Home > Blog da Agatha > Redação >

A Redação dissertativa argumentativa


Atualizada em 24 de Março, 2020

Aprenda mais sobre a Redação dissertativa argumentativa na prova do enem




O Modelo dissertativo

Só existem dois tipos de textos dissertativos, o expositivo e o argumentativo. Consegue apontar a diferença? Vejamo-as:

- Dissertação-expositiva: apresenta informações, fatos sobre o tema sem manifestar qualquer opinião.

Exemplos: matérias de jornal, livros didáticos.

- Dissertação-argumentativa: faz a defesa de um ponto de vista (opinião).

Exemplos: colunas de jornal, editorial.


Para exemplificar essa diferença, imagine que você tenha de redigir uma redação a respeito do tema “Redução da maioridade penal no Brasil”. Se sua dissertação apenas apresentar:

Os principais pontos do projeto de redução

Trouxer o depoimento de especialistas favoráveis e contrários

Dados estatísticos relativos aos efeitos dessa medida em outros países

contudo em nenhum momento manifestar uma opinião, terá escrito um texto dissertativo-expositivo, que no ENEM será zerado. Entretanto, se além de tudo isso, seu texto explicitar uma opinião contrária ou favorável, ele será dissertativo-argumentativo, mantendo-se dentro das requisitos estipulados pela banca.

1.1. Defesa de um ponto de vista

Para que não se confunda, é preciso, de início, entender que defesa de ponto de vista, tese e opinião são sinônimos em nossos estudos, certo?

Como já sabe, na prova de redação, terá que desenvolver um tema, manifestando sua opinião. Diante disso, será necessário “se colocar”, ou melhor, defender um lado. Para tanto, necessitará conhecer os recursos argumentativos, a fim de mostrar ao corretor que o seu posicionamento, seja qual for o tema, é coerente e foi bem fundamentado.

Recomendações:

A seguir, você verá algumas importantes recomendações que o(a) auxiliará na construção dos argumentos:

- Qualquer opinião é válida, contanto que seja bem defendida.

Observação: No ENEM, posicionamentos que não estejam de acordo com os direitos humanos não poderão ser motivos para a anulação do texto e nem para despontuação.

- Evite manifestações com viés preconceituoso, visto que são de difícil sustentação.

- Não precisa adivinhar “o que a banca pensa”. Portanto, manifeste o SEU posicionamento, sem se preocupar com o que o avaliador vai pensar.

- Busque pontos de vista diferenciados, originais. Evite, então, reproduzir em seu texto argumentos de senso comum.

Atenção: cuidado com a ausência do ponto de vista. Por isso, não fique “em cima do muro”. Sua opinião deve ser sempre nítida.

1.2. Objetividade

Outra característica que deve ser apresentada por sua dissertação é a objetividade. Em termos práticos, isso significa que, não importa qual seja o tema, não poderá manifestar qualquer posicionamento influenciado pelo lado emocional ou religioso. Somado a isso, é preciso evitar um discurso inflamado, com palavras de ordem, exclamações ou xingamentos.

As análises feitas em seu texto devem ser:

- Objetivas, mesmo em temas abstratos;

- Sem tom emotivo;

- Sem argumentos religiosos;

- Sem experiências pessoais;

- Sem radicalismos.

Portanto, mesmo diante de temas polêmicos, como legalização da maconha ou do aborto, justiçamento com as próprias mãos ou casamento de pessoas de igual sexo, você deve sustentar sua opinião com serenidade e bom senso.

1.3. Linguagem

A linguagem de sua dissertação é a impessoal, o que significa usar a terceira pessoa do discurso (“ele/ela/eles/elas”). Dessa forma, não é correto o emprego de marcas da primeira pessoa do singular, como “eu”, “acho”, “penso”, “acredito”, “na minha opinião”. “Mas porque não posso usar a primeira pessoa do singular, se estou manifestando a MINHA opinião?”, você deve estar se perguntando. É bem simples. Como aprendeu, deverá usá-la, pois evita redundância (repetição de mesma ideia), no sentido de que o texto foi escrito por você, não havendo necessidade de enchê-lo de “eu”. Além disso, o emprego da terceira pessoa faz com nossas opiniões pessoas pareçam verdades indiscutíveis

Observação: a primeira pessoa do plural (“NÓS”) é tolerada, contudo deve ser evitada.

1.4. Qualidades

Além de todas as características já vistas até aqui, para que seu texto seja bem avaliado pelos corretores, é essencial que apresente as seguintes :

Qualidades elementares

- Coesão;

- Coerência;

- Concisão;

- Clareza;

- Correção.

Diferenciadas

- Profundidade (Boas ideias e provas na defesa da opinião);

- Senso crítico (Visão diferenciada);

- Criatividade (Linguagem e/ou conteúdo com autoria).

Assim, todas essas qualidades somadas farão com que você consiga causar excelente impressão à banca corretora, influenciando positivamente em sua nota final.

1.5. Estrutura funcional

O texto dissertativo-argumentativo se divide em três partes. Você sabe quais são elas?

A introdução, o desenvolvimento e a conclusão, que se organizam em, no mínimo, 4 ou, no máximo, 5 parágrafos. Mais importante do que isso é que você entenda que cada uma dessas partes desempenhará funções específicas para o convencimento do leitor. Saiba quais são a seguir:

Em linhas gerais, de início, o objetivo é que tenha uma mínima noção de cada uma dessas funções, ao menos sabendo o que terá de fazer ao redigir o texto. Porém, não precisa se preocupar, porque, no decorrer deste curso, você aprenderá detalhadamente a construir a introdução, o desenvolvimento e a conclusão.

Resumo

- Seu texto deve atender à tipologia textual dissertativo-argumentativa, o que significa que terá de manifestar uma opinião clara em relação ao tema proposto;

- Ao expressar seus posicionamentos, deverá fazê-lo com base em critérios objetivos, não sofrendo influência de suas convicções religiosas ou ainda de sentimentos de qualquer natureza;

- Sua opinião deve ser dada por meio da linguagem impessoal, o que confere maior peso argumentativo às suas ideias;

- Seu texto deve ser redigido no padrão culto, com simplicidade e clareza, sem traços da oralidade;

Além de ser coeso, coerente, conciso, claro e correto, convém que apresente qualidade diferenciadas, como profundidade na argumentação, senso crítico nas análises e criatividade na linguagem;

- Ao escrever o texto, é importante que cada uma de suas três partes desempenhem as funções que lhes cabe em busca da adesão do leitor ao ponto de vista defendido.


Autor: Alexsandro da Silva Junior: Graduado em Letras - Português/Literaturas pela UFRRJ.



.