Home > Banco de Questões > Biologia > Fuvest >

Genética

Lista de 10 exercícios de Biologia com gabarito sobre o tema Genética com questões da Fuvest.



01. (Fuvest 2021) A genealogia a seguir representa uma família em que aparecem pessoas afetadas por adrenoleucodistrofia. A mulher III.2 está grávida e ainda não sabe o sexo do bebê.

A relação correta entre o padrão de herança desta forma de adrenoleucodistrofia e a probabilidade de que a criança seja afetada é:

02. (Fuvest 2021) A determinação do sexo em embriões de tartaruga-de-couro depende da temperatura a que o ovo foi exposto. Isso está relacionado à ação da enzima aromatase, que converte a testosterona em estradiol. A expressão gênica e a atividade dessa enzima nas gônadas são dependentes da temperatura, conforme indicado na figura.

Sobre a determinação do sexo em tartarugas-de-couro, é correto afirmar:

  1. A atividade máxima da aromatase determina diferenciação sexual masculina.
  2. O maior nível de transcrição do gene da aromatase coincide com a menor atividade da enzima.
  3. Em temperaturas entre 28 e 30 °C, a maioria dos embriões diferenciam-se em fêmeas.
  4. Há equilíbrio no nascimento de machos e fêmeas a 26 °C.
  5. A atividade da aromatase depende da quantidade de estradiol disponível.

03. (Fuvest 2020) Analise a seguinte genealogia de uma doença:

Foi levantada a hipótese de que a doença possui padrão de herança dominante ligada ao cromossomo X.

O que levou a tal conclusão foi a

  1. incidência da doença em mulheres e homens.
  2. transmissão do alelo mutante apenas às filhas de um homem afetado.
  3. presença de pessoas afetadas em todas as gerações.
  4. transmissão do alelo mutante às filhas e aos filhos de uma mulher afetada.
  5. presença de pelo menos um dos genitores afetados.

04. (Fuvest 2020) Considere uma sequência de DNA com 100 pares de bases de comprimento contendo 32 timinas.

Quantas citosinas, guaninas e adeninas essa sequência terá, respectivamente?

  1. 32, 68, 68.
  2. 68, 32, 68.
  3. 68, 68, 32.
  4. 32, 18, 18.
  5. 18, 32, 18.

05. (Fuvest 2020) Um paciente, com câncer sanguíneo (linfoma) e infectado por HIV, fez quimioterapia e recebeu um transplante de células‐ tronco da medula óssea de um doadorresistente ao HIV. Como resultado, tanto o câncer como o HIV retroagiram neste paciente. O receptor mais usado pelo HIV para entrar nas células do corpo é o CCR5. Um pequeno número de pessoas resistentes ao HIV tem duas cópias mutadas do gene do receptor CCR5. Isso significa que o vírus não pode penetrar nas células sanguíneas do corpo que costumam ser infectadas. O paciente recebeu células‐tronco da medula óssea de um doador que tem essa mutação genética específica, o que fez com que também ficasse resistente ao HIV.

Disponível em https://www.bbc.com/. Março/2019. Adaptado.

A terapia celular a que o texto se refere

  1. permitirá que eventuais futuros filhos do paciente transplantado também possuam células resistentes à infecção pelo HIV.
  2. possibilitou a produção, pelas células sanguíneas do paciente após o transplante, de receptores CCR5 aos quais o vírus HIV não se liga.
  3. promoveu mutações no gene CCR5 das células do paciente, ocasionando a produção de proteína à qual o HIV não se liga.
  4. gerou novos alelos mutantes que interagem com o gene do receptor CCR5 do paciente, ocasionando a resistência à entrada do HIV nas células do paciente.
  5. confirma que o alelo mutante que confere resistência à infecção pelo HIV é dominante sobre o alelo selvagem do gene CCR5.

06. (Fuvest 2019) Uma alteração genética é determinada por um gene com herança autossômica recessiva. O heredograma mostra famílias em que essa condição está presente.

O casal III2 e III3 está esperando um menino. Considerando que, nessa população, uma em cada 50 pessoas é heterozigótica para essa alteração, a probabilidade de que esse menino seja afetado é

  1. 1/100
  2. 1/200
  3. 1/1.000
  4. 1/25.000
  5. 1/40.000

07. (Fuvest 2018) A surdez é geneticamente heterogênea: pode ser causada por mutações em diferentes genes, localizados nos autossomos ou no cromossomo X ou, ainda, por mutações em genes mitocondriais.

Os heredogramas representam quatro famílias, em que ocorrem pessoas com surdez

A(s) família(s) em que o padrão de herança permite afastar a possibilidade de que a surdez tenha herança mitocondrial é(são) apenas

  1. 1
  2. 2 e 3
  3. 3
  4. 3 e 4
  5. 4

08. (Fuvest 2018) Nos cães labradores, a cor da pelagem preta, chocolate ou dourada depende da interação entre dois genes, um localizado no cromossomo 11 (alelos B e b) e o outro, no cromossomo 5 (alelos E e e). O alelo dominante B é responsável pela síntese do pigmento preto e o alelo recessivo b, pela produção do pigmento chocolate. O alelo dominante E determina a deposição do pigmento preto ou chocolate nos pelos; e o alelo e impede a deposição de pigmento no pelo.

Dentre 36 cães resultantes de cruzamentos de cães heterozigóticos nos dois lócus com cães duplo-homozigóticos recessivos, quantos com pelagem preta, chocolate e dourada, respectivamente, são esperados?

  1. 0, 0 e 36.
  2. 9, 9 e 18.
  3. 18, 9 e 9.
  4. 18, 0 e 18.
  5. 18, 18 e 0.

09. (Fuvest 2017) Nos heredogramas apresentados nas alternativas, ocorrem pessoas que têm alterações na formação do esmalte dos dentes (█ e ●).

Os heredogramas em que as alterações do esmalte dos dentes têm herança ligada ao cromossomo X, dominante e recessiva, estão representados, respectivamente, em

10. (Fuvest 2016) No esquema abaixo, está representada uma via metabólica; o produto de cada reação química, catalisada por uma enzima específica, é o substrato para a reação seguinte.

Num indivíduo que possua alelos mutantes que levem à perda de função do gene

  1. A, ocorrem falta do substrato 1 e acúmulo do substrato 2.
  2. C, não há síntese dos substratos 2 e 3.
  3. A, não há síntese do produto final.
  4. A, o fornecimento do substrato 2 não pode restabelecer a síntese do produto final.
  5. B, o fornecimento do substrato 2 pode restabelecer a síntese do produto final.

11. (Fuvest 2016) No heredograma a seguir, a menina II-1 tem uma doençadeterminada pela homozigose quanto a um alelo mutantede gene localizado num autossomo.

A probabilidade de que seu irmão II-2, clinicamentenormal, possua esse alelo mutante é

  1. 0
  2. 1/4
  3. 1/3
  4. 1/2
  5. 2/3

12. (Fuvest 2016) Considere o processo de divisão meiótica em um homemheterozigótico quanto a uma característica de herança autossômica recessiva (Hh). O número de cópias do alelo h nas células que estão no início da intérfase (A), nas células que estão em metáfase I (B) e naquelas que resultam da segunda divisão meiótica (C) é