1, pois os ribossomos virais geralmente codificam proteínas semelhantes.
  2. ribossomos virais cometem erros durante a síntese proteica, o que explica as diferenças observadas entre as proteínas de SRAG-1 e SRAG-2 em relação ao 2019-nCoV.
  3. apesar das diferenças, a união entre aminoácidos na mesma cadeia proteica ocorre através de ligações peptídicas e fosfodiéster, em todos os coronavírus.
  4. as diferentes proteínas de coronavírus estudadas resultaram, cada uma, da transcrição de um único RNAm que continha, originalmente, 10 nucleotídeos.
  5. as proteínas do 2019-nCoV e SRAG-1 foram traduzidas a partir de transcritos de RNAm originados de diferentes sequências de nucleotídeos.

Você acredita que o gabarito esteja incorreto? Avisa aí 😰| Email ou WhatsApp



Você acredita que o gabarito esteja incorreto? Avisa aí 😰| Email ou WhatsApp