Home > Banco de Questões > Provas Unesp>

Unesp: Português - Prova 2

Primeira Fase - Cursos das Áreas de Exatas e Humanidades

1. (Unesp 2021)

O cronista traça um retrato do gramático Marco Aurélio, evidenciando, sobretudo, a sua

  1. ambiguidade.
  2. informalidade.
  3. concisão.
  4. afetação.
  5. meticulosidade.

2. (Unesp 2021)

As modificações feitas pelo gramático nas expressões empregadas no prefácio e na dedicatória de sua obra manifestam seu desconforto

  1. com o sentido figurado da expressão inicialmente pensada para o prefácio e com o caráter trivial da expressão inicialmente pensada para a dedicatória.
  2. com o sentido figurado da expressão inicialmente pensada para o prefácio e com o sentido literal da expressão inicialmente pensada para a dedicatória.
  3. com o sentido literal da expressão inicialmente pensada para o prefácio e com o sentido figurado da expressão inicialmente pensada para a dedicatória.
  4. com o caráter trivial das expressões inicialmente pensadas para o prefácio e para a dedicatória.
  5. com o sentido literal da expressão inicialmente pensada para o prefácio e com o caráter trivial da expressão inicialmente pensada para a dedicatória.

3. (Unesp 2021)

Em “Professor, autor de um livro de filologia, cair na vulgaridade da expressão comum: ‘pálida homenagem’?” (8° parágrafo), o termo sublinhado está empregado na acepção de

  1. “lançar-se rapidamente; atirar-se, jogar-se”, como em “ela cair no colo da mãe”.
  2. “incorrer em erro, falta; incidir”, como em “durante o depoimento, cair em contradição”.
  3. “deixar-se enganar, ser vítima de logro”, como em “ele caiu no conto do vigário”.
  4. “criticar severamente; acusar”, como em “a imprensa cair em cima dos corruptos”.
  5. “entrar em determinado estado ou situação”, como em “durante o filme, cair no sono”.

4. (Unesp 2021)

O cronista narra uma série de fatos ocorridos no passado. Um fato anterior a esse tempo passado está indicado pela forma verbal sublinhada em

  1. “Eram duzentas e uma e, em um lance único, genial, destacou em relevo, ao alto da página ‘duzentas e uma palavras ao leitor’.” (6° parágrafo)
  2. “A obra seria, segundo o velho hábito, precedida de ‘duas palavras ao leitor’ e levaria, como demonstração de sua submissão intelectual, uma dedicatória.” (5° parágrafo)
  3. “A dedicatória, como todas as dedicatórias, seria a ‘pálida homenagem’ de seu talento ao espírito amigo que lhe ensinara a pensar...” (7° parágrafo)
  4. “E Marco Aurélio resolve meditar.” (4° parágrafo)
  5. “Leiam-na e verão como a coisa é bela.” (9° parágrafo)

5. (Unesp 2021)

Considerando-se o contexto histórico-social em que a canção foi composta, o verso “Vou pra rua e bebo a tempestade” (3ª estrofe) sugere a ideia de manifestações populares que ocorreram no Brasil por ocasião

  1. do Regime Civil-Militar.
  2. do fim do Estado Novo.
  3. da deposição de João Goulart.
  4. do Movimento Diretas Já.
  5. do Movimento Grevista dos Metalúrgicos do ABC.

6. (Unesp 2021)

Em “Inútil dormir que a dor não passa” (1ª estrofe), o termo sublinhado introduz uma oração que expressa, em relação à anterior, ideia de

  1. condição.
  2. consequência.
  3. concessão.
  4. proporção.
  5. explicação.

7. (Unesp 2021)

Observa-se rima entre palavras de classes gramaticais diferentes em

  1. “graça”/“passa” (1ª estrofe) e “regaço”/“faço” (2ª estrofe).
  2. “regaço”/“faço” (2ª estrofe) e “onde”/“longe” (3ª estrofe).
  3. “onde”/“longe” (3ª estrofe) e “cidade”/“tempestade” (3ª estrofe).
  4. “sentado”/“provado” (1ª estrofe) e “cansa”/“alcança” (1ª estrofe).
  5. “cansa”/“alcança” (1ª estrofe) e “graça”/“passa” (1ª estrofe).

8. (Unesp 2021)

No texto, o narrador

  1. sugere que a narração de eventos significativos não permite uma visão abrangente da vida.
  2. admite que sua narrativa sinuosa visa confundir e enganar o seu interlocutor.
  3. sugere que a narração de eventos significativos não cabe em uma narrativa linear.
  4. alega que sua narrativa linear busca conferir coerência e sentido a uma vida de desacertos.
  5. alega que uma narrativa sinuosa conduz a uma compreensão limitada da existência.

9. (Unesp 2021)

No trecho “O senhor é homem de pensar o dos outros como sendo o seu, não é criatura de pôr denúncia”, o narrador caracteriza seu interlocutor como

  1. desrespeitoso.
  2. distraído.
  3. presunçoso.
  4. indulgente.
  5. perseverante.

10. (Unesp 2021)

O evento histórico mencionado no texto está relacionado

  1. à Revolta da Chibata.
  2. à Revolta da Armada.
  3. ao Cangaço.
  4. ao Abolicionismo.
  5. ao Tenentismo.

11. (Unesp 2021)

Para a formação do neologismo “vivimento”, o narrador recorreu ao mesmo processo de formação de palavras observado em

  1. “desemendo”.
  2. “velhice”.
  3. “denúncia”.
  4. “reverte”.
  5. “adiante”.

12. (Unesp 2021)

Dupla negação: emprego conjugado de palavras negativas.

(Celso Pedro Luft. Abc da língua culta, 2010. Adaptado.)

Observa-se a ocorrência de dupla negação no trecho:

  1. “A lembrança da vida da gente se guarda em trechos diversos, cada um com seu signo e sentimento, uns com os outros acho que nem não misturam.”
  2. “Mas não é por disfarçar, não pense.”
  3. “O senhor é homem de pensar o dos outros como sendo o seu, não é criatura de pôr denúncia.”
  4. “Agora, sou anta empoçada, ninguém me caça.”
  5. “De cada vivimento que eu real tive, de alegria forte ou pesar, cada vez daquela hoje vejo que eu era como se fosse diferente pessoa.”

13. (Unesp 2021)

O título da peça refere-se a importante conceito da teoria de

  1. Jean-Jacques Rousseau.
  2. Friedrich Nietzsche.
  3. Karl Marx.
  4. Max Weber.
  5. Jean-Paul Sartre.

14. (Unesp 2021)

O texto mostra-se crítico em relação ao conteúdo da seguinte citação:

  1. “O trabalho não é vergonha, é só uma maldição.”
  2. “O homem é o lobo do homem.”
  3. “O homem nasce livre, a sociedade o corrompe.”
  4. “O trabalho dignifica e enobrece o homem.”
  5. “Onde não há lei, não há liberdade.”

15. (Unesp 2021)

Considerado no contexto, constitui exemplo de eufemismo o verbo sublinhado no trecho

  1. “fizemos os canhões que vão nos apontar”.
  2. “não conhecemos a espuma do mar”.
  3. “Ninguém sabe nosso nome”.
  4. “A paga vem depois que a gente morre”.
  5. “fizemos a Bastilha onde fomos morar”.

16. (Unesp 2021)

A obra Prisão de Tiradentes (datada de 1914), do pintor brasileiro Antônio Parreiras (1860-1937), remete a evento histórico relacionado ao seguinte movimento literário brasileiro:

  1. Barroco.
  2. Arcadismo.
  3. Romantismo.
  4. Realismo.
  5. Modernismo.

Você acredita que o gabarito esteja incorreto? Avisa aí 😰| Email ou WhatsApp