Home > Banco de Questões > Sociologia >

Trabalho I

Lista de 20 exercícios de Sociologia com gabarito sobre o tema Trabalho I com questões do Enem.


Você pode conferir as videoaulas, conteúdo de teoria, e mais questões sobre o tema Trabalho I.



1. (Enem 2019) No sistema capitalista, as muitas manifestações de crise criam condições que forçam a algum tipo de racionalização. Em geral, essas crises periódicas têm o efeito de expandir a capacidade produtiva e de renovar as condições de acumulação. Podemos conceber cada crise como uma mudança do processo de acumulação para um nivel novo e superior.

HARVEY, D.A produção capitalista do espaço São Paulo: Annablume, 2005 (adaplado)

A condição para a inclusão dos trabalhadores no novo processo produtivo descrito no texto é a

  1. associação sindical.
  2. participação eleitoral.
  3. migração internacional
  4. qualificacao profissional.
  5. regulamentação funcional.

2. (Enem PPL 2019) A estética relativamente estável do modernismo fordista cedeu lugar a todo o fermento, instabilidade e qualidades fugidias de uma estética pós-moderna que celebra a diferença, a efemeridade, o espetáculo, a moda e a mercadificação de formas culturais

HARVEY, D. Condição pós-moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. São Paulo: Loyola, 2009.

No contexto descrito, as transformações estéticas impactam a produção de bens por meio da

  1. promoção de empregos fabris, integrada às linhas de montagem.
  2. ampliação dos custos de fabricação, impulsionada pelo consumo.
  3. redução do tempo de vida dos produtos, acompanhada da crescente inovação.
  4. diminuição da importância da organização logística, utilizada pelos fornecedores.
  5. expansão de mercadorias estocadas, aliada a maiores custos de armazenamento.

3. (Enem PPL 2018) Num país que conviveu com o trabalho escravo durante quatro séculos, o trabalho doméstico é ainda considerado um subemprego. E os indivíduos que atuam nessa área são, muitas vezes, vistos pelos patrões como um mal necessário: é preciso ter em casa alguém que limpe o banheiro, lave a roupa, tire o pó e arrume a gaveta. Existe uma inegável desvalorização das atividades domésticas em relação a outros tipos de trabalho.

(RANGEL, C. Domésticas: nascer, deixar, permanecer ou simplesmente estar. Negritude, cinema e educação. Belo Horizonte: Mazza, 2011)

Objeto de legislação recente, o enfrentamento do problema mencionado resultou na:

  1. criação de novos ofícios.
  2. ampliação de direitos sociais.
  3. redução da desigualdade de gênero.
  4. fragilização da representação sindical.
  5. erradicação da atividade informal.

4. (Enem PPL 2017) Art. 1º – O estrangeiro que, por qualquer motivo, comprometer a segurança nacional ou a tranquilidade pública, pode ser expulso de parte ou de todo o território nacional.

Art. 2º – São também causas bastantes para a expulsão:

1ª) a condenação ou processo pelos tribunais estrangeiros por crimes ou delitos de natureza comum;

duas condenações, pelo menos, pelos tribunais brasileiros, por crimes ou delitos de natureza comum

3ª) a vagabundagem, a mendicidade e o lenocínio competentemente verificados

(BRASIL. Lei 1.641, de 7 de janeiro de 1907. Disponível em: www2.camara.leg.br. Acesso em: 29 ago. 2012 - adaptado)

No início do século XX, na transição do trabalho escravo para o livre, os objetivos da legislação citada eram:

  1. disciplinar o trabalhador e evitar sua participação em movimentos políticos contrários ao governo.
  2. estabelecer as condições para a vinda dos imigrantes
  3. demonstrar preocupação com as condições de trabalho e favorecer a organização sindical.
  4. criar condições políticas para a imigração e isolar os imigrantes socialmente indesejáveis.
  5. estimular o trabalho urbano e disciplinar as famílias estrangeiras nas fábricas

5. (Enem PPL 2016) TEXTO I

Cidadão

Tá vendo aquele edifício, moço?

Ajudei a levantar

Foi um tempo de aflição

Eram quatro condução

Duas pra ir, duas pra voltar

Hoje depois dele pronto

Olho pra cima e fico tonto

Mas me vem um cidadão

E me diz desconfiado

“Tu tá aí admirado

Ou tá querendo roubar?”

Meu domingo tá perdido

Vou pra casa entristecido

Dá vontade de beber

E pra aumentar meu tédio

Eu nem posso olhar pro prédio

Que eu ajudei a fazer.

(BARBOSA. L. In: ZÉ RAMALHO, 20 Super Sucessos. Rio de Janeiro: Sony Music. 1999 - fragmento)

TEXTO II

O trabalhador fica mais pobre à medida que produz mais riqueza e sua produção cresce em força e extensão. O trabalhador torna-se uma mercadoria ainda mais barata à medida que cria mais bens. Esse fato simplesmente subentende que o objeto produzido pelo trabalho, o seu produto, agora se lhe opõe como um ser estranho, como uma força independente do produtor.

(MARX, K. Manuscritos econômicos-filosóficos (Os Primeiros). São Paulo: Boitempo Editorial, 2004)

Com base nos textos. a relação entre trabalho e modo de produção capitalista é:

  1. baseada na desvalorização do trabalho especializado e no aumento da demanda social por novos postos de emprego.
  2. fundada no crescimento proporcional entre o número de trabalhadores e o aumento da produção de bens e serviços.
  3. estruturada na distribuição equânime de renda e no declínio do capitalismo industrial e tecnocrata.
  4. instaurada a partir do fortalecimento da luta de classes e da criação da economia solidária.
  5. derivada do aumento da riqueza e da ampliação da exploração do trabalhador.

6. (Enem PPL 2016) A forma de organização interna da indústria citada gera a seguinte consequência para a mão de obra nela inserida:

  1. Ampliação da jornada diária.
  2. Melhoria da qualidade do trabalho.
  3. Instabilidade nos cargos ocupados.
  4. Eficiência na prevenção de acidentes.
  5. Desconhecimento das etapas produtivas.

7. (Enem 2015) Dominar a luz implica tanto um avanço tecnológico quanto uma certa liberação dos ritmos cíclicos da natureza, com a passagem das estações e as alternâncias de dia e noite. Com a iluminação noturna, a escuridão vai cedendo lugar à claridade, e a percepção temporal começa a se pautar pela marcação do relógio. Se a luz invade a noite, perde sentido a separação tradicional entre trabalho e descanso — todas as partes do dia podem ser aproveitadas produtivamente.

(SILVA FILHO, A. L. M. Fortaleza: imagens da cidade. Fortaleza: Museu do Ceará; Secult-CE, 2001 - adaptado)

Em relação ao mundo do trabalho, a transformação apontada no texto teve como consequência a:

  1. melhoria da qualidade da produção industrial.
  2. redução da oferta de emprego nas zonas rurais.
  3. permissão ao trabalhador para controlar seus próprios horários.
  4. diminuição das exigências de esforço no trabalho com máquinas.
  5. ampliação do período disponível para a jornada de trabalho.

8. (Enem 2015) No início foram as cidades. O intelectual da Idade Média — no Ocidente — nasceu com elas. Foi com o desenvolvimento urbano ligado às funções comercial e industrial — digamos modestamente artesanal — que ele apareceu, como um desses homens de ofício que se instalavam nas cidades nas quais se impôs a divisão do trabalho. Um homem cujo ofício é escrever ou ensinar, e de preferência as duas coisas a um só tempo, um homem que, profissionalmente, tem uma atividade de professor e erudito em resumo, um intelectual — esse homem só aparecerá com as cidades.

(LE GOFF, J. Os intelectuais na Idade Média. Rio de Janeiro: José Olympio, 2010)

O surgimento da categoria mencionada no período em destaque no texto evidencia o(a):

  1. apoio dado pela Igreja ao trabalho abstrato.
  2. relação entre desenvolvimento urbano e divisão do trabalho.
  3. importância organizacional das corporações de ofício.
  4. progressiva expansão da educação escolar.
  5. acúmulo de trabalho dos professores e eruditos.

9. (Enem PPL 2015) Uma dimensão de flexibilização do tempo de trabalho é a sutileza cada vez maior das fronteiras que separam o espaço de trabalho e o do lar, o tempo de trabalho e o de não trabalho. Os mecanismos modernos de comunicação permitem que, no horário de descanso, os trabalhadores permaneçam ligados à empresa. Mesmo não exercendo diretamente suas atividades profissionais, o trabalhador fica à disposição da empresa ou leva problemas para refletir em casa. É muito comum o trabalhador estar de plantão, para o caso de a empresa ligar para o seu celular ou pager. A remuneração para esse estado de alerta é irrisória ou inexistente.

(KREIN, J. D. Mudanças e tendências recentes na regulação do trabalho. textos para estudo dirigido. Campinas: IE/Unicamp; Brasilia: MTE, 2006)

A relação entre mudanças tecnológicas e tempo de trabalho apresentada pelo texto implica o:

  1. prolongamento da jornada de trabalho com a intensificação da exploração.
  2. aumento da fragmentação da produção com a racionalização do trabalho.
  3. privilegio de funcionários familiarizados com equipamentos eletrônicos.
  4. crescimento da contratação de mão de obra pouco qualificada.
  5. declínio dos salários pagos aos empregados mais idosos

10. (Enem PPL Enem 2014) Sempre teceremos panos de seda

E nem por isso vestiremos melhor

Seremos sempre pobres e nuas

E teremos sempre fome e sede

Nunca seremos capazes de ganhar tanto

Que possamos ter melhor comida.

(CHRÉTIEN DE TROYES. Yvain ou le chevalier au lion (1177-1181). Apud MACEDO, J. R. A mulher na Idade Média. São Paulo: Contexto, 1992 - adaptado)

O tema do trabalho feminino vem sendo abordado pelos estudos históricos mais recentes. Algumas fontes são importantes para essa abordagem, tal como o poema apresentado, que alude à:

  1. inserção das mulheres em atividades tradicionalmente masculinas.
  2. ambição das mulheres em ocupar lugar preponderante na sociedade.
  3. possibilidade de mobilidade social das mulheres na indústria têxtil medieval.
  4. exploração das mulheres nas manufaturas têxteis no mundo urbano medieval.
  5. servidão feminina como tipo de mão de obra vigente nas tecelagens europeias.

11. (Enem PPL Enem 2014) Quem acompanhasse os debates na Câmara dos Deputados em 1884 poderia ouvir a leitura de uma moção de fazendeiros do Rio de Janeiro: "Ninguém no Brasil sustenta a escravidão pela escravidão, mas não há um só brasileiro que não se oponha aos perigos da desorganização do atual sistema de trabalho". Livres os negros, as cidades seriam invadidas por "turbas ignaras", "gente refratária ao trabalho e ávida de ociosidade". A produção seria destruída e a segurança das famílias estaria ameaçada. Veio a Abolição, o Apocalipse ficou para depois e o Brasil melhorou (ou será que alguém duvida?). Passados dez anos do início do debate em torno das ações afirmativas e do recurso às cotas para facilitar o acesso dos negros às universidades públicas brasileiras, felizmente é possível conferir a consistência dos argumentos apresentados contra essa iniciativa. De saída, veio a advertência de que as cotas exacerbariam a questão racial. Essa ameaça vai completar 18 anos e não se registraram casos significativos de exacerbação.

(GASPARI, E. As cotas e a urucubaca. Folha de S. Paulo, 3 jun. 2009)

O argumento elaborado pelo autor sugere que as censuras às cotas raciais são:

  1. politicamente ignoradas.
  2. socialmente justificadas.
  3. culturalmente qualificadas.
  4. historicamente equivocadas
  5. economicamente fundamentadas.

12. (Enem PPL Enem 2014) A introdução da organização científica taylorista do trabalho e sua fusão com o fordismo acabaram por representar a forma mais avançada da racionalização capitalista do processo de trabalho ao longo de várias décadas do século XX.

(ANTUNES, R. Os sentidos do trabalho: ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho. São Paulo: Boitempo, 2009 - adaptado)

O objetivo desse modelo de organização do trabalho é o alcance da eficiência máxima no processo produtivo industrial que, para tanto,

  1. adota estruturas de produção horizontalizadas, privilegiando as terceirizações.
  2. requer trabalhadores qualificados, polivalentes e aptos para as oscilações da demanda.
  3. procede à produção em pequena escala, mantendo os estoques baixos e a demanda crescente.
  4. decompõe a produção em tarefas fragmentadas e repetitivas, complementares na construção do produto.
  5. outorga aos trabalhadores a extensão da jornada de trabalho para que eles definam o ritmo de execução de suas tarefas.

13. (Enem 2014, 3ª aplicação) Em pesquisa realizada, revelou-se que o Brasil é o país onde os empregadores mais utilizam os sites e redes sociais para contratação. O estudo foi realizado em treze países diferentes, com 2 819 executivos. Os resultados apontaram que, no Brasil, 21% das empresas utilizam o meio social da internet para realizarem contratações, ficando a Espanha em segundo lugar, com 18%. Em terceiro aparecem a Itália e Holanda, ambas com um resultado de 13% cada uma.

(Disponível em: www.istoedinheiro.com.br. Acesso em: 30 jul. 2012 - adaptado)

Nesse contexto, a forma de inserção no mundo do trabalho na atualidade é:

  1. resultado das transformações ocorridas a partir de processos tecnológicos inovadores, como o advento da internet.
  2. fruto da mudança do processo de seleção tradicional, visando principalmente reduzir os custos de contratação.
  3. decorrente da urgência de ocupação das vagas disponíveis, facilitada pela massificação do use das redes sociais.
  4. produto da expansão de postos de trabalho, o que vem exigindo cada vez mais a presença de profissionais qualificados.
  5. compatível com o perfil profissional atual, que exige do candidato pleno domínio das ferramentas virtuais de comunicação.

14. (Enem PPL 2013) Do outro lado do Atlântico, a coisa é bem diferente. A classe média europeia não está acostumada com a moleza. Toda pessoa normal que se preze esfria a barriga no tanque e a esquenta no fogão, caminha até a padaria para comprar o seu próprio pão e enche o tanque de gasolina com as próprias mãos.

(SETTI, A. Disponível em: http://colunas.revistaepoca.globo.com. Acesso em: 21 maio 2013 - fragmento)

A diferença entre os costumes assinalados no texto e os da classe média brasileira é consequência da ocorrência no Brasil de:

  1. automação do trabalho nas fábricas, relacionada à expansão tecnológica.
  2. ampliação da oferta de empregos, vinculada à concessão de direitos sociais.
  3. abertura do mercado nacional, associada à modernização conservadora.
  4. oferta de mão de obra barata, conjugada à herança patriarcal.
  5. consolidação da estabilidade econômica, ligada à industrialização acelerada.

15. (Enem PPL 2013) O servo pertence à terra e rende frutos ao dono da terra. O operário urbano livre, ao contrário, vende-se a si mesmo e, além disso, por partes. Vende em leilão 8,10,12,15 horas da sua vida, dia após dia, a quem melhor pagar, ao proprietário das matérias-primas, dos instrumentos de trabalho e dos meios de subsistência, isto é, ao capitalista.

(MARX, K. Trabalho assalariado e capital & salário, preço e lucro. São Paulo: Expressão Popular, 2010)

O texto indica que houve uma transformação dos espaços urbanos e rurais com a implementação do sistema capitalista, devido às mudanças tecnossociais ligadas ao:

  1. desenvolvimento agrário e ao regime de servidão.
  2. aumento da produção rural, que fixou a população nesse meio.
  3. desenvolvimento das zonas urbanas e às novas relações de trabalho.
  4. aumento populacional das cidades associado ao regime de servidão.
  5. desenvolvimento da produção urbana associada às relações servis de trabalho.

16. (Enem 2013) Na produção social que os homens realizam, eles entram em determinadas relações indispensáveis e independentes de sua vontade; tais relações de produção correspondem a um estágio definido de desenvolvimento das suas forças materiais de produção. A totalidade dessas relações constitui a estrutura econômica da sociedade – fundamento real, sobre o qual se erguem as superestruturas política e jurídica, e ao qual correspondem determinadas formas de consciência social.

(MARX, K. Prefácio à Crítica da economia política. In. MARX, K. ENGELS F. Textos 3. São Paulo. Edições Sociais, 1977 - adaptado)

Para o autor, a relação entre economia e política estabelecida no sistema capitalista faz com que:

  1. o proletariado seja contemplado pelo processo de mais-valia
  2. o trabalho se constitua como o fundamento real da produção material.
  3. a consolidação das forças produtivas seja compatível com o progresso humano.
  4. a autonomia da sociedade civil seja proporcional ao desenvolvimento econômico.
  5. a burguesia revolucione o processo social de formação da consciência de classe.

17. (Enem 2013) Um trabalhador em tempo flexível controla o local do trabalho, mas não adquire maior controle sobre o processo em si. A essa altura, vários estudos sugerem que a supervisão do trabalho é muitas vezes maior para os ausentes do escritório do que para os presentes. O trabalho é fisicamente descentralizado e o poder sobre o trabalhador, mais direto.

(SENNETT R. A corrosão do caráter, consequências pessoais do novo capitalismo. Rio de Janeiro: Record, 1999 - adaptado)

Comparada à organização do trabalho característica do taylorismo e do fordismo, a concepção de tempo analisada no texto pressupõe que:

  1. as tecnologias de informação sejam usadas para democratizar as relações laborais.
  2. as estruturas burocráticas sejam transferidas da empresa para o espaço doméstico.
  3. os procedimentos de terceirização sejam aprimorados pela qualificação profissional.
  4. as organizações sindicais sejam fortalecidas com a valorização da especialização funcional.
  5. os mecanismos de controle sejam deslocados dos processos para os resultados do trabalho.

18. (Enem 2012) Na imagem do início do século XX, identifica-se um modelo produtivo cuja forma de organização fabril baseava-se na:

  1. autonomia do produtor direto.
  2. adoção da divisão sexual do trabalho.
  3. exploração do trabalho repetitivo.
  4. utilização de empregados qualificados.
  5. incentivo à criatividade dos funcionários.

19. (Enem PPL 2012) Outro importante método de racionalização do trabalho industrial foi concebido graças aos estudos desenvolvidos pelo engenheiro norteamericano Frederick Winslow Taylor. Uma de suas preocupações fundamentais era conceber meios para que a capacidade produtiva dos homens e das máquinas atingisse seu patamar máximo. Para tanto, ele acreditava que estudos científicos minuciosos deveriam combater os problemas que impediam o incremento da produção.

(Taylorismo e Fordismo. Disponível em: www.brasilescola.com. Acesso em: 28 fev. 2012)

O Taylorismo apresentou-se como um importante modelo produtivo ainda no início do século XX, produzindo transformações na organização da produção e, também, na organização da vida social.

A inovação técnica trazida pelo seu método foi a:

  1. polivalência dos trabalhadores que passaram a realizar funções diversificadas numa mesma jornada.
  2. cronometragem e controle rigoroso do trabalho para evitar desperdícios.
  3. utilização de estoques mínimos em plantas industriais de pequeno porte.
  4. produção orientada pela demanda enxuta atendendo a específicos nichos de mercado.
  5. flexibilização da hierarquia no interior da fábrica para estreitar a relação entre os empregados.

20. (Enem PPL 2012) TEXTO I

Em março de 2004, o Brasil reconheceu na Organização das Nações Unidas a existência, no país, de pelo menos 25 mil pessoas em condição análoga à escravidão ― e esse é um índice considerado otimista. De 1995 a agosto de 2009, cerca de 35 mil pessoas foram libertadas em ações dos grupos móveis de fiscalização do Ministério do Trabalho e Emprego.

(Mentiras mais contadas sobre trabalho escravo. Disponível em: www.reporterbrasil.com.br. Acesso em: 22 ago. 2011 - adaptado)

TEXTO II

O Brasil subiu quatro posições entre 2009 e 2010 no ranking do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) divulgado pelo Programa das Nações Unidas para Desenvolvimento. Mas, se o IDH levasse em conta apenas a questão da escolaridade, a posição do Brasil no ranking mundial ficaria pior, passando de 73 para 93.

(UCHINAKA, F.; Brasil é o país que mais avança, Disponível em: http://noticias.uol.com.br. Acesso em: 22 ago. 2011 - adaptado)

Estão sugeridas nos textos duas situações de exclusão social, cuja superação exige, respectivamente, medidas de:

  1. nacionalização de empresas e aumento da distribuição de renda.
  2. redução de impostos e políticas de ações afirmativas.
  3. geração de empregos e aprimoramento do poder judiciário.
  4. fiscalização do Estado e incremento da educação nacional.
  5. sindicalização dos trabalhadores e contenção da migração interna.

Você acredita que o gabarito esteja incorreto? Avisa aí 😰| Pelo Email ou WhatsApp